O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 660

Hayden não esperava que as coisas acabassem daquele jeito desastroso. O homem pensou que Anne iria até lá apenas para levar Sarah embora, já que a mulher era sua mãe e se encontrava lá para tentar ajudá-la. Contudo, podia sentir que este era o fim do mundo para a senhorita Vallois. Resignado, o leal funcionário olhou para o senhor Marwood inconscientemente. Sob o céu nublado, o magnata exerceu uma pressão tão intimidante.

— Escuta aqui, minha irmã, você está passando dos limites e... — Bianca queria defender Anthony, mas foi interrompida duramente por Anne.

— Cale a boca, cadela! — Anne gritou, deixando a pianista chocada. Os olhos daquela mãe ensandecida brilhavam como fogo, os punhos cerrados nas laterais do corpo, e ela nem percebeu que suas unhas estavam afundadas na carne. Ao longo de toda a confusão, a jovem já não olhava para a pianista, a quem desconsiderava ter qualquer importância na equação. — Sua mulher é mais importante que seus filhos, Anthony? Por que não percebi que você agiria apenas como um adolescente apaixonado? Jamais poderia ser um pai. Aliás, você realmente não sabe o quão má Bianca é? Sério, você acha que a reação alérgica das crianças foi um acidente? Eu tinha comentado sobre isso com você à toa, afinal? O que houve com sua suposta memória acima da média, cérebro de bilionário e tudo mais? —

— Chega, Anne! Óbvio que foi um acidente! — Bianca se defendeu, às pressas. — Os filhos de Anthony também são meus filhos, eu os vejo como meus! —

— Anthony, estou realmente decepcionada. Pensei que tivesse resquícios de algo que prestasse em você, mas me enganei. — Os olhos de Anne não tinham luz, como se ela estivesse falando sobre algo casual desde o início.

— Você já terminou o espetáculo? — A postura do magnata era aterrorizante.

Anne olhou para baixo e seus lábios se curvaram para cima.

—Creio que sim. Se você não for fazer nada a respeito disso, vou embora. — Dizendo isso, a jovem tentou acalmar a respiração e olhou, temerosa, para o homem.

Bianca continuava parada ao lado de Anthony, mas tinha um ar indiscutível de desespero. Parecia que a falta de ação do homem em resposta às atitudes da sua irmã a provocava muito mais do que se poderia imaginar. Diante de tantos acontecimentos, por que não tomar uma atitude mais drástica? Talvez fosse a hora de ele fazer alguma coisa, como parecia sugerir que poderia fazer. No entanto, após três segundos de troca de olhares, Anne se virou e foi embora, e Anthony não se mexeu.

— Vamos. — Anne pegou a faca do chão e puxou Sarah, que ainda estava atordoada na mesma posição, para dentro do carro.

A mulher resgatada imediatamente acelerou o carro, mesmo que suas mãos ainda estivessem tremendo. De alguma maneira, ainda temia que o homem, de repente, resolvesse correr até o carro para fazer qualquer coisa com as duas.

— Você consegue dirigir? — Perguntou Anne.

— Eu acho... eu acho que sim. — A mulher disse, então o carro partiu, afastando-se da maldita Mansão Real.

Enquanto isso, Bianca sentia que o tapa em seu rosto ainda queimava. Pior ainda: doeu ainda mais do que a dor anterior. Ainda assim, a jovem tinha um problema: não entendia por que Anthony não fez nada. Noutros tempos, aquilo seria motivo para matar Anne, mas lá estava ele, sem dizer sequer uma palavra. Reforçando o teatro criado para convencer o noivo, a pianista soluçou e depois enxugou as lágrimas. Sem aviso, a jovem puxou o braço noivo.

— Anthony, eu... — Antes que ela pudesse terminar, contudo, Anthony, com alguma rispidez afastou o braço da jovem. — Meu Deus, Anthony! — Ela caiu para trás, seu rosto estava pálido e congelado em descrença. — Anthony?! —

— Você não precisa mais vir à Mansão Real. — Disse Anthony, antes de sair.

Bianca, desesperada, tentou arrumar uma explicação, mas não conseguiu:

— Anthony, a história dos frutos do mar foi realmente um acidente. Estou com o coração partido também, você sabe disso e sabe que deve acreditar em mim! —

Anthony fingiu não escutar, e foi direto para o saguão, deixando a pianista totalmente chocada com a mudança drástica de comportamento do noivo. Aquilo tudo foi completamente o oposto do que ela imaginava que aconteceria naquela noite. O magnata não apenas não puniu Anne, mas também empurrou seu braço com frieza. Para bater os pregos do caixão, o homem até ordenou que ela não fosse mais à Mansão Real. Um cenário como aquele nunca aconteceu na relação dos dois, e Bianca jurava que jamais pudesse acontecer.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata