O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 561

Anne não pensou mais em Anthony. Ela já tinha preocupações o suficiente em sua mente, pensando nas crianças. Depois que a moça deu duas mordidas, a porta foi aberta por alguém. Anne olhou para cima e viu Tommy se aproximando com uma cara de raiva. A moça não tinha ideia do que poderia incomodá-lo.

— Tommy, o que você está fazendo aqui?! — Sarah não foi nem um pouco acolhedora.

Ela não queria ver ninguém da família Marwood, como não gostaria de vê-los desde antes dos problemas que causaram. Outrora a mulher só vinha se comportando educadamente porque era, de certo modo, parte da família.

Tommy se sentiu aliviado ao ver Anne enérgica novamente, mas sua expressão facial ainda parecia bastante incomodada. Desde que Anne "morreu" no acidente de avião, ele estivera infeliz em Santa Nila. Passava a maioria das noites nos bares, bêbado. Certa vez, ligou para Lucas para perguntar sobre Luton, mas o homem disse que também não tinha as informações de Anne.

Depois disso, Tommy nunca mais procurou o diretor. Se não fosse por ele querer visitar os trigêmeos novamente naquele dia, não saberia que Anne havia sido encontrada.

— Parabéns por escapar da morte. — Tommy parecia estranho.

Anne entendeu brevemente por que ele se comportava daquela maneira. O rapaz pensou que ela estava morta e só descobriu que ela estava viva recentemente. Ficar sem notícias, depois de ter se preocupado tanto com alguém, era injusto.

— Obrigada... — Ela respondeu.

— Coma, não se preocupe comigo. — Tommy se sentou no sofá.

Anne realmente não se importava muito com a presença dele, e dava uma colherada após a outra. O prato estava delicioso, e a comida de sua mãe acalmou a ansiedade. Sarah olhou para as duas pessoas, tentando entender o contexto. A mulher sabia que os dois costumavam ser muito próximos quando eram crianças, mas as coisas ainda seriam as mesmas depois que os dois cresceram?

Tommy não poderia ser o mesmo Tommy de antes, não é? Ela conseguia se lembrar de como Anne se comportou da última vez, mas não conseguia compreender o que estava acontecendo naquele momento.

— Tommy, você é muito próximo de Anne, não é? — Sarah foi indiscreta.

— Não importa o que aconteça, eu sempre a protegi na família Marwood. Farei o mesmo agora e no futuro. — Tommy não estava escondendo isso.

Anne olhou para ele e pensou 'Como você ousa dizer algo assim?'.

— Eu já ficaria muito grato se você não me culpasse, também. —

Era verdade que Tommy não a havia machucado, então Anne não precisava se comportar com tanto distanciamento. Ele nem mesmo pedia gratidão dela, apenas que não o colocasse no mesmo julgamento que o resto de sua família.

— Proteger? — Sarah sorriu com indiferença. — Antes de você vir, Anthony veio aqui. Você poderia tê-la protegido, então? Só o futuro marido de minha filha poderia protegê-la, outras pessoas não poderiam. —

Tommy olhou para Anne com um meio sorriso.

— Bem, estou surpreso em saber que você ainda pode se casar. —

Anne olhou para ele furiosamente, pensando: 'Cale a porra da boca!'. Por que ele tinha que falar sobre aquilo? Era fato que o rapaz sabia que Anthony controlava tudo ao redor da vida dela. Sarah também não parecia muito satisfeita com a cutucada.

— Tommy, acho melhor você sair logo. Anne precisa descansar e, só de estar aqui, você pode piorar os problemas dela. —

— Não é bom descansar logo após as refeições. — Disse o homem.

Anne estava quase terminando de comer, então colocou os talheres na mesa.

— Mãe, por favor, pode levar o prato? —

Sarah não queria sair dali, mas compreendia a filha, por isso deixou a enfermaria de má vontade. Anne também não desejava ficar a sós com o rapaz, porém sabia que, se não o fizesse, Tommy não iria embora.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata