Bela Flor - Romance gay Capítulo vinte e três

sprite

ㅡ Me espere em frente ao seu trabalho, eu vou passar e te buscar.

Hyun-Suk acabava de me ligar. Parecia que ele vivia me vigiando, pois sabia meus horários certinhos.

ㅡ Mas Hyun, já é tarde.

ㅡ Quero te levar a um lugar, e depois, Mingu disse que sente sua falta, o que posso fazer? Ele quer que você vá lá para casa hoje outra vez.

Sorrio ao ouvir a desculpa boba de Hyun-Suk e assinto para mim mesmo.

ㅡ Tudo bem, só preciso terminar de organizar umas pastas. Saio em dez.

ㅡ Chego antes disso. Um beijo, minha Amarílis.

ㅡ Um beijo.

Encerrando a ligação com um sorriso totalmente bobo em meu rosto, recolho as últimas folhas sobre minha mesa e guardo-as em suas devidas pastas para organizar a estante.

Nunca pensei que trabalhar em um escritório apenas organizando papéis e encaminhando ligações poderia até ser bom. Estou curtindo bastante.

Quando enfim saio de minha sala e encontro Sorah à minha espera para descermos juntos, respiro fundo por finalmente poder ver meu Hyun-Suk mais uma vez.

ㅡ Como estou? ㅡ pergunto a minha colega de trabalho. Sorah me olha e ergue os polegares.

ㅡ Bem, como em todos os dias.

ㅡ Meu cabelo está muito ruim? Está um pouco desbotado, mas está aceitável?

ㅡ Que preocupação boba. Está ótimo como todos os dias também.

ㅡ Espera. ㅡ coloco a mão sobre a frente de minha boca e sinto meu hálito. ㅡ preciso escovar os dentes. ㅡ digo rápido quando saímos do elevador, correndo em direção ao banheiro do andar de baixo. ㅡ Pode ir andando, a gente se vê amanhã!

ㅡ Mas...

ㅡ Hoje eu não vou voltar de ônibus. ㅡ sorrio contido, já buscando minha escova de dente na pasta que carrego.

ㅡ Hm... ㅡ ela para e sorri sugestiva. ㅡ É alguma pretendente?

ㅡ Você nem imagina. ㅡ digo sorrindo, enfim adentrando o banheiro. Como já é o horário de encerramento não há ninguém aqui, então tento escovar meus dentes o mais rápido que consigo, pois o medo que me vem ao ouvir apenas o silêncio do lugar é grande demais.

Vai que tem uma assombração em uma das cabines? Deus me free!

Quando enfim termino de escovar meus dentes, percebo uma nova mensagem em meu celular e sorrio ao ver de quem é.

Hyun-Suk:

|Já estou te esperando.

Meu coração acelera no mesmo momento. Olhando uma última vez minha imagem no reflexo do espelho, eu saio animado ao seu encontro.

Ainda me despeço de algumas pessoas que estão pelos corredores e quando enfim sinto o vento frio da noite bater contra meu rosto, meus olhos percorrem por todo o estacionamento, em busca de encontrar Hyun-Suk e seu carro.

JaeHwa:

|Onde está? Já estou aqui, mas não te vejo.

Hyun-Suk:

|Olhe ao seu redor mais uma vez.

Novamente percorro meus olhos por toda a área do estacionamento, até que vejo uma moto parada a alguns metros. Hyun-Suk então retira o capacete e deixa com que o vento bagunce seus fios claros.

Eu sorrio e aceno, surpreso por vê-lo em algo como aquilo. Mas não me demoro em ir até ele.

ㅡ Eu não sabia que você pilotava moto, Hyun.

ㅡ É um presente novo que me permitir dar. ㅡ diz sorrindo e repousa o capacete a frente de seu corpo, não demorando a segurar minha mão e me puxar devagar. ㅡ senti tanto a sua falta.

ㅡ Foi só um dia, Hyun. ㅡ digo mordendo o lábio inferior e vejo-o se aproximar de meu rosto.

ㅡ Um dia é como uma eternidade quando se trata de estar longe de você.

Como a mesma brisa que nos bate, nossos lábios se juntam, fazendo-me suspirar e tocar-lhe no rosto, acariciando cada mínimo centímetro de pele e me deleitando nos prazeres.

ㅡ Estou feliz em ver você. ㅡ Hyun-Suk diz ainda colado em mim, acariciando minha cintura com delicadeza. ㅡ fica comigo hoje?

ㅡ Como posso dizer não quando você me pede assim? ㅡ sussurro dando-lhe um novo beijo. ㅡ Mas antes preciso saber: porque você pediu para o chefinho me dar folga?

ㅡ Você precisa mesmo ficar chamando ele de chefinho? ㅡ Ele semicerra os olhos, eu rio e apenas dou de ombros. ㅡ tudo bem, eu pedi porque quero ficar o dia inteiro com você.

ㅡ Mesmo? Porquê?

ㅡ Porque quero?

ㅡ Resposta errada. ㅡ digo olhando-o. ㅡ o correto seria você perguntar se eu também queria antes de fazer algo assim, não acha?

ㅡ Tem razão, me desculpe. Então você não quer?

ㅡ Agora eu quero, e a culpa é toda sua.

Hyun-Suk rir e me beija bem no pescoço.

ㅡ Mas para aonde iremos? Você disse que iríamos a um lugar agora.

ㅡ Sim, e é uma surpresa. ㅡ diz, me entregando-me o capacete que segura. ㅡ pode pôr.

ㅡ Mas só tem um, Hyun-Suk? Cadê o seu?

ㅡ Ainda não tenho.

ㅡ Mas... é perigoso!

ㅡ Esse é o risco que correrei para te ter. ㅡ diz num sorriso, mas não retribuo dessa vez.

O que faço é deixar um tapa fraco em seu braço.

ㅡ Prometo ir devagar. ㅡ ele diz me roubando mais um beijo. ㅡ vai, minha flor... sobe na moto.

ㅡ Não. Eu não quero morrer, muito menos quero que você morra!

ㅡ Por favor. Ou perderemos a surpresa.

ㅡ Hyun!

ㅡ Por favor...

Hyun-Suk pede manhoso e eu nego, fraco.

Maldito coração, tinha que acelerar agora? Isso é claramente uma chantagem!

Eu subo na moto mesmo a contragosto e fecho bem o capacete, segurando firme na cintura dele logo em seguida, prendendo o grito que quase me escapa ao ouvir o som alto que a moto deixa ecoar ao que Hyun-Suk sai a toda a velocidade.

ㅡ Hyun, a gente vai morrer! ㅡ digo o apertando mais e fechando meus olhos.

ㅡ Jae-ah, relaxa. ㅡ ouço a voz dele e em seguida seu riso. ㅡ abre o olho. Eu sei que você está fechando porque está quase me partindo ao meio com esse aperto.

ㅡ Não!

ㅡ Vai, ou assim não irá ver para onde te levarei.

Eu ainda demoro a abri-los e quando o faço, vejo como tudo e todos passam muito rápido por nós.

Na verdade, nós que estamos rápido demais, e minha vontade agora é de forçá-lo a parar essa moto e apenas estapeá-lo até que ele recupere o pouco de noção que acho que ainda lhe resta.

ㅡ Está vendo? ㅡ ouço Hyun-Suk perguntar.

Admito que estou morrendo de medo de cair e me tornar pedacinhos junto a ele, mas quando percebo que a velocidade diminui e que tudo se torna mais aceitável, eu foco melhor meus olhos e percebo que estamos longe de toda a movimentação de Seul.

ㅡ Para onde estamos indo?

ㅡ Para o céu. ㅡ ele brinca.

ㅡ Eu falei sério quando disse que não queria morrer!

Eu sorrio e o abraço mais, deitando sobre seu ombro, olhando como as casas se afastam à medida que prosseguimos, dando liberdade para que as árvores e flores apareçam.

ㅡ Está muito escuro, Hyun. ㅡ digo quando enfim paramos. Hyun-Suk aguarda para que eu desça da moto e em seguida desce, segurando em minha mão e me puxando enquanto sorri todo animado.

ㅡ As estrelas estão nos iluminando.

Eu olho para o céu e me perco no brilho de cada uma.

ㅡ Por que parecem que estão brilhando mais?

ㅡ Porque estão encantadas com você.

ㅡ Bobo!

Ele ri e enfim fala:

ㅡ É que aqui é afastado das casas e prédios, então não há tanta poluição.

ㅡ Mas é seguro? ㅡ pergunto entrelaçando nossos dedos e subindo um pequeno morro onde no topo há uma árvore. ㅡ ninguém vai tipo matar a gente aqui?

ㅡ Claro que não. E se eu estou aqui pode ficar tranquilo, eu sou a sua proteção.

ㅡ Você está mais bobo hoje, Hyun-Suk. ㅡ digo sorrindo e sentindo-o me puxar quando enfim estamos no topo, entrelaçando seus braços em minha cintura e assim caminhando comigo até uma das árvores. ㅡ Aqui é lindo.

Meus olhos brilham quando percebo o quão alto estamos, e em como tudo se torna pequeno daqui de cima. Consigo ver toda Seul brilhando. Hyun-Suk sequer soltou minha cintura quando assentiu, e é quando sinto seu queixo bater contra meu ombro que suspiro apaixonado.

ㅡ Você gostou? ㅡ ele pergunta.

ㅡ Como descobriu esse lugar?

ㅡ Eu vinha aqui quando... quando meus pais morreram. Achei esse lugar por acaso, mas sinto que ele me traz paz. E hoje senti saudade de me sentir em paz aqui, então eu te trouxe aqui para sentir isso também.

ㅡ E por quê?

ㅡ Porque ontem você não estava bem. Eu não entendo completamente pelo que você passou, JaeHwa-ah, mas eu não quero mais que sinta. E se sentir, eu quero estar ao seu lado para te proteger ainda mais.

Sorri um pouco triste, me virando para deitar a cabeça em seu ombro. Hyun-Suk me abraçou ainda mais forte.

ㅡ Sabe... hoje eu também não parei de pensar em uma coisa. E sentia que precisava vir aqui com você para ter a certeza.

ㅡ Existe algum problemas, Hyun? ㅡ olho-o e acaricio seu rosto. ㅡ quer me contar?

ㅡ Não é um problema, é algo bom. Mas posso te contar o que descobri.

ㅡ E o que foi?

Hyun-Suk sorri como um garoto, e no segundo que seus lábios tocam os meus como uma pluma, ouço-o falar:

ㅡ Estou apaixonado por você.

Meus olhos pararam sobre os dele e sequer sou capaz de piscar. Meu peito dói com a frequência em que meus batimentos aumentam e junto a tudo, minha garganta seca, fazendo-me engolir o bolo formado ali, enquanto minha cabeça processa o que acabou de ouvir.

ㅡ V-você tem... certeza?

ㅡ Não tem como não ter, JaeHwa. Eu gosto mesmo de você, e quero te ter perto de mim.

ㅡ Hyun...

ㅡ Você disse que queria saber quando eu descobrisse se era mesmo capaz de ter sentimentos por você, e eu só posso estar apaixonado por você. Essa a única explicação para que eu conte os segundos para te ver e para todas às vezes em que meu coração saltar ao ver o seu sorriso. Eu consigo ficar feliz apenas te tendo feliz.

Meu sorriso ganha forma quando percebo o modo em como Hyun-Suk fica sem jeito enquanto fala. Meu corpo quebra os poucos centímetros que me separam do dele e em um aperto sem jeito, eu o abraço forte, sentindo-o retribuir de imediato.

ㅡ Obrigado por me contar. ㅡ falo ainda junto a ele. Meu desejo é beijá-lo até a noite findar e o dia recomeçar, mas volto a encará-lo, segurando suas bochechas, essas que estão vermelhas como a cor do amor. ㅡ Eu também estou apaixonado por você. Estou desde o dia em que te vi pela primeira vez.

ㅡ Não é segredo. ㅡ ele tenta brincar, mas Hyun-Suk não tem mais a pose que ele tanto adora sustentar. Tudo o que ele faz agora é sorrir bobo e apaixonado para mim. ㅡ eu tenho o seu coração e você tem o meu, Jae-ah.

Eu sorrio de seu timbre brincalhão, mas torno a abraçá-lo. Sinto-me tão bem e feliz que sequer sei como agir agora, apenas quero senti-lo mais.

ㅡ Podemos ficar aqui mais um pouco? ㅡ pergunto abafado, sentindo seu perfume.

ㅡ Ficaremos o tempo que você quiser, minha flor.

ㅡ Obrigado, Hyun. ㅡ dou-lhe um selar ligeiro, sentindo o suspiro longo que Hyun-Suk libera ao segurar meu rosto e aprofundar o toque.

É tão bom senti-lo, mas ao mesmo tempo é tão complexo e louco.

Eu quero Hyun-Suk e ele me quer, mas no mundo em que vivemos isso tem um preço, e esse pode ser muito alto.

Mas por agora quero apenas ficar em seus braços, longe de olhos maldosos e murmúrios de preconceito. Quero ficar onde sei que o sentimento é puro e que não há problemas em senti-lo.

ㅡ Quer me contar como foi seu dia?

ㅡ Não teve nada de novo. ㅡ digo me afastando dele e dando alguns passos para olhar ao redor. ㅡ podemos sentar debaixo da árvore?

ㅡ Podemos ficar aqui? Deve ter insetos lá.

ㅡ Você tem medo de insetos?

ㅡ Eu? Claro que não.

ㅡ Que bom, porque estava pensando como te contar que tem uma lagarta bem no seu ombro.

ㅡ O quê? Tira, tira! ㅡ eu vejo Hyun-Suk se remexer todo e dou risada. O som ecoa por todo o lugar, fazendo-me olhar além e mais uma vez me perder em encantos.

ㅡ Não teve graça. ㅡ Hyun-Suk diz, voltando a se aproximar.

ㅡ Teve sim. ㅡ digo. ㅡ Vem comigo, Hyun. ㅡ puxo sua mão para que caminhe até a árvore comigo. ㅡ Agora eu serei sua proteção.

Hyun-Suk caminha comigo, mas olha a todo o instante para onde pisa. Eu nego e retiro o terno que uso, pondo-o no chão para sentarmos, mas preciso sentar primeiro e em seguida erguer a mão para que ele a segure e se sente encaixado entre as minhas pernas, cheio de medo e inseguranças.

ㅡ Relaxa, Hyun, no máximo você vai levar uma picadinha na bunda. ㅡ digo, beijando seu pescoço.

ㅡ O triste é que nem vai ser da picada boa.

Eu rio e deixo um tapinha em seu ombro, negando enquanto o vejo me olhar sobre o ombro.

ㅡ Você está bem mesmo?

Assinto em prontidão.

ㅡ Promete me contar se estiver com problemas? Eu não sei, você parece pensativo demais e isso me preocupa.

ㅡ Te preocupa?

ㅡ Eu não quero que sofra por mais nada, JaeHwa. Falo sério.

Não consigo conter a angústia que me vem, mas não quero envolver Hyun-Suk em meus problemas, então apenas assinto outra vez, o agradecendo e voltando meu olhar para frente, sentindo o carinho que a mão dele deixa sobre a minha.

É ruim, eu sei, que deveria compartilhar isso com ele, mas preciso enfrentar meus próprios demônios.

Ele parece já ter os dele.

Então, apenas aprecio o som da noite e torno a observar a paisagem das luzes de toda Seul.

Quando o vento frio bate contra nós dois, Hyun-Suk se encolhe e eu sorrio quando sou eu quem preciso o esquentar e proteger.

ㅡ Mingu sentiu mesmo minha falta? ㅡ pergunto dando fim ao longo silêncio que

Não parava de perguntar por

Então acho que é recíproco. ㅡ nego fingindo tristeza e ouço a risada baixa e gostosa que Hyun-Suk libera. ㅡ Quase chorei de saudade...

Então o que fazemos? ㅡ Hyun-Suk entra na brincadeira, Fazendo-me rir ainda mais.

há apenas uma saída. Terei que ir até ele para dar todo o meu carinho.

ㅡ Todo? Não sobra nem um pouco

ㅡ Tudo bem, eu posso dividir.

Hyun-Suk rir e fica de pé imediatamente. Ele ergue a mão para mim quando então me chama para ir. Suspiro, aceitando, mas já com saudade da paz que esse lugar realmente transmite.

ㅡ Podemos voltar aqui depois?

ㅡ Quando você quiser.

a andar juntos, eu subo na moto resmungando mais uma vez ao voltar a lembrar de que Hyun-Suk não tem dois capacetes e que terá que pilotar aquilo sem proteção alguma novamente.

Mas no fim ele me prometeu que compraria mais um, pois, sem isso, fui claro que nunca mais subiria na

Quando chegamos em sua casa, não vi a ex-noiva do Hyun em lugar nenhum, o que, de forma inconsciente, até foi bom.

Seguimos para o andar dos quartos, mas eu fui diretamente para o quarto de Mingu, encontrando-o deitadinho em

ㅡ Oi, fofinho. ㅡ digo sentando ao lado do gatinho e sorrio ao ver o modo em como ele deita entre minhas pernas com a barriga para cima atrás de

Hyun-Suk também entra no quarto e se abaixa para deixar carinhos em Mingu, mas não se

ㅡ Irei tomar banho, você vem?

daqui a pouco. ㅡ digo fazendo mais carinhos no gato.

Hyun-Suk assente, mas a voz de Sunhee me faz sorrir e me sentir estranho sem motivos.

ㅡ Hyun-Suk? É você? ㅡ Sunhee aparece ali e sorri. ㅡ Oh, JaeHwa! ㅡ ela parece animada ao me ver. ㅡ é JaeHwa, não é? Eu acertei? É que eu sou um caos com nomes.

Você acertou. ㅡ digo, sorrindo envergonhado para

ㅡ Que bom. Mas me desculpem por incomodar vocês, só vim saber se Hyun-Suk iria jantar agora ou só na madrugada como ele tem o péssimo costume de fazer. Mas bem, agora preciso saber se vocês vão.

Sim, nós iremos. ㅡ Hyun-Suk a responde.

Sunhee apenas assente e se despede antes de sair e somente nesse momento eu libero o ar que sequer percebi prender.

se incomoda com a presença de Sunhee? ㅡ Hyun-Suk pergunta se aproximando e se abaixa a meu lado outra vez.

ㅡ Não...

ㅡ Tem certeza?

ㅡ Tenho. Só é estranho, preciso me acostumar. Ela é sua ex... então, sabe... eu sinto uma pontinha de... deixa pra lá.

ㅡ Sunhee é só uma amiga, meu bem.

já disso isso, Hyun, é só... eu não sou do tipo ciumento, sabe? Eu não a odeio nem nada assim. Eu acho ela bonita e elegante, então... não sei, eu não sou assim, então penso no que você realmente gostou em mim.

Ele riu e me ergueu a destra.

não tem apenas uma coisa na qual eu gostei em você, você tem várias. Eu simplesmente me perdi quando te vi, JaeHwa. Você é perfeito.

Mesmo? ㅡ mordo meu lábio, tímido.

ㅡ É claro que sim. Mas deixe Mingu dormir, amanhã você fica quanto tempo quiser com ele. Agora vamos tomar um banho e vestir algo confortável, o jantar logo será servido.

último carinho no gatinho, eu dou um beijinho entre suas orelhinhas e me despeço. Caminho junto a Hyun-Suk até seu quarto e assim que adentro sua suíte, sou rápido em me livrar das roupas formais e nada confortáveis que uso.

Fico só de cueca e através do espelho, vejo-o parar atrás de

Será que hoje eu posso tomar banho com você?

Apenas dando um sorriso para Hyun-Suk eu me viro e retiro a última peça.

Estou tentando quebrar as barreiras entre nós dois porque sei que quero muitas coisas a mais com ele, mas ainda preciso de tempo.

Caminho até a área do box, ouvindo o som de suas roupas sendo retiradas e jogadas no chão. Quando abro o chuveiro, deixando a água esquentar, sinto-o parar atrás de mim e sou rápido em dizer:

ㅡ Sem mãos atrevidas.

Olho-o sobre o ombro e vejo-o erguer ambas as mãos em rendição. Penso em deixar que a água caia pelo segundo chuveiro, assim usaríamos a funcionalidade de uma ducha para casais e seríamos mais rápidos, mas eu sei que ele quer fazer isso apertadinho em mim, e não vou mentir. Eu também quero.

ao menos te beijar? ㅡ ele sussurra quando realmente não me toca com as mãos, mas me toca com o restante do corpo.

Hyun... Você é gostoso, se você me beijar, eu não vou aguentar.

o que tem de ruim nisso, uh?

Nós ainda vamos jantar, se esqueceu? Podem estar nos esperando.

Ele assente, mas se aproxima e junta nossas bocas, molhando o corpo com o meu.

O banho de fato não tem segundas intenções, apenas beijos e carícias, e eu até deixo ele usar as mãos para me apalpar, mas não muito, ou acabaríamos os dois de

Quando saímos enrolados juntos em robes fofinhos, Hyun-Suk me arrasta até seu closet.

posso esquecer que prometi te levar ao meu alfaiate. Ele te fará bons ternos.

Que certamente serão caros demais. Não se preocupe com isso.

ㅡ É claro que eu me preocupo. Mas o que quer vestir? Meus moletons ficam ali ㅡ ele aponta. ㅡ mas tem algumas bermudas e camisas leves caso queira ficar mais à vontade. Você escolhe.

ㅡ Gosto de moletom. ㅡ digo indo até à parte em que ele me mostrou e assim que abro vejo dezenas de pares de peças de marca. ㅡ Hyun, não tem nenhum mais simples?

ㅡ Esses são os que uso para ficar em casa. ㅡ diz se aproximando ao vestir uma cueca e me entregar uma ainda lacrada no pacote original. ㅡ Pegue o que lhe agradar mais.

Eu assinto, sentindo-me desconfortável por pegar um conjunto preto de umas das marcas mais caras que há, analisando-o antes de recolhê-lo.

ㅡ Estava pensando... ㅡ ele diz ㅡ Você poderia trazer algumas de suas roupas para cá, não acha? Digo, quando for se

Mas isso irá demorar um pouco mais. ㅡ falo deixando as peças sobre a cama e abrindo o pacote com a cueca. ㅡ tive que pedir dinheiro emprestado a Minah.

ㅡ Como assim?

fazer um depósito rápido e ainda não recebi meu pagamento. Ela me ajudou nisso. ㅡ digo dando de ombros e visto a cueca. Em seguida busco a calça, sentindo como o tecido é macio.

JaeHwa-ah, por que não me falou sobre isso? Eu poderia ter te ajudado, não precisava sacrificar seu salário.

Claro que precisava, Hyun, são minhas obrigações. Já te disse que não quero que gaste comigo assim, eu gosto de você por ser você, não por ter

Não foi isso que quis dizer, meu

sei... ㅡ me aproximo e colo nossos corpos, sentindo nossos troncos nus se tocarem outra vez. ㅡ eu só precisava mesmo, entende? No mês em que eu tiver o valor livre eu me mudo, até porque, nem achei uma boa

Pode ficar com um apartamento, sabe

Já conversamos sobre isso também, não

sorrio, mas ele suspira, como se realmente quisesse fazer isso por

Eu quero que me peça o que quiser, eu juro que faço o possível e o impossível para te atender. Só não quero que se estresse com coisas tão fúteis. Você não é interesseiro, eu sei, mas eu tenho dinheiro, me deixe usá-lo com

seu rosto e roubo um

jantar, ok? Estou faminto. ㅡ digo sorrindo e sentindo-o me virar, apenas para encaixar-se em minha cintura e tornar a andar assim comigo mais uma

dizer uma coisa, quando conheci Hyun-Suk, eu jurava que ele era do tipo bruto ou até mesmo que detestava demonstrar o que sentia, mas preso do jeito que estou agora, ouvindo sua risada se intercalar com a minha, é

escadas é possível sentir o cheiro bom do jantar e todo o barulho que vem da sala

chegamos à parte térrea da casa, eu vejo a movimentação dos trabalhadores da casa de Hyun-Suk por todo o lugar, diferente de quando vim aqui pela

cheiro está maravilhoso, JiHoo. ㅡ Hyun-Suk diz ao chegar próximo a uma das moças que arruma a mesa, a mais velha dentre elas, e recebe um

a mesa com mais um lugar. ㅡ ela anuncia ao me olhar. ㅡ e caprichei do jeito em que a senhorita Sunhee pediu, ela disse que a visita é alguém muito

ela não mentiu. ㅡ Hyun-Suk diz sorrindo a pede minha mão, levando-me para seu lado. Quando vejo que sou encarado ainda mais pela mulher e todos ao redor, sorrio sem jeito, fazendo uma breve reverência. ㅡ Esse é

um prazer conhecer a senhora. ㅡ falo, queimando em

prazer é meu, querido. Sou Jihoo, cozinheira chefe. Mas pode me chamar de noona caso se sinta a

ㅡ Tudo bem... noona.

não é lindo, noona? ㅡ Hyun-Suk pergunta e me olha, me fazendo arregalar os olhos. ㅡ ele é a minha paixão. ㅡ e ele sussurra, me deixando ainda

senhora ri baixo e quando eu a olho sentindo minhas bochechas quentes, ela

o som de passos vindo da escada e vejo Sunhee descer por lá de modo gracioso. Ela tem um jeito que exala elegância, isso me deixa um pouco mais inseguro, mesmo não a vendo como uma possível concorrente a ter o coração

que, de alguma forma, Hyun-Suk estava acostumado a ter mais, muito mais do que eu sou ou posso lhe

ㅡ Cheguei atrasada? ㅡ ela pergunta.

Chegou na hora certa. ㅡ

Ótimo. ㅡ ela diz e caminha até nós. ㅡ Já conheceu a melhor cozinheira chefe do mundo inteiro, certo? ㅡ

Assinto olhando-a e vejo Hyun-Suk sorrir.

Jihoo é de fato a melhor cozinheira do

eu sou boa, mas não sou tudo isso. ㅡ Jihoo diz a mim. ㅡ Só espero que goste do

Tenho certeza que irei adorar, noona. ㅡ falo e a vejo sorrir mais uma vez, de forma que me faz bem vê-la

despedindo-se, anuncia o jantar e deixa apenas alguns responsáveis pelo trabalho de servir, mesmo que eu ache cabível que três pessoas sirvam seus próprios

não ouso falar, essa não é a minha casa, tampouco os meus

Sentem-se. ㅡ Sunhee diz. Hyun-Suk caminha até parar próximo a uma das cadeiras e a puxa para eu sentar. O agradeço e vejo-o fazer o mesmo com Sunhee, puxando a cadeira a frente a minha para a ela sentar e só então voltar para sentar-se ao

ainda me sinto um pouco acuado, mas fico quieto enquanto nossos pratos vão chegando

atum! ㅡ Sunhee parece comemorar ao ver

É igual à comida do Mingu. ㅡ Hyun-Suk brinca e recebe uma caretinha de implicância. Eu olho o prato e ele parece bom demais, mas a quantidade é tão pouca que me faz sentir o estômago roncar em antecipação, já sabendo que a fome que sinto depois de um dia inteiro de trabalho, teria que ser ao menos dois pratinhos

noite está fria, não acham? ㅡ Sunhee puxa assunto quando busca seus talheres e nos olha. Eu assinto, seguindo com Hyun-Suk quando nossas taças são servidas

Não está tanto. ㅡ Hyun-Suk responde sem erguer o olhar a ela, concentrado na

Mas JaeHwa concorda comigo, não

assinto e até sorrio

Eu gostei muito da cor do seu cabelo. ㅡ ela diz. ㅡ queria dizer isso na piscina, mas vocês estavam tão juntinhos que não quis intrometer. É uma cor quente, ficou muito bonita no seu rosto

Obrigado... ㅡ faço uma pequena reverência e desvio o

Você trabalha, certo? ㅡ ela pergunta. Eu assinto. ㅡ Com o que está trabalhando atualmente,

Que tipo de entrevista é essa, Sunhee? ㅡ Hyun-Suk pergunta sorrindo, enfim erguendo

não tivemos tempo de conversarmos muito na piscina. E não seja chato, eu só quero

ㅡ Hyun-Suk bebeu de seu

revira os olhos e me olha em

Não ligue para ele, JaeHwa, finja que estamos apenas nós aqui, sem os velhos carrancudos

Ou a frente. ㅡ Hyun-Suk

Eu rio baixo.

ㅡ Trabalho como secretário.

Mesmo? ㅡ ela mastiga com entusiasmo. ㅡ

Na Jung's. ㅡ falo, vendo-a arregalar os olhos. ㅡ sou secretário do Hajun. Bem, ele tem a Sorah também, então eu meio que sou o segundo secretário, o que fica com o trabalho de procurar documentos e coisas do tipo. Mas estou gostando de

Woah, mesmo? Dizem que ele é chato quando está como chefe. Quer dizer, eu já acho ele chatinho na vida, mas no trabalho ele também

Ele não é chato. ㅡ eu digo, defendendo meu chefinho. ㅡ ele só não

sorrir pra quem tentou beijar a irmã dele. ㅡ Hyun-Suk cerra os olhos e Sunhee revira os olhos outra

faz anos. Ele é chato comigo

negou, mas me surpreendi com o fato de Sunhee gostar muito de conversar e a facilidade de encontrar assuntos que podem nos fazer perder

jantar se prolonga tranquilo. Eu quebro um pouco a vergonha e tento me acostumar mais com ela. Hyun-Suk por vezes implica com a mulher como um garotinho e chega a ser até fofo, pois ela retribui no

despedimos e voltamos para o quarto, escovamos os dentes e deitamos juntinhos, com Hyun-Suk deitando sobre meu peito, deixando com que eu o

noite foi boa, eu

feliz por saber disso. Eu te vi e te trouxe para cá, então só isso já faz da minha noite

me deixa todo sem jeito falando

poder te deixar sem roupa

Você não perde tempo não é? ㅡ nego o apertando e deixando vários e vários beijos sobre o topo de seus cabelos

Claro que não, se você se visse como eu te vejo me entenderia. Você tem o corpo de um anjo, JaeHwa, é o mais belo que já