O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 525

O olhar de Anthony tornou-se perigoso.

— Você precisa manter seu número para alguém? —

— Não é isso... É só que meus pais não sabiam. —

— Basta informar o novo número a eles. —

Anne não fez mais nenhum pedido. Ela sentiu que Anthony estava prestes a se estressar, caso fizesse mais perguntas, e simplesmente não tinha pretensão ou disposição de enfrentar as consequências de irritar aquele homem. Assim, depois que ela terminou a ligação, a moça se encostou na cabeceira e adormeceu logo.

Anthony viu que ela tinha adormecido em uma posição ruim, então levantou um pouco a cama para a deixar dormir confortavelmente. Afinal, se o acidente aconteceu enquanto ela estava em seu helicóptero, não havia nada mais justo para o magnata do que tratá-la um pouco melhor.

Quando a jovem acordou, Anthony ainda estava por perto, lidando com seus negócios diretamente do sofá, ao lado dela. Ela simplesmente não sabia quando Anthony partiria, pensando apenas que, com ele por perto, não tinha como ligar para os filhos. E se mandasse uma mensagem? Bom, a babá poderia retornar, afoita, para ela depois de saber o que aconteceu, mesmo sob aviso de que não o fizesse, e Anthony ainda poderia estar por perto.

A mulher se via realmente nervosa. Na verdade, ela ainda estava apavorada, refletindo sobre a situação. Se tivesse morrido com a queda do helicóptero, seus três filhos teriam perdido a mãe. Nesse cenário, se eles fossem enviados para o lado de Anthony, eles também poderiam crescer com saúde, certo? Anthony não seria tão insensível com as crianças que ela deu à luz, não é? Ou seria?

Felizmente, ela sobreviveu, mas ainda morria de medo só de pensar em um desdobramento diferente para a situação.

— O que você quer? — Anthony perguntou, sem tirar os olhos do computador.

— Nada! Eu só queria perguntar, você não precisa voltar para Luton? Vejo que você está muito ocupada com o trabalho — disse Anne. — Bianca não vai se preocupar demais? Ter ciúmes... —

— Eles pensam que você está morta. —

Anne entendeu que isso também fazia sentido. Para Bianca, de certo não haveria ameaça, porque a irmã com certeza estaria morta. Mesmo que Anthony tivesse ido para qualquer outro lugar do mundo, Bianca não precisaria se preocupar com o risco de ele estar junto com Anne, porque, em teoria, não havia mais uma Anne viva.

***

Quando Nigel saiu para comprar o jantar, ele pegou o telefone e ligou para o número que tinha visto no telefone de Sarah.

— Anne? —

— Pai, sou eu. —

— Você está realmente bem? O que aconteceu? Eu não me atrevi a revelar nada na frente de sua mãe. —

— Antes da queda do helicóptero, o piloto me arrastou para fora e pulou comigo. Não morremos com a explosão, mas ficamos à deriva por algum tempo, e estou um pouco ferida agora, então vim parar num hospital... —

— A situação é grave? —

— Não é tão grave... Já consigo falar, me alimentar... — Disse Anne.

— Onde fica o hospital? Luton? —

— Não. Deve ser bem perto do hospital onde mamãe está. —

— Certo! Eu saí para comprar algo para comer, aproveito para te visitar! —

— Pai, é melhor você não vir... —

— Por quê?! Quero garantir que esteja bem! — Nigel protestou.

Anne olhou para Anthony, que estava sentado no sofá, então ela virou o rosto para o outro lado, cobriu a boca com uma das mãos e disse baixinho:

— Anthony simplesmente não vai embora... está aqui desde que acordei. —

O magnata levantou seu olhar sombrio e a encarou. Era até cômico acreditar que a moça pensou que ele não seria capaz de ouvir daquela distância. Em resposta, Nigel não disse nada, mas sua expressão não parecia muito boa.

— Entendi. Tenha um bom descanso e mantenha seu telefone ligado. —

— Certo, pai... —

Sarah aproveitou o momento em que Nigel saiu para comprar o jantar, pegou o telefone, olhou para o zelador que arrumava a enfermaria e disse:

— Você pode sair um pouquinho, moço? Preciso me trocar deitada, é muito revelador. Você entende, certo? —

O zelador deu de ombros e saiu sem dizer nada. Depois disso, Sarah discou o número de Dorothy. No passado, aquela mulher ligava dia sim, dia não para provocá-la falando sobre Anne, então, de certo, a megera deveria estar nas nuvens com o fato de ela estar em coma depois de ser atropelada por um carro, certo?

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata