Bela Flor - Romance gay Capítulo dezessete

sprite

Os dias se passaram com lentidão.

Era como se todo o mundo gostasse que eu sentisse os milésimos de segundos ruins que era a minha fatídica existência. Porém, consegui trabalhar toda a semana sorrindo. Estranhamente fiz isso sem sequer perceber, apenas me sentia à vontade na Jung's.

Quando chegou a sexta, noite passada, saí com todos os meus amigos e consegui beber e me divertir como sempre nos divertíamos.

Sentia saudade disso também.

E hoje, sábado, espero ansiosamente por ele.

Com Jackson por vídeo chamada, provo as roupas que Park Hyun-Suk mandou ser entregue em minha casa pela manhã.

Admito, achei muito estranho ter uma pessoa às dez da manhã em minha porta, entregando-me enormes sacolas de uma marca de roupa que eu sequer sei falar o nome, mas o homem apenas se apresentou como "motorista" de Hyun-Suk e disse que aquele era um presente.

Não me surpreendi tanto pelo exagero porque se tratando de Hyun-Suk, já entendi que ele age assim.

Agradeci e abri as sacolas com pressa. Dentro de uma daquelas, havia uma caixa e sobre ela um bilhete colado sobre a tampa, e escrito à mão.

"Para a nossa noite. Não abra até que eu chegue. Te vejo às nove". Era exatamente isso que havia escrito.

A deixando separada sobre minha cama, liguei para Jack e comecei a provar as roupas. E é exatamente onde estamos agora, provando roupas de uma marca que eu desconheço, enquanto eu me sinto mais animado por ser o dia de ver o meu Hyun-Suk, do que de fato ter ganho roupas tão bonitas.

ㅡ Eu não consigo nem falar o nome dessa marca. ㅡ rindo, mostro a etiqueta a Jackson.

ㅡ Eu conheço, é alemã. ㅡ ouço Jackson dizer.

Ergo o moletom preto e em seguida retiro a peça que visto para colocá-lo de modo animado. Adoro moletons.

ㅡ Deve ser. Ele voltou hoje da Alemanha. ㅡ falo vestindo a roupa, me olhando no espelho. ㅡ Mas eu não queria que ele trouxesse tantas coisas assim para mim. Deve ter custado muito.

ㅡ Vai devolver? ㅡ ele pergunta e sinto o tom de deboche em sua voz.

Ainda sem o responder, aprecio a peça em meu corpo, e também a calça justa e preta que ele me deu.

EU TENHO UMA CALÇA NOVA!

Sorrindo com meu próprio pensamento bobo, olho para Jackson e nego.

ㅡ Não sou nem doido de devolver.

ㅡ Ainda bem. Deixa o rico gastar.

ㅡ Rico? Ele disse que ganha trezentos dólares por segundo!

ㅡ Caramba, ele vive na grana.

ㅡ Pois é, mas saber disso me deixou ainda mais sem jeito. Tenho medo de que pensem que estou com ele por isso.

ㅡ Você nem comece a falar sobre o que vão pensar, ou eu juro que chego na sua casa em dez minutos e bato nesse rostinho lindo que Deus lhe deu. Para de pensar no que vão achar. Ninguém tem que achar nada, só você.

Eu rio de sua fala e retiro o moletom. Seto sobre a cama com meu tronco despido e olho para a caixa no canto.

ㅡ Eu não quero ser um gigolô, Jack, você sabe disso...

ㅡ Mas quem disse que você está sendo ou que se tornará um? Está apenas aceitando um presente do seu namorado, qual o problema?

ㅡ Ele não é meu namorado...

ㅡ Meu é que não é.

ㅡ É sério. E o problema é que eu não quero que ele se acostume a isso.

ㅡ Você já deixou claro, não foi? Apenas deixe ele te presentear e quando achar que é algo demais, fale.

ㅡ Tudo bem...

ㅡ O que é essa caixa aí?

Eu busco a caixinha que Hyun-Suk me deu e mostrou-o.

ㅡ É algo que ele mandou também, mas eu não posso abrir até que ele chegue.

ㅡ E porque não?

ㅡ Não faço ideia. ㅡ dou de ombro. ㅡ Mas irei obedecer.

ㅡ Um bom garoto. ㅡ ele brinca, mudando de posição e deita-se em sua cama. ㅡ O que farão hoje? Já descobriu?

ㅡ Ainda não, ele não me disse onde de fato vai me levar.

ㅡ Quanto mistério.

ㅡ Hyun-Suk é assim. Eu disse que ele era muito misterioso às vezes, mas ele falou que não consegue não ser. É o jeito dele.

ㅡ Hm... Se forem fazer alguma putaria, grava para eu ver depois?

ㅡ Vai foder Jack!

Nós dois explodimos em risadas altas e escandalosas.

ㅡ Falo sério, aquele homem todo misterioso deve estar planejando algo muito bom, eu quero ver. Vocês precisam gravar para que eu possa apreciar.

ㅡ Ok, tchau. Eu vou desligar!

Jackson tenta falar algo, mas eu rio e desligo bem na sua cara.

Em seguida ele começa a lotar meu celular de mensagens de xingamento. Mas eu nem ligo, apenas bloqueio o celular e volto a encarar a caixa.

Eu poderia ao menos dar uma espiadinha, não é?

Não! Se ele pediu para não abrir, eu não devo abrir.

Devolvo a caixa à cama, e me ergo para descer até minha cozinha. O trajeto não demora. Em poucos segundos estou encarando a geladeira aberta e analisando tudo que há dentro.

Não há muita coisa, então não tenho muitas opções. Opto por uma maçã, lembrando-me do conselho de Jackson assim que contei que sairia com Hyun-Suk hoje.

"Não exagere na comida. Alimente-se bem, e se for necessário, faça a chuca!"

Sentando sobre meu sofá e encarando a parede, eu devoro a maçã enquanto penso no que será que ele está querendo aprontar comigo hoje.

Hyun-Suk apenas disse que eu descobriria mais sobre si.

E isso está atacando minha ansiedade outra vez.

Tento fazer alguns exercícios de respiração que aprendi, e isso até ajuda um pouco.

Mas a minha fome continua, e, depois de devorar a primeira maçã, eu corro até a geladeira e busco outra, para devorá-la com rapidez e seguir para meu banheiro, tentar, de alguma forma, pintar meus cabelos sem fazer uma lambança.

Eu não deveria fazer isso no mesmo dia em que vou sair, mas eu já sou quase profissional nisso, então tenho certeza que não vou sair com a testa ou a orelha manchada, por exemplo.

Quando o relógio avisa que já são sete da noite, me ergo do sofá cheio de entusiasmo e vou até tudo o que um dia, eu, Jackson e Taeshin compramos na farmácia.

Encaro a ducha.

Nesse instante, me encontro sentado sobre o vaso sanitário. O manual também está em minhas mãos, e eu já o li e reli diversas vezes.

O que falta mesmo é só coragem.

Não coragem de pegar o objeto e enfiar em mim. Isso não. Coragem do que significa fazer isso.

Eu sei que quero. Quero muito. Imagino e até já sonhei com isso.

Ok, é um segredo que vou contar que sequer Jack ou qualquer um dos outros souberam. Ontem, enquanto eu estava dormindo, eu... meio, que... sabe?

Não?

Poxa... ok, eu sonhei que Hyun-Suk e eu fazíamos amor.

E caramba, foi bom. Eu acordei todo coisado e tive que descabelar o palhaço logo cedinho, me senti até mesmo um tarado por ele.

Mas eu sei que a realidade pode ser diferente, e isso me dá um frio intenso na barriga.

Eu já me sinto livre com o "gostar" de outro homem, já entendo que nasci assim e que isso faz parte de mim, mas se eu ainda não tenho coragem de introduzir o pau rosa de borracha que tenho, em mim, como poderei ficar calmo e a vontade de ter Park Hyun-Suk dentro de mim?

Não é somente sexo. Sinto que ㅡ principalmente ㅡ com ele, precisa ser mais. Que é mais.

Eu o quero demais, mas não tenho pressa alguma. Talvez Hyun-Suk também me queira, e talvez ele queira até mais também, mas não sei se ele terá tanta paciência assim.

Algo me diz que ele poderia me esperar também, mas não tenho tanta certeza assim.

Mas tento essa percepção sobre minha própria vida e escolha, eu repouso o tubo sobre o mármore da pia do meu banheiro, e me afasto.

Encaro aqui ali. Não estou pronto ainda.

Sinto meu coração ainda acelerado com toda essa ansiedade e agonia que me toma, mas é isso que penso.

Não precisa ser agora.

Deixando a chuca de lado por um tempo, eu foco em meu banho. Lavo meus cabelos recém tingidos e vividos, e passo sabonete em todos os lugares possíveis. Todos mesmo.

Após isso, busco meu óleo corporal favorito ㅡ e único que tenho ㅡ e passo por todo meu corpo ainda no banho. Sentindo o aroma doce de morango se espalhar em mim.

Sorrio sozinho ali. Imagino Hyun-Suk sentindo aquele aroma e roçando seu nariz por minha pele. Isso faz todo meu corpo arrepiar no mesmo instante.

É como se já soubesse seus caminhos em mim. Sento suas mãos me apertando, o toque firme, o jeito em como ele se derrete comigo. Sinto até mesmo seus beijos cheios de pressa.

Estou louco, mas é por ele.

Passo cerca de quarenta minutos no banheiro.

Quando saio do banheiro enrolado em uma toalha, caminho até meu guarda-roupa e tento decidir cada uma das roupas que tenho e até coloco como opção algumas das que ele me presenteou, optando no fim pôr a calça preta e justa que me deu, e uma blusa de seda azul que eu já tinha.

Deixando as peças estiradas sobre a cama, sento ao lado e busco meu celular, vendo que já há mensagens de Hyun-Suk ali, o que, involuntariamente, me causa um riso bobo.

Hyun-Suk:

|Sei que está cedo, mas gostaria de te ver agora. Será que posso?

Franzo o cenho ao notar a hora. Não são nem oito da noite, e ele já quer vir?

Eu nem sequer sequei e penteei meus cabelos!

Hyun-Suk e essa mania de sempre chegar antes da hora...

Mas uma coisa que meu coração faz é trair minha mente. Enquanto ela indaga cada coisa que eu ainda não fiz, ele comanda meus dedos e digita uma única mensagem.

Jaejun:

|Pode

Largando o aparelho rápido, eu corro ainda sorrindo e busco meu secador, jogando-o sobre a cama para apenas me livrar da toalha e colocar uma cueca.

Já vestido, seco ligeiramente meus cabelos, percebendo o quanto a cor ficou realmente vívida.

Ajeitando meus fios da maneira mais desgrenhada possível, busco a calça, vestindo-a e deixando apenas sem fechar. Logo buscando a blusa para também vestir, prendendo por dentro da calça e só então a fechando.

A blusa é cumprida, o que me deixa ㅡ talvez ㅡ um pouco sexy, mas muito mais sério do que quero parecer.

Então resolvo ergue-las um pouco sobre os punhos, e no momento seguinte que olho-me no espelho, aprovo o modo em como ficou e volto a ajeitar meus cabelos.

Nesse curto prazo de tempo, enquanto me divido em meus surtos, ouço batidas em minha porta, o que me faz ter ainda mais surto.

ㅡ Não estou pronto! ㅡ falo comigo mesmo, correndo até meu guarda-roupa.

busco o perfume que Jackson me deu e coloco um pouco. Uma última olhada no espelho e então corro para abrir a porta.

E é certo, assim a abro e vejo o meu loiro lá, pulo em seu pescoço, dando-lhe o maior e mais forte abraço, matando toda a saudade que meu corpo carregava.

Park também me abraça em retorno, e seu cheiro logo adentra minhas narinas, me enchendo de prazer e me fazendo suspirar durante o aperto, sentindo cada partícula do meu corpo amolecer.

ㅡ Senti saudade, meu bem.

Ele diz. A voz abafada em meu pescoço.

ㅡ Também senti. ㅡ falo me afastando um pouco, vendo seu lindo sorriso. ㅡ Pode entrar.

Tendo soltá-lo para dar passagem, mas Hyun-Suk apenas me puxa ainda mais contra seu corpo e junta seus lábios aos meus. Eu poderia afastá-lo já que com certeza senhora Lee está em sua varanda espiando tudo, mas sequer dou razão a nada. Apenas o seguro firme e o abraço novamente, sentindo o beijo desesperado e cheio de suspiro que ele me dá.

ㅡ Realmente senti saudade disso. ㅡ ele apenas sussurra, ainda perto de mim, e ainda do lado de fora. ㅡ muita saudade, Jaejun.

ㅡ Eu também, mas vem, entra. ㅡ Seguro sua mão e o puxo.

Hyun-Suk entra, mas somente me dá tempo de fechar a porta.

Com seu jeito, ele me prende ainda sobre a madeira e volta a me beijar. Eu deixo com que ele me leve, e apenas ergo minhas mãos, levando-as até seus fios loiros e macios.

Com o toque, sinto quando seu tronco toca o meu com força, me encurralando ainda mais. Ele me segura na bochecha, mas rapidamente desce seu toque, segurando minha cintura, deixando um leve aperto ali.

ㅡ Você está lindo. ㅡ fala mordiscando meu lábio inferior. Sorrio para ele e apenas chupo seu lábio em seguida, me afastando minimamente.

ㅡ Gostou da roupa? ㅡ pergunto.

Seu olhar desce por todo o meu corpo me analisando, e quando retorna para meu rosto, assente.

ㅡ Está lindo como sempre, meu bem. ㅡ diz fazendo uma leve pausa e volta a se aproximar mais. ㅡ pena que terá que tirá-la.

Meus olhos se abrem rapidamente quando constatam o que acabou de ser dito por ele. Apenas o sinto me beijar em um selar longo e vejo-o se afastar em seguida, sentando em meu pequeno sofá enquanto me encara de lá, sorrindo.

ㅡ Tirar? ㅡ pergunto ainda parado no mesmo lugar.

ㅡ Recebeu meus presentes? ㅡ pergunta mudando simplesmente de assunto. Assinto ainda processando tudo e me aproximo dele.

ㅡ Aquelas sacolas cheias de roupas de marcas? ㅡ falo um pouco mais firme ao me sentar ao seu lado. ㅡ precisamos conversar sobre isso, Hyun-Suk.

ㅡ Não gostou?

ㅡ Eu adorei, mas... aquilo foi um pouco demais.

ㅡ Tudo bem, nós conversaremos depois, tudo bem? ㅡ ele diz, mas se ergue em seguida, estendendo a mão em minha direção. ㅡ posso ver como cada coisa fica em você? Fiz questão de escolhê-las eu mesmo.

Eu desmancho novamente ao ouvi-lo pedir por aquilo, e, mesmo que eu já tenha provado tudo para Jackson, apenas assinto para ele, segurando em sua mão quando agora caminho em direção ao meu quarto.

Hyun-Suk entra ali quieto, sentando na beira de minha cama, me dando a visão de suas coxas bonitas e grossas sendo apertadas pelo jeans que veste. Instintivamente lembre-me delas desnudas.

Céus!

Suas roupas são escuras, o que, raramente, eu o vejo vestir. Hyun-Suk veste uma jaqueta escura e de couro, e talvez ㅡ posso não ter tanta certeza ㅡ acho que ele veste uma camisa transparente por debaixo daquilo. Ou apenas está sem camisa, vai saber, mas consigo ver sua pele alva bem abaixo da jaqueta, e isso me faz ficar atento e quente.

Mas tal constatação também me faz ficar nervoso. Porque caralhos, Hyun-Suk estaria sem camisa ou com uma transparente?

ㅡ Qual você quer ver primeiro? ㅡ pergunto afastando aqueles pensamentos.

ㅡ Você escolhe. ㅡ fala e apoia-se sobre os cotovelos, deixando o corpo parcialmente deitado.

Posso estar enganado, mas Hyun-Suk está me atiçando.

Sorrindo, assinto e então pego a primeira peça. É trágico ter que retirar minha roupa, quando essa foi escolhida especialmente para sair com ele, mas admito que a ideia de ter Hyun-Suk analisando cada peça que me deu, com seus olhos grudados em mim, é melhor que qualquer coisa.

Abrindo os botões da camisa que visto, retiro-a sem cerimônias, e então visto o mesmo moletom que mostrei antes a Jackson.

Você acha que a calça ficou boa? ㅡ pergunto a ele, virando propositalmente minha bunda. Hyun-Suk riu soprado e voltou a sentar, passeando a mão ali.

ㅡ Ficou linda.

Olho-o por cima do ombro, ainda segurando o moletom em

ㅡ Mesmo?

Mordo meu lábio ao senti-lo apertar os dedos em minha carne.

ㅡ Mesmo.

Sorrio, desviando meus olhos e enfim visto o moletom, virando-me de frente.

Eu gostei muito desse, foi meu favorito.

Ficou muito bom em você, e como eu sei que você gosta desse tipo de roupa, eu escolhi.

ㅡ É confortável. Obrigado...

Não agradeça. Veste a vermelha pra mim, por favor.

seu pedido, retiro o moletom e pego a camisa gola aberta na cor vermelha. O tecido é fino, e um tanto transparente, mas não chega a ser vulgar. O caimento é bem bonito e parte do meu pescoço e clavícula ficam à mostra.

ㅡ Como imaginei, ficou perfeita.

ㅡ Acha mesmo?

ㅡ Jamais mentiria para você, baby.

Suas palavras chegam com certa força em mim, e perco-me em segundos analisando cada parte do rostinho dele.

É um sonho. Estou apaixonado por um homem lindo, educado e galanteador. Poderia algo dar errado?

meus pensamentos, agora retiro a blusa, deixando meu tronco desnudo para buscar outra peça. Porém, Hyun-Suk me impede de fazer, buscando minha mão para meu corpo parar entre suas pernas.

Com a diferença de altura que estamos agora, eu rio e acaricio ambas as suas bochechas, somente para deixar um beijo sobre a pontinha de seu nariz em seguida, vendo-o novamente sorrir soprado.

ㅡ Você me faz sentir-se novamente como adolescente, sabia?

Mesmo? ㅡ pergunto o olhando nos olhos. ㅡ e isso é bom, certo?

que sim. Não fui um adolescente muito fora do normal, mas o que digo é que me sinto intenso junto

Hyun-Suk-ssi... Você consegue me deixar ainda mais louco quando fala assim.

ㅡ Isso é bom, certo? ㅡ pergunta segurando agora minha cintura. Eu assinto, debruçando-me um pouco sobre si, e deixando com que meus joelhos se apoiem nas laterais de seu quadril, apenas para sentar-me sobre suas coxas, sendo então abraçado por seus

ㅡ Isso é ótimo.

Sem ter mais o que ser dito, eu apenas avanço sobre os lábios dele, sentindo a necessidade e o desejo de tê-los juntos aos meus. Hyun-Suk apenas se entrega, fazendo com que meus dedos subam por seus cabelos e ali se percam.

É bom tê-lo assim. Sinto-me bem estando sentado sobre si e isso sempre faz com que me sinta ainda mais como eu mesmo.

Ter a percepção de como antes eu vivia preso em mim mesmo é algo que vem no mesmo momento em que sinto meu corpo ser jogado devagar para o lado.

pensei que me sentiria tão livre tendo outro homem entre minhas pernas, beijando meu pescoço como agora tenho.

Sentindo-o sobre mim, eu ergo devagar meu corpo, demonstrando o quanto o quero e o quanto aquilo me faz bem. Hyun-Suk ofega, mordendo com pouca força minha pele para em seguida marcá-la com um chupão sobre minha clavícula.

Sentindo sua boca trabalhar, eu gemo baixo, pedindo inconscientemente para que continue.

E ele continua.

São vários os beijos e chupões que ele distribui por meu peito nu. Tenho certeza que uma trilha está sendo deixada, e apenas quando chega em meu umbigo, é que tenho forças para abrir meus olhos ao sentir que seus dedos dedilharem o zíper da minha calça.

Hyun-Sukie. ㅡ chamo enquanto respiro com força. Ele ergue o olhar ㅡ Sem sexo...

Hyun-Suk ergue o corpo, mas deixando-o ainda sobre o meu, ele sobre até deixar que seu rosto fique de frente com o meu.

ㅡ Te machuquei? Desculpe. ㅡ ele fala, mas apenas nego, sorrindo para seu rostinho lindo.

ㅡ Não é isso... você não

Pensei que tivesse te machucado com os chupões.

ㅡ Não... Estava gostoso. Muito, muito gostoso. ㅡ falo agora sentindo a vergonha me consumir. ㅡ é que eu não fiz a... Chuca.

Hyun-Suk agora senta sobre mim.

Tudo bem, mas eu não sabia que você já tinha esse tipo de coisa, até pensei em comprar a ducha para você, e, quem sabe, te ensinar a usar.

Hyun-Sukie... eu não quero falar disso com você.

Sou incapaz de manter o olhar com o dele. Mas ele ri.

Para de rir! ㅡ peço deixando meu próprio riso vir, mas quando então o olho, seu riso é tão intenso que seus olhos se formam em duas pequenas linhas.

ㅡ Isso é comum, minha flor. Sabe que eu mesmo tenho uma, certo?

ㅡ Você tem? ㅡ arregalo meus olhos.

ㅡ Tenho, baby.

Mas isso significa que você... ㅡ eu não consigo terminar a frase, mas Hyun-Suk entende.

ㅡ Significa que se eu posso te foder... ㅡ ele fala e se aproxima mais, grudando a boca em meu ouvido para apenas prosseguir em um sussurro. ㅡ você também pode me foder.

Como uma bomba prestes a explodir, meu coração bate desenfreadamente.

É óbvio que nós dois temos paus, isso já é algo que eu percebi há muito tempo. Aliás, foi uma ótima ㅡ e óbvia ㅡ percepção. Mas ter pau numa relação como a nossa significa que eu também posso colocar o meu dentro dele?

Eu posso fodê-lo?

posso te foder? ㅡ pergunto curioso e ele apenas assente, tranquilo. ㅡ

Claro que pode, baby, eu não sou adepto a apenas ser ativo. Caso você queira um dia experimentar, eu vou adorar comandar você me fodendo.

Minha nossa senhora.

Eu nunca comi ninguém. ㅡ Aviso. ㅡ Quer dizer, uma vez a minha prima me pôs dentro dela, mas não foi legal... aquilo nem deveria ser chamado de sexo. Acho que ainda sou virgem de tudo...

Hyun-Suk ri, de modo que seus olhos somem outra vez, e observando aquilo ainda mais, sinto meu coração se acalmar e apenas derreter.

É fofo.

Você é fofo, Jaejun. Se for mesmo virgem, eu devo ter ainda mais calma.

ㅡ Mas não muita. ㅡ falo ligeiro. ㅡ eu te aviso quando... eu estiver pronto, ok?

Hyun-Suk ri mais, mas assente.

Onde está a caixa que pedi para te entregarem?

ㅡ Ah! ㅡ me ergo rápido, abrindo a última gaveta do meu guarda-roupa e a retirando-a de lá. ㅡ Eu tinha acabado de guardar.

olha-a, assentindo, mas seu olhar recai sobre a gaveta ainda aberta, e seguindo-o também, eu quase engasgo quando percebo para o que ele olha.

Isso não é meu! ㅡ é o que digo rápido. ㅡ quer dizer, é meu sim, mas eu nunca usei, juro juradinho.

Ele ri pegando a caixa de minhas mãos e dá de ombros.

se preocupe, meu bem. Eu também tenho meus

Vendo-o arrumar a postura e colocar a caixa a sua frente, eu fecho a gaveta encarando o pau rosa ali mortinho de vergonha. Caminho até Hyun-Suk e sento sobre a cama também, ficando de frente para ele.

curiosidade é totalmente enorme, e ansioso, espero para que abra a

de abri-la. ㅡ ele fala, me fazendo erguer o olhar para prestar atenção em suas palavras. ㅡ Preciso que saiba

alguém fala isso, geralmente algo revelador ou bombástico vem em seguida. Percebendo isso, adivinhem como eu

Isso mesmo, nervoso!

me deixa nervoso falando assim. ㅡ sou sincero, vendo-o negar, deixando a caixa de lado para buscar minhas

Não fique. Apenas quero conversar algo com você antes

Tudo bem. ㅡ falo mordiscando meu

Você já ouviu falar

meus olhos ainda atentos e a ele, eu engulo em seco, sentindo toda a ansiedade retornar e

Então já ouviu falar sobre dominação e

mais nervoso, isso é certo, mas outra vez

verdade, depois da minha conversa com Jackson ㅡ sobre ele me perguntar se eu era o submisso de Hyun-Suk ㅡ todo o assunto rodou por vezes em minha cabeça. Sei que ele usou o tom de brincadeira quando me chamou de submisso do Park, mas a real é que eu pesquisei. O que pode não ter sido o bastante, mas que deixou muita coisa

sei que Hyun-Suk ㅡ talvez ㅡ pratique BDSM, ele já deixou algumas coisas escaparem, e ficar um pouquinho mais por dentro disso, me fez sentir um pouquinho mais dentro de seu

Já ouvi falar, mas eu também já pesquisei...ㅡ cruzo as pernas, sentando sobre elas, apenas para prestar mais atenção, pois sei que Hyun-Suk está disposto a conversar sério

não preciso explicar que as palavras: dominação e submissão, vem da sigla

eu vi sobre isso também, mas você pode me explicar melhor, não

que posso, meu bem, estive ansioso para te falar disso. ㅡ ele diz ao acariciar brevemente meu rosto. ㅡ BDSM é a sigla usada para se referir a um conjunto de práticas que podem ser tanto sexuais ou não. O "B" refere-se

Bondage é o que fizemos da outra vez, não é?

talvez me sinta feliz por entender um tiquinho disso, e quando vejo Hyun-Suk sorrir e assentir, meu peito até se enche de orgulho

quando te prendi a cama, quando também te fiz resistir e ficar com as mãos paradinhas sobre as coxas enquanto me tocava. "Bondage" significa prender, amarrar ou resistir. A prática sempre deve acontecer com consenso, essa é a principal regra. ㅡ Ele fala tudo muito devagar e de modo que fique bastante claro para mim. Eu assinto dando a entender que estou o compreendendo, então Hyun-Suk continua. ㅡ O "D" significa Disciplina e também Dominação. Essa parte eu gostaria que conversássemos um pouco mais depois caso queira, porque eu sou um

significa que você gosta de

Bom, mais ou menos. ㅡ sorri. ㅡ eu gosto de dominar. De ter o controle e de

ㅡ Então... Eu devo te obedecer?

Não, você não me deve nada, meu bem. Não temos um relacionamento denominado ainda, mas quando existe uma relação entre dominador e submisso, autodenominada, esperasse que sim, obedeça durante as práticas. E se caso durante a prática uma ordem não seja obedecida, o dominador pode punir o seu

Punir você quer dizer: bater? ㅡ

pode ser uma forma de punição. Mas como disse, Jaejun, tudo precisa de um consenso. Eu não posso apenas bater em um submisso porque acho que esse deva ser o castigo. Se o submisso em questão, não admitir isso, eu não posso, de maneira alguma, praticá-lo. Todos precisam sentir prazer com qualquer que seja o ato, e não somente um. Então existem vários tipos de castigo. Isso vai do que ambos ou o

ㅡ Grupo?

existem dominadores e dominatrix com dois ou mais submissos,

ㅡ Você... tem quantos?

meus lábios, sinto um pouco de receio quando a resposta que ele me

ㅡ Até então, nenhum.

ㅡ Ah...

quando assinto, mas ele continua

Como falávamos de castigos, um exemplo bem legal é que eu, como dominador, posso castigar o meu submisso através do psicológico. Também posso privar, ou até mesmo atiçar. Vai de como o relacionamento entre dominador e submisso é. Eles podem conversar sobre o que mais gostam e o que menos

Ah... eu... hm, posso perguntar uma coisinha

ㅡ Claro.

ㅡ Você já teve quantos submissos?

ㅡ Já tive alguns.

ㅡ Alguns... muitos?

total foram quatro. Três garotos, e uma garota. Hesun, o garoto que você conheceu, ele foi o

V-você dominava ele? ㅡ praguejo-me por gaguejar na frase, mas ainda controlando a respiração, aguardo com

Sim. ㅡ ele diz, simplista. ㅡ Mas nunca dei a ele uma coleira. Como te disse, ele se tornou demais, e a relação não foi nada

ㅡ Assinto sem saber como reagir ao assunto, e apenas balanço minhas mãos, pedindo para que

O "S" você já deve presumir que significa submissão. Ele e o "D" sempre fazem a dobradinha, pois num relacionamento BDSM, sempre haverá um que domina e outro que, voluntariamente, se

Posso te fazer outra pergunta?

sempre pode. ㅡ ele responde sorrindo, mas demoro alguns segundos para enfim tomar coragem e

ㅡ E-Eu sou... seu submisso?

pergunta de fato não é essa, anjo, e sim se você quer se tornar meu submisso. Você deve se entregar a mim assim apenas se quiser. Porém, eu reparei que você pode ser adepto a práticas sim, por isso quis ter essa conversa e esclarecer toda e qualquer dúvida que

ㅡ assinto e até sorrio pequeno. ㅡ Você explicou o "B", o "D" e o 'S", o que significa

Certo. O "M" junta-se ao "S" também, que além de submissão, significa Sadismo. O sadismo e o Masoquismo são um pouco mais complexos, porque algumas pessoas os cultuaram com o significado um pouco ruim, o que não é. ㅡ ele faz novamente a pausa para que perceba que estou compreendendo cada palavra. ㅡ A Sigla S/M é, em minha opinião, a dupla mais conhecida no BDSM. Os praticantes do sadismo são aqueles que sentem prazer em praticar dor, seja ele fisicamente, mentalmente ou emocionalmente. E os praticantes do masoquismo, são aqueles que sentem prazer em sentir a dor. Geralmente são alvos dos sádicos.

Entendi. ㅡ balanço a cabeça, recapitulando cada coisa. ㅡ Bondage, Disciplina, dominação, submissão, sadismo e

cada um apontando nos dedos e apenas vejo Hyun-Suk sorrir no final, assentindo e parecendo orgulhoso com o resultado da nossa pequena

então você é praticante do BDSM. Você é um dominador,

ㅡ Exatamente.

E porque quis falar disso antes

Porque o lugar que iremos, tem a ver com isso. Eu não te contei antes, porque não sabia qual a sua reação e pensamento sobre esse assunto, mas acho que agora tenho que contar. Eu tenho uma boate, sou dono dela. Não é conhecida por todos na cidade, porque apenas praticantes do BDSM cadastrados lá, podem

Uma boate? ㅡ abro meus olhos ao ouvir aquilo, mas não me sinto assustado ou algo assim. Na verdade, sinto-me

chama Scandal. O nome é apelativo, sei disso, mas é como uma brincadeira, não sei

Entendi sim, seu bobo. ㅡ sorri assentindo. ㅡ as pessoas teimam a achar que praticantes do BDSM são pessoas sem caráter, um escândalo a sociedade, sendo que isso é tão normal quanto qualquer outra

Exatamente. Eu adoro a forma como você é

Outra vez me sinto orgulhoso.

Você vai me levar lá

muito. ㅡ responde um pouco mais sério, e até se aproxima mais de mim. ㅡ mas somente se

Como assim? ㅡ franzo o cenho. ㅡ é claro que

Jaejun-ah, eu sou o dono. Todos sabem que sou dominador, e que eu mesmo não permito a entrada de visitantes não praticantes ou adeptos às práticas do BDSM. Te levarei comigo, mas para todos, para todos os olhos lá, você será como meu submisso, tudo bem para você ser visto

lábio já está vermelho por tanto que meus dentes o morde. Não é medo, é nervosismo. Sinto-me nervoso e, ao mesmo tempo,

saber como é ser