Bela Flor - Romance gay Capítulo dezesseis

sprite

POV: Jaejun

Após passar um tempinho com o meu Hyun-Suk, eu precisei ir até à pessoa que jurou quebrar as perninhas dele.

ㅡ Vocês O QUÊ?!

ㅡ Não grita... ㅡ peço um pouquinho recuado.

Estou na casa de Jackson, apenas nós dois aqui. Ele me olha como se quisesse me bater, mas então repousa ambas as mãos na cintura, respira fundo antes de me olhar com mais calma e diz:

ㅡ Tudo bem, agora você vai ter que me contar tintim por tintim.

Eu ainda estou vestido no terno que trabalho, que, por sinal, é dele também.

ㅡ Contar o que? Eu... só dei uma chance a ele...

ㅡ Depois de ter voltado daquele apartamento chorando? JAEJUN EU NÃO TE ENSINEI A SER ASSIM!

ㅡ Poxa, só me entende... ㅡ faço um bico proposital, eu sei que ele amolece com isso.

E é certo quando outra vez ele respira fundo e senta sobre sua cama, no qual eu estou.

ㅡ Ok. Você então gosta mesmo dele, isso nem é mais um segredo, mas o que te fez dar outra chance assim, tão fácil?

ㅡ Eu... não sei. Mas, você sabe, a gente não manda no coração. E eu vi algo bom nos olhos dele... eu acho que ele gosta mesmo de mim também...

ㅡ Acha?

ㅡ Tenho quase certeza. ㅡ sorrio meio sem jeito. ㅡ ele me faz sentir tantas coisas... e falo além do sexual. Eu acho que... também faço ele sentir.

ㅡ Own... ㅡ eu vejo como Jack amolece, e sorrio ainda mais, vendo-o se aproximar de mim, tocando minha bochecha. ㅡ meu bebê está tão crescido. Só que ainda tenho medo. Não quero que esse Park machuque outra vez o seu coraçãozinho ainda tão jovem.

ㅡ Ele não vai.

ㅡ Tem certeza?

ㅡ Eu espero...

ㅡ Jae, eu sei que essas coisas não dão para a gente controlar, mas ele precisa ter consciência de que você está mesmo gostando dele. E se ele fizer aquilo com você outra vez, Deus me livre, mas eu te juro que uso meu réu primário!

Eu rio, divertido, mas assinto porque eu sei que essa é uma nova ameaça que ele com certeza não brincaria se quisesse realizar mesmo.

ㅡ Ok, agora me conta como isso tudo aconteceu. Ele apareceu ontem na sua casa?

ㅡ Não. Ele apareceu lá na empresa.

ㅡ Na Jung's?

ㅡ Sim, mas não dentro. Ele estava lá quando eu larguei... Sabe, ele meio que, me salvou de um doido.

ㅡ Doido?! Que história é essa?

Eu vejo como o Jack arruma sua postura, vestindo aquela capa de irmão mais velho.

ㅡ Não foi nada de mais.

ㅡ Desembucha, Jaejun!

ㅡ Foi só um cara que... talvez tenha sido algo do Hyun-Suk. Ele sabia meu nome, o que me deixou surpreso, mas ele não fez nada de mais comigo...

ㅡ Tem certeza?

ㅡ Uhum. Ele só usou palavras duras e que me machucaram um pouco. Acho que ele ainda gosta muito do Hyun-Suk também.

ㅡ Mas então, como o Hyun-Suk entrou nisso?

ㅡ Ele só entrou. Foi até assustador o modo em como ele apareceu na minha frente como se estivesse ali somente para me defender. Ele mandou o homem ir embora e disse que se ele voltasse a me procurar, iria se arrepender.

ㅡ Que babado! ㅡ Ele cobre a boca com apenas as pontinhas dos dedos. Logo em seguida, um sorriso sem vergonha nasce. ㅡ o Park está caidinho por você mesmo!

ㅡ Acha isso só porque ele apareceu lá assim?

ㅡ Você não entendeu? Ele te escolheu! Tinha você e esse outro homem lá. Ele era bonito?

ㅡ Muito bonito. Ele era alto e magro, e tinha cabelos loiros e compridos, parecia um príncipe de filme.

ㅡ Viu só?! Ele deixou o príncipe de filme e escolheu a florzinha! Você também é lindo, um quesito que com certeza ganha do outro, mas, Jae, ele te escolheu!

Eu rio porque ele é doido. Isso não é sobre escolher, até porque, se alguém escolheu, esse alguém fui eu. Eu bem poderia ter mandado Hyun-Suk ter ido pastar ontem.

Mas, né... eu sou caidinho por ele. Uma droga.

ㅡ Ok, e então, o que aconteceu depois?

ㅡ Ah, a gente só foi jantar.

ㅡ E depois?

ㅡ Ele me levou em casa?

ㅡ E depois?!

Eu não consigo controlar meu riso, ele é muito descarado e curioso!

ㅡ A gente subiu para o quarto e... você sabe. ㅡ eu sinto meu rosto queimar, mas ele mantém-se animado.

ㅡ Conta!

Minhas bochechas esquentam de imediato.

ㅡ Ele fez me gozar sem sequer me tocar.

ㅡ Sério?! ㅡ os olhos dele arregalam, se achegando ainda mais. ㅡ como isso é possível?

ㅡ Não sei, mas ele tem... um jeito que, meu Deus, meu corpo começa a ficar quente.

ㅡ Park Hyun-Suk é melhor do que eu imaginei ser.

ㅡ Com certeza ele é. Ele me fez ficar tão entregue, que apenas vendo ele se tocar, eu gozei. E eu queria mais depois. Eu até... ㅡ meus olhos abaixam, é um inferno sentir minha pele queimar em vergonha. ㅡ eu até pensei em dar para ele ontem.

ㅡ AI MINHA SANTA PURPURINA!

Eu rio do modo em como Jack se ergue, me olhando como se eu tivesse falado a coisa mais incrível do mundo.

ㅡ Florzinha, desde quando você se tornou esse safado?

ㅡ Desde que o Hyun-Suk me tocou. ㅡ cubro meu rosto, me sentindo mortinho. ㅡ é tão bom, Jack... tão, tão bom...

ㅡ Vocês são dois safados que se completam.

ㅡ Acho que sim, mas nos completamos, talvez, além da safadeza também. ㅡ ergo meu olhar, fitando Jackson sentar no centro de seu quarto, no qual tem um tapete gigante de pelúcia rosa-bebê. ㅡ eu gosto do jeito em como ele me olha, como ele sempre sorri e como o Hyun-Suk é sempre tão cavalheiro e paciente. Quando eu disse que queria continuar, ele disse que ainda não era a hora, que só iriamos dormir de conchinha e que sábado ele me mostraria um pouco mais dele. Ele sempre toma tanto cuidado...

ㅡ Você está tão apaixonado... ㅡ Jack fala, sorrindo todo bobo enquanto me olha. ㅡ em parte eu me sinto bem, sei como é o sentimento da paixão no início. O frio na barriga e os sorrisos perdidos. Agora mesmo, você está sorrindo só por falar dele.

ㅡ Eu gosto de sentir isso. ㅡ falo, tentando cessar meu riso que também é bobo, mas o jeito em como Jack me olha, é impossível controlar.

ㅡ Vocês vão se ver hoje também?

ㅡ Hoje não. Hyun-Suk teve que viajar hoje cedo.

ㅡ Para onde ele foi?

ㅡ Para Berlim. Ele contou que precisava resolver algumas coisas de negócios, mas não sei ao certo o que, mas não me interessa tanto... Ele volta somente no sábado pela manhã. ㅡ lamento, mas logo sorrio. ㅡ ele disse que vai me levar a um lugar muito especial nesse mesmo dia. Disse que nesse lugar, é onde está a parte mais importante que eu preciso saber sobre ele.

ㅡ Será que é algo muito ruim? Agora estou preocupado.

ㅡ Claro que não é. Park é um doce.

ㅡ Doce. ㅡ Jack ri, mas pelo seu olhar, lá vem. ㅡ por falar em doce, me conta, ele já chupou o seu?

ㅡ O meu o quê? ㅡ pergunto confuso.

ㅡ O seu doce!

ㅡ Jack! ㅡ ralho. ㅡ você sabe como isso me deixa, mas eu te contei naquele dia... Ele já me chupou sim.

ㅡ Não, seu bobo. Falo do outro doce. ㅡ ele ri, todo safado. ㅡ ele já te chupou no cu?

ㅡ JACK!

ㅡ Anda, não fica com vergonha agora.

Eu rio, me jogando de costas na cama.

ㅡ Não...

ㅡ Não?

ㅡ Ainda não.

Caramba, você ainda vai sentir a melhor sensação do mundo inteiro. Me conta quando acontecer, ok?

ㅡ E como que é, Jack? ㅡ Me viro sobre a cama, erguendo meus pés cobertos por minhas meias. Apoio minha bochecha sobre minha destra e volto a lhe olhar. ㅡ como é a sensação?

Porque não pede para o seu Park te mostrar? ㅡ ele ri, se erguendo para ir até o grande espelho no canto do quarto. ㅡ Tenho certeza que ele irá fazer com todo gosto.

ㅡ Ah... Eu nem teria coragem de pedir algo assim. Acho que no futuro talvez, mas agora não... Se bem que...

ㅡ Quê? ㅡ ele me olha sorrindo.

Eu tive a coragem de pedir para ele me amarrar. Eu gosto quando ele faz coisas assim. Me sinto...

ㅡ hm... ㅡ Jackson se aproxima e deita sobre meu corpo, rolando até cair ao meu lado. Ele se coloca na mesma posição que eu, mas seus pés balançam no ar. ㅡ então se tornou mesmo o sub

o olho de soslaio e franzo o cenho.

ㅡ Como assim?

ㅡ Submisso, ué. Você não é?

Eu sou?

o que pergunto a mim mesmo enquanto ainda sou observado. Bom, eu já li sobre algo assim. Dominação e submissão. Já vi em alguns livros e até em filmes, o que ainda é bastante vago em minha mente.

ㅡ Eu não sei... Hyun-Suk não falou nada sobre eu me tornar algo assim dele. Não ainda.

pensei que vocês já estavam tendo uma relação assim também. Mas se ele te pedir, você irá aceitar?

Eu penso em responder, mas antes que de fato eu responda, o celular dele começa a tocar, e, mesmo que Jack tente disfarçar, eu percebo o modo em como ele sorri e também suspira ao ler o nome de quem lhe liga.

ㅡ Oi, doçura. — é o que ele fala assim que atende. ㅡ Já chegou? Estou no quarto.

É o Yejun? ㅡ pergunto logo após ele encerrar a ligação.

assentir, então tomo aquilo como a deixa que precisava para enfim ir para a casa.

Vou deixá-los a sós. ㅡ sorrio buscando minha bolsa, logo a colocando sobre o ombro.

Ah, não. Já vai porquê? ㅡ ele pergunta fazendo bico e se ergue, e como sempre, ele me abraça, me impedindo

ㅡ Preciso ir, está tarde e não quero atrapalhar você e o Yejun.

A gente não vai fazer nada de mais. Eu acho.

Acha. ㅡ ri negando. ㅡ Você deveria pedir logo o Yejun em namoro, sabia?

ㅡ Fica quieto!

Eu rio ainda mais, mas no mesmo segundo, Yejun entra no quarto. Ele se surpreende quando me vê, mas eu me surpreendo ainda mais, vendo a sacola que ele tem nas mãos.

ㅡ Essa loja não é um sex shop? ㅡ interrogo, vendo-o sorrir todo sem jeito.

Eu acho que é. ㅡ responde baixo.

ㅡ Hm...

ㅡ Você comprou mesmo? ㅡ Jackson se anima para ir até o Yejun. Eu o vejo buscar a sacola e a abrir. Curioso, eu vou até lá também, e vejo-o buscar a caixa e retirar a tampa, mostrando o objeto que há

ㅡ Minha nossa! ㅡ eu digo, mas Yejun só rir, enquanto Jackson me olha com sua cara de paisagem.

ㅡ Até parece que nunca viu um vibrador na vida, né?

Reviro os olhos, mas me atento em como aquele dildo é diferente do que eu tenho em casa.

ㅡ Você comprou o rosinha de borboleta? Obrigado, docinho, você é o melhor! ㅡ Jackson agradece a Yejun com um selinho miúdo, fazendo-o ficar sem jeito.

Porque tem duas pontas? E porque essa aqui é inclinada para cima?

Jackson olha para Yejun, sorrindo outra vez como um safado, mas também em pura cumplicidade.

que essa ponta menor... ㅡ ele aponta para o lado inclinado para cima. ㅡ vai entrar na aranha do Yejun e vai ficar lá, encaixadinha. Assim ele fode me fod- quer dizer, ele pode foder quem ele quiser,

Você não precisa falar assim, idiota, ele já entendeu. ㅡ Yejun resmunga, mas Jack apenas

aqui entra e fica firme lá, e é maravilhoso porque fica estimulando ele enquanto ele também... sabe? Vai metendo… Já esse lado vai… na outra

Eu semicerro os olhos.

Vocês vão usar juntos? ㅡ pergunto surpreso, mas vejo ambos negam

que não, a gente é só amigo,

É, só amigos… — Yejun rir, sem sequer tentar esconder que a resposta é mais do

Amigos que fazem safadeza juntos, isso sim! ㅡ eu rio. ㅡ isso

ㅡ Jack caminha até a cama e busca o controle, sentando sobre o colchão quando começa a montar o vibrador. E quanto já está pronto, ele liga na velocidade

uma britadeira. ㅡ eu brinco, mas Yejun senta ao lado de Jackson e toca, sorrindo para ele, parecendo muito animado. ㅡ Ok, eu

ㅡ Fica um pouquinho mais.

eu já vou. ㅡ sorrio e busco meus sapatos. ㅡ

Tchau, Jae. ㅡ Yejun acena. Eu aceno de volta e quase desejo um "boa safadeza", mas me controlo e apenas sigo para fora da

caminho até o ponto de ônibus, sinto meu celular vibrar e, assim que o pego, noto o nome de Hyun-Suk piscar na tela. Um sorriso grande nasce em meus lábios, então apronto-me a

ㅡ Oi...

Olá, meu bem. ㅡ ouço sua voz rouca. ㅡ boa

que há chances de um coração de apenas dezenove anos parar só por ouvir uma voz? O meu

Boa noite. ㅡ falo, tentando não evidenciar como me sinto ao ouvi-lo e sento no banco que há na parada de ônibus. ㅡ é bom dia para você,

na verdade, já é tarde aqui. ㅡ ele ri, ainda com o tom abafado. ㅡ mas acabei de acordar. Fui dormir muito tarde e acabei perdendo

homem de negócios anda bastante ocupado, não é? ㅡ brinco, sentindo meu coração um pouco mais

ㅡ ouço-o bocejar e logo o barulho de movimentação e passos. ㅡ estou agora mesmo olhando a paisagem que a Alemanha proporciona, mas queria mesmo estar olhando para o teu sorriso... Da próxima vez eu te quero aqui

ônibus no qual irei pegar vindo, e fico

é tão simples assim, você

Claro que é. É só você aceitar. Você aceitaria viajar comigo na próxima

Eu não sei... Além do trabalho,

ㅡ O quê?

É que eu tenho medo de altura. ㅡ falo adentrando o ônibus, pagando minha passagem e sorrindo quando me sento em um dos últimos assentos livres. ㅡ tipo, muito

ㅡ Mesmo? ㅡ ele pergunta rindo.

Uhum, eu morro de medo. ㅡ falo, olhando através da janela. ㅡ Tenho medo de morrer. Vai que a gente morre juntinho e bem antes de

fala no mesmo momento em que percebo o que ia dizer, mas Hyun-Suk é ainda mais rápido quando

ㅡ sexo?

encolho um pouco sobre o banco e sorrio totalmente sem

ㅡ Eu ia dizer... Fazer amor.

por segundos fica em silêncio, e eu começo a me

eu tenho que falar

M-Mas isso é sexo de qualquer jeito... ㅡ falo rápido, ouvindo um suspiro

Prometo que não iremos morrer, anjo. ㅡ ele fala, livrando-nos do assunto anterior. ㅡ mas se te faz sentir-se mais aliviado, posso segurar

Se for assim eu acho que posso pensar então... ㅡ sorrio ao imaginar nossas mãos juntas. ㅡ o que fará