Só Teu! Volume II da Trilogia Doce Desejo. Capítulo 30

sprite

― Estou aqui, filha!

― O senhor não acredita que é um pouco tarde para ser um superpai? ― questionou a voz mirrada.

Henry afundou na cadeira, cruzou a perna e colocou a mão no tornozelo com uma meia preta.

― O Alexander também não estava aqui quando você teve os gêmeos.

― Não se compare ao meu esposo! ― Alterou o tom da voz.

― Ele teve oportunidade de desfazer os erros do passado. E agora vocês encontraram seu outro filho. ― Argumentou logo que venceu o nó que crescia na garganta. ― E tem uma filha a caminho.

Apesar dos conselhos que o esposo lhe deu e de planejar tudo o que perguntaria a Henry na noite anterior, Nicole estava perdida naquela infinidade de mágoas.

― O Marcello e a Sophie destruíram o meu relacionamento e por cinco anos eu pensei que o Alexander tinha me esquecido, da mesma forma que ele pensou que eu estava com outro homem ― desabafou a voz embargada pelo choro. ― Durante anos, eu chorei no túmulo vazio do meu filho.

― Isso tudo é culpa minha! ― Henry abaixou o olhar.

Não tinha coragem de encarar a própria filha.

― É? ― Focou nos cabelos brancos do homem cabisbaixo.

― Se eu tivesse feito a coisa certa, o Marcello nunca teria feito isso.

Lágrimas caíram no canto dos olhos castanhos de Nicole, que ficou quieta conforme esperava alguma reação do pai.

― Eu passei por tudo isso e, agora, o destino se encarregou de desfazer toda maldade e reunir a única família que eu tive na vida.

Nicole olhou para a porta logo que ouviu os ruídos das batidas, Joanna entrou com uma bandeja dourada e serviu uma xícara de chá para Henry.

― Está tudo bem? ― Notou o olhar marejado da sobrinha.

― Retire-se, por favor!

A última coisa que Nicole queria era que a tia se metesse na conversa. Passou anos ouvindo de Joanna que era órfã e não tinha ninguém, além de um pai que a rejeitou.

Nicole remexeu-se na cadeira e acariciou a barriga ao sentir uma leve pontada, uma cólica fraca que a incomodava sempre que estava sob estresse.

Você está bem? ― O olhar clínico avaliou

Estou! ― Respirou fundo. ― Ainda não é a hora.

― Quer que eu chame o Alexander?

Não! Ele está em uma reunião importante! ― Abriu a garrafa e tomou um pouco de água. ― Estou melhor! Nos últimos dias, a Jullie deu esses alarmes falsos.

Jullie? ― Questionou Henry, com um ar curioso.

― Julliane! ― Nicole esboçou um leve

O nome de sua mãe! ― A feição de Henry suavizou. ― Que linda homenagem!

― Obrigada! Como está a sua esposa? ― Nicole mudou o rumo da conversa.

― Heloísa foi diagnosticada com mal de Alzheimer desde que o Marcello faleceu.

no pescoço se repuxaram. Os dedos com manchas senis coçavam a testa com algumas linhas de

fica perdida no tempo e procura o Marcello por toda a casa. Outras vezes, Heloísa parece uma criança. Lembro do dia em que o jardineiro a encontrou no balanço onde o Marcello costumava

Eu lamento! ― Nicole engoliu

tomou um gole do chá e apoiou a xícara no pires em cima da

ela não está se alimentando direito. A única coisa que ela pede é para ver a nossa

A Marcelly? ― Elevou a

― ciciou. ― Ela pensa que você é nossa filha desde o jantar de aniversário

Compreendo! ― Os dedos finos tamborilavam na mesa. ― O senhor participará do evento

― Claro! ― O sorriso aumentou.