O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 644

Quando Bianca voltou para a sala, não conseguia se acalmar. A moça queria confiar em Anthony, mas as palavras de Dorothy ainda a afetavam. O homem não foi procurar Anne, foi? Quanto mais a jovem pensava nisso, mais ansiosa ficava. Inquieta, ela pegou o celular e ligou para o noivo. Depois de alguns toques, ele atendeu.

— Anthony, você está ocupado? — A moça começou.

— Algo errado? —

— Não, mas... não tive notícias suas, durante esses dois dias, então queria ter certeza de que você estava bem. — Disse Bianca.

— Tenho estado ocupado ultimamente. Irei visitá-la quando estiver livre. —

— Não se preocupe! Concentre-se no seu trabalho e lembre-se de cuidar bem de si mesmo. —

— Tudo bem. —

Durante a ligação, Bianca ouviu atentamente o movimento do outro lado da linha, percebendo que tudo parecia muito quieto. O homem estava mesmo no Grupo Arquiduque? Com tanta ansiedade corroendo seus pensamentos, a moça não conseguiu ficar parada, então se vestiu e se preparou para sair. Ao vê-la descer as escadas, Dorothy perguntou:

— Você está indo fazer o quê? Você ainda precisa descansar para que o ferimento em sua cabeça cicatrize mais rápido. —

— Estou bem. Vou ao estúdio dar uma olhada nas coisas, só isso. — Bianca estava ficando em casa só para ganhar simpatia e fazer com que Anthony se importasse mais. Como o homem parecia ocupado, a moça passou a duvidar da eficiência daquele plano.

— Você vai dirigir sozinha? — Dorothy estava preocupada com a filha.

— Está tudo bem. — Bianca foi embora.

A moça não foi para o estúdio, mas para o Grupo Arquiduque, porque queria ver se Anthony estava mesmo no trabalho. Ela foi até o segundo andar do estacionamento viu o Rolls-Royce do noivo. Mesmo assim, por segurança, ainda pegou o elevador até o último andar. Ao vê-la passar por trás do balcão, ao lado do elevador, a recepcionista se levantou. Bianca se aproximou.

— O senhor Marwood está aí? —

— Ele está no escritório. —

Bianca ficou aliviada, a recepcionista não mentiria na cara dela. Naquela hora, por um instante, a moça se permitiu ter a certeza de que ele não encontraria sua irmã sem que ela soubesse. De certo, Anne realmente ofendeu Anthony. Animada, a moça avançou e adentrou o escritório.

— Por que você está aqui? Você está bem? — Anthony olhou para ela.

— Estou bem. — Bianca colocou na mesa um copo de café que trazia em mãos. — O café... Eu comprei para você. O café desta loja é muito bom e é mais puro do que o café que costumo fazer. —

Anthony olhou para o café sobre a mesa, sem dizer uma palavra, seus olhos negros ligeiramente estreitados vagando por um momento. Bianca tocou a cicatriz coberto pelos cabelos, numa mecha que escapava.

— Me pergunto quando a cicatriz desaparecerá... — Ela não obteve resposta de Anthony e, presumindo que ele não gostara da cicatriz, disse: — Vou encontrar um cirurgião plástico para removê-la, de qualquer modo. Lembro-me de que havia um bom cirurgião plástico em Luton, que tinha uma excelente reputação. —

— Oliver é o responsável pela Clínica de Estética. Ele provavelmente sabe disso. — Anthony foi sucinto.

Essa não era a resposta que Bianca procurava. A moça esperava que o magnata lhe dissesse se a cicatriz afetaria sua atração por ela. No entanto, a pianista se convenceu de que nenhum homem jamais amaria uma mulher com uma cicatriz aparente. Mesmo ela não gostava de sua aparência de outrora. Vendo Anthony tão focado no trabalho, a desiludida disse:

— Você parece ocupado... Voltarei noutro momento... —

— Claro. —

Oliver foi ao escritório relatar seu trabalho e, no final, Anthony disse:

— Jogue fora esse café. —

Oliver pegou o copo café e percebeu que estava cheio. Anthony não havia bebido um gole. Sem entender a situação, o funcionário apenas jogou o recipiente no lixo quando saiu.

Bianca deixou o Grupo Arquiduque e foi para a Mansão Real. Assim que entrou no saguão, ouviu as três crianças gritando:

— Estou com tanta fome! —

— Eu estou com fome também! —

— Eu também! —

Hayden sorriu e respondeu:

— O que vocês querem comer? —

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata