Bela Flor - Romance gay Capítulo trinta e seis

sprite

POV: Jaejun

ㅡ Senta logo essa bunda aí e me conta tintim por tintim, Jaejun!

Ouvi Jackson falar aquilo e sorri, eu estava morrendo de saudade dele.

ㅡ Você acabou de chegar. Não quer beber algo? Ou comer, uh? Eu recebi meu pagamento ontem, fiz o mercado do mês, a geladeira tá abastecida!

ㅡ Não me enrola, conta logo como foi dar! Estou ansioso para saber.

ㅡ Está mesmo? ㅡ revirei meus olhos. ㅡ você estava em Pequim gastando dinheiro como um doido e nem ligou para mim...

ㅡ Aish, eu já disse que tentei ligar para todos vocês, mas meu celular estava ruim, até troquei de aparelho. ㅡ ele ergue o aparelho novinho para mim. ㅡ e eu te mandei mensagem quando cheguei, você quem não me respondeu.

ㅡ Eu não estava muito bem. ㅡ suspirei, enfim sentando-me no sofá ao lado dele. ㅡ acabei encontrando com o ex do Hyun-suk e ouvi algumas coisas absurdas dele.

ㅡ Você o quê?! ㅡ Jack arregala os olhos e até se arruma no sofá, sentando por cima das pernas enquanto tem o cenho franzido. ㅡ o que aquele filhote de cruz credo te falou?

ㅡ Ele não é filhote de cruz credo... ㅡ ri. ㅡ ele é muito bonito até...

ㅡ Foda-se, você é mais. O que ele falou, hein?

ㅡ Ah, ele... tentou me dizer coisas sobre Hyun-suk. Disse que se eu já me entreguei a ele, logo ele vai começar a me deixar de lado e inventar um monte de coisa para não me ver. Que só vai me procurar quando quiser se satisfazer. Que foi assim com ele, e... vai ser assim com qualquer um.

ㅡ Aish, que inferno! ㅡ Jack parece irritado. Ele respira fundo, fechando os olhos, e somente após isso é que retorna a me olhar. ㅡ você sabe que isso é mentira, não é?

ㅡ Eu sei, mas... isso me atingiu, sabe? Quando ele falou isso comigo, eu já estava pensando o mesmo. Foi estranho Hyun-suk ter encurtado a nossa viagem do jeito em como fez e com o propósito de que precisava trabalhar.

ㅡ Então você estava desconfiado disso?

ㅡ Não sei... eu acredito no Hyun quando ele diz as coisas para mim, olhando nos meus olhos. Mas a minha insegurança ainda tá bem aqui, às vezes é difícil...

ㅡ Poxa... me irrita muito saber que você ainda se sente assim.

ㅡ Desculpa, mas não é por querer...

ㅡ Eu sei que não, mas poxa, Jaejun, você é simplesmente a melhor pessoa do mundo inteiro para se namorar!

ㅡ Claro que não. ㅡ digo rindo, sentindo-me tímido.

ㅡ Claro que é, e que Yejun não me ouça, mas quem te namora simplesmente é a pessoa mais sortuda do mundo. E Hyun-suk é, ele não é idiota ou cego, ele provavelmente sabe disso também. Mas você precisa parar de se sentir inseguro, Jaejun. E eu sei que, infelizmente, metade desse sentimento nasceu pelo fato do Hyun-suk ser bilionário e ter todo aquele status, mas ele gosta de você. Não pense que ele está te enganando porque até mesmo eu já o ameacei caso ele faça algo a você.

Eu rio de como Jackson fala porque ele nem sequer brinca. Ele é totalmente capaz de bater no Hyun-suk caso ele quebre meu coração.

ㅡ Ok, vamos parar de falar sobre essas bobagens e falar do que importa. Como foi sentar no seu namorado?

Jogo uma das minhas almofadas de fruta nele e busco a de morango, cobrindo meu rosto quando o sinto queimar.

ㅡ Foi bom... ㅡ digo baixo, apenas lhe olhando por uma frestinha.

ㅡ Você gostou?

ㅡ Muito. ㅡ encolho minhas pernas, encostando no sofá antes de respirar. ㅡ o Hyun-suk foi tão paciente. Ele cuidou muito bem de mim e do meu corpo. Nós... fizemos três vezes.

Jack sorri de modo aberto, deixando quatro palminhas ligeiras no ar.

ㅡ E depois? ㅡ ele se inclina para a frente, ansioso. ㅡ o que rolou depois?

ㅡ Ele se ofereceu para passar pomada no meu cu, mas eu não deixei não.

ㅡ Que fofinho. ㅡ ele suspira, deixando a mão sobre o coração. ㅡ vocês já fizeram outra vez?

ㅡ Ainda não... ele dormiu aqui ontem, mas não fizemos nada ainda.

ㅡ Acha que vão fazer hoje?

ㅡ Como vou saber? ㅡ rio ainda sem jeito, abraçando mais a almofada. ㅡ não dá pra saber dessas coisas.

ㅡ Claro que dá! Quando eu e Yejun queremos foder, a gente sempre tem um código. Às vezes eu só preciso sorrir de um jeito mais explícito que ele entende. Ontem a noite, por exemplo, quando ele foi me visitar em casa, não aguentamos sequer o primeiro olhar. Acabou que eu o chupei inteirinho, você não tem noção da delícia que é...

Jogo outra vez uma almofada no Jack, mas o safado apenas rir. Decido me erguer, estou queimando em vergonha, mas sequer deveria.

Poxa, é o Jack, eu já deveria estar acostumado!

Busco dois potinhos com leite de banana e volto para o sofá, entregando-lhe um.

ㅡ Hoje eu vou até a Scandal com o Hyun-suk. ㅡ digo-o, vendo-o franzir o cenho, talvez tentando lembrar-se do que é Scandal, mas quando Jack parece enfim lembrar, ele sorri. E eu acho que é esse sorriso que o Yejun bem entende.

ㅡ Vai transar amarrado, né, safado?

Reviro os olhos, rindo baixo enquanto abro meu potinho de leite de banana. Mas a verdade é que, talvez, se Hyun-suk quiser... acho que estou pronto para tê-lo dentro de mim enquanto o obedeço e o chamo de meu senhor...

ㅡ O que você vai usar? ㅡ Jackson pergunta, mudando de assunto.

ㅡ Não sei, acho que ele mesmo vai escolher algo para que eu use.

ㅡ O quê? Porquê?

ㅡ Porque é assim que a gente faz.

ㅡ Mas precisa sempre ser assim?

ㅡ Acho que não. Não sei, precisaria perguntar a ele.

ㅡ Então pergunte! O que me diz de irmos até lá em casa? Meu closet está lotado de peças novas, Lia organizou tudinho.

ㅡ Lia? Ah, a sua ajudante! Pensei que já havia demitido ela ou coisa assim.

ㅡ De maneira nenhuma. Lia é o meu anjo da moda, ela entende muita coisa e principalmente entende o meu gosto.

ㅡ E quem não entenderia? Olhe só você, está usando uma jaqueta da Gucci de paetês azuis! É muito óbvio o que você gosta de vestir.

ㅡ Falou o cara do moletom... ㅡ ele diz, me olhando com tédio. ㅡ Mas anda, pergunta se pode. Eu quero te arrumar hoje!

Ri baixo, buscando meu celular. Enviei a mensagem para Hyun-suk que sequer demorou para respondê-la de volta. Me surpreendi quando ele disse que tudo bem.

Jackson me infernizou após aquilo. Precisei buscar meus utensílios de necessidade básica ㅡ lê-se celular, carteira e kit chuca ㅡ e fui para sua casa.

Quando chegamos lá, enfim pude conhecer a tal Lia. A coitada parecia viver naquele closet. Estava arrodeada de caixas de sapatos novos, mas parecia feliz com o emprego.

ㅡ Qual o critério para ser um gostoso na Scandal? ㅡ Jack perguntou, caminhando por seu closet enquanto tinha a mão sobre o queixo, analisando as peças.

ㅡ Acho que não tem um critério. Só... podemos ser livres lá.

ㅡ Preciso visitar esse lugar com o meu Yejun.

ㅡ Se quiser ir qualquer dia, me diz. Hyun-suk é dono, Hajun e o outro amigo dele, Hanguk, são sócios.

ㅡ Por isso só vivem juntos. São amigos na vida e no tesão.

Neguei, sentando-se sobre o banco de troca de sapatos bem no meio do closet.

ㅡ Sabe o que vai ter hoje? Prática no quarto de vidro.

ㅡ É tipo sexo num aquário?

ㅡ Claro que não, seu idiota! Nem todas as práticas se resumem a sexo, sabia?

ㅡ Mesmo?

ㅡ Uhum, BDSM é mais do que somente isso. Mas a prática no quarto de vidro significa que as pessoas irão praticar lá como se fosse um quarto comum, mas as paredes são de vidro e tem uma pequena arquibancada onde podemos sentar e apreciar o que está sendo feito.

Jackson estava parado, me ouvia falar e naquele momento parecia impressionado, já que estava boquiaberto.

ㅡ Caralho, eu quero fazer isso com o Yejun!

ㅡ Você primeiro precisa saber se ele quer. É necessário que ambos estejam confortáveis com as práticas e tudo o que envolve elas.

Jackson ainda me lotou de perguntas sobre como era a boate e o que faziam nela. Mas não era como se eu pudesse de fato contar o que acontecia lá, visto que uma das regras era o sigilo que todos precisavam manter para que a boate continuasse com seu status.

ㅡ Qual a roupa mais sexy que você tem aqui? ㅡ Pergunto a Jackson e o vejo caminhar de forma animada até o final do closet.

Caminho até lá, vendo que aquele "setor" do closet é apenas para roupas transparentes.

ㅡ Isso é uma cueca transparente? ㅡ busco um dos cabides e rio, constatando que sim, é.

ㅡ Yejun adora ver minha bundinha nela. Ele fica doidinho.

ㅡ Jack... como funciona entre você e o Yejun? ㅡ pergunto, devolvendo a cueca transparente para seu devido lugar.

ㅡ Ah... só funciona, sabe? Às vezes ficamos nos estranhando e até ficamos com outras pessoas na hora da raiva...

ㅡ Mas isso não faz ambos se machucarem?

ㅡ Claro que faz, eu me sinto a pior pessoa do mundo quando beijo outro, sabendo que queria estar beijando ele. Mas até que de uns meses para cá a gente tá se acertando. Acho que dessa vez estamos dando certo.

ㅡ Mas ainda não rolou o pedido de namoro?

ㅡ Não vamos nos prender a rótulos, ok? Eu namoro ele e ele me namora.

ㅡ E como que é o... sexo?

Jackson sorri ladino.

ㅡ Uma delícia também.

ㅡ Yejun é sempre... passivo?

Jackson nega com simplicidade, separando alguns cabides.

ㅡ Você sabe que eu nasci envolvido de purpurina, não é?

ㅡ Sim, que quando você nasceu tocou I Will Survive. ㅡ digo rindo.

ㅡ Exatamente! E eu nunca cheguei perto de uma aranha feminina. Sinto até arrepio de pensar, mas com ele é... diferente. Eu gosto quando Yejun transamos e não me importo com o fato dele ser um homem trans, nos encaixamos bem. E também somos tão versáteis, não dá para não gostar. Às vezes ele é quem mete em mim e outras eu meto nele. É uma loucura.

Sorri como um bobo, torcia para eles se darem bem e terem um final feliz juntos.

Minha atenção foi guiada até Jackson buscando uma de suas camisas transparentes e até mesmo algumas de vinil e quase todas ainda tinha etiquetas.

ㅡ Você nunca usou essas roupas?

ㅡ Não, a maioria são novas. ㅡ Diz, erguendo duas camisas. ㅡ preto sempre fica tão bem em você.

ㅡ Você acha?

ㅡ Uhum. E os seus cabelos estão bonitos, contrasta muito na sua pele.

Ah... ㅡ toco meus fios e rio baixo. ㅡ eu e Hyun-suk fomos a um salão de beleza juntos, nós pintamos lá.

E qual a hidratação que usaram? ㅡ ele pergunta, devolvendo algumas peças. ㅡ quero o nome, o meu cabelo está ficando muito ressecado, tô pela fé na santa Beyoncé.

ㅡ Eu não perguntei o nome. Mas acho que era uma bem cara, a conta final tinha muitos zeros. Até me propus a pagar, mas não deu.

ㅡ Pagar? Não seja bobo, deixe que ele pague

Eu quero pagar por algo às vezes também. Sabe... eu até estava pensando em comprar algo para ele. Quando Hyun-suk completou trinta e um anos nós ainda não estávamos juntos, então eu não pude comemorar com ele. Mas ainda posso, e pensei em comprar um presente bonito.

ㅡ E já comprou algo?

ㅡ Ainda não.

ㅡ Quer sair para comprar?

ㅡ Agora?

Uhum. Acho que é melhor, não tem nada bom nesse closet, acho que vou precisar fazer compras também.

ㅡ Você tá doido? Tem muitas roupas aqui, não precisa de novas.

Claro que precisa. Vamos lá, agora estou animado para irmos ao shopping juntos.

Reviro os olhos, mas vejo Jackson apenas buscar uma de suas bolsas e trocar a roupa que veste por outra de marca, colocando uma nova jaqueta de paetês ㅡ dessa vez sendo pretos ㅡ antes de me puxar para sair consigo e seu motorista.

ㅡ Amorzinho, nos leve aquele shopping do centro. ㅡ ele pede ao motorista.

Mas aquele shopping é o mais caro que tem. Não seria melhor a gente ir no

ㅡ Não, não. Ele tem as melhores lojas de marca.

Nego, ele só pode ser doido de pensar que vou comprar um presente para o Hyun-suk num shopping caro. Estou ganhando mais e meu salário está na conta, mas ainda tenho muitas outras responsabilidades para gastar meu dinheirinho, então ainda tenho que economizar.

Quando chegamos ao tal shopping, Jackson abraça meu braço e praticamente me puxa de shopping adentro, me levando por entre as lojas mais caras que eu já vi na vida.

entra de uma por uma, e isso faz com que gastemos muito tempo do dia.

Estou exausto. ㅡ falo, suspirando quando ele remexe mais uma arara de

ㅡ ele ergue uma camisa para mim e a analisa em meu corpo. ㅡ irá ficar linda em você.

Busco a peça, procurando a etiqueta.

Cento e trinta mil won? Nem pensar! ㅡ falo, mas ele me olha e respira fundo para, com certeza, não me xingar.

ㅡ Será presente, aceite logo!

olhos, desconfiado, mas não devolvo a camisa.

mais três, todas em cores amenas e simples, mas fico mesmo chocado com o preço de cada uma.

Sinto meu celular vibrar e sorrio ao ver que é uma mensagem de Hyun-suk.

Hyun-suk:

casa? Irei te enviar um presente para que use hoje.

Arregalo meus olhos, ele também vai comprar um presente?

Jaejun:

|Não estou em casa. Vim ao shopping com Jackson.

Hyun-suk:

|Mas logo estará em casa?

Jaejun:

|Acho que não, Jack quer me ajudar a me arrumar hoje. Acho até que você vai precisar me buscar na casa dele.

Hyun-suk:

|Tudo bem, me envie o endereço dele. Envio o pacote para lá,

Jaejun:

|Tudo bem.

Enviei o endereço completinho para Hyun-suk e me senti ansioso.

Jack, vamos logo na tal joalheria! ㅡ chamei Jackson.

Espera, vamos olhar algumas calças também.

Suspirei, mas segui com ele.

fez provar quatro calças, e se há uma coisa que eu deteste no mundo, é

fiquei feliz no fim quando todas ficaram boas e até deixaram minha bundinha arrumada. Ele me fez levar todas elas até o caixa, e no fim, pagou por

tá parecendo um sugar daddy. Não precisa comprar todas essas coisas para

me chamar de sugar daddy outra vez, te meto uns tapas. Sou a rainha, esqueceu? Estou apenas alegrando

meus olhos, mas o acompanhei com todas aquelas sacolas em nossas mãos. Quando enfim adentramos a tal joalheria, me senti como um peixinho fora

chique demais, as peças exalavam carestia e eu me senti preocupado com o fato se teria dinheiro para comprar algo ali

Boa tarde. ㅡ uma moça apareceu para nos atender. Ela era sorridente. ㅡ sejam bem-vindos, posso

Amorzinho, está vendo este homem aqui? Ele é um homem apaixonado. Viemos aqui para encontrar um presente ideal para representar o amor mais boiola que você

Jackson dizer aquilo e sorrio sem jeito, vendo-a sorrir ainda

Então busca um presente para a namorada? ㅡ

hm... para o namorado. ㅡ falei, olhando-a com atenção. Suas sobrancelhas ergueram-se, mas ela

Certo, e o senhor tem algo em

Bem... ainda não, mas meu namorado é muito vaidoso. Ele usa brincos, colares, pulseiras...

Ok, por favor, sentem-se. Irei apresentar algumas peças que tivemos da coleção passada de dia dos namorados. Também há algumas novas, mas não simbolizam o

bem, você pode trazer, daremos uma olhadinha em

junto a Jackson nas banquetas que haviam próximo ao balcão e mergulhei na perfeição que eram as joias ali expostas. Os valores variavam bastante, mas na maioria passava do que eu recebia no mês

com vergonha de não poder pagar por nada aqui. ㅡ sussurrei para

Jack apenas estalou a língua, negando.

retornou e meus olhos se atentaram no que ela trazia em

Woah, que brincos lindos. ㅡ falei, vendo-a buscar um dos pares,

peça se chama "rios". O nome foi dado pela forma que o ouro branco

que tem de romântico em "rios"? ㅡ Jackson pergunta. ㅡ O nome

A moça ri, baixo.

o preço? ㅡ pergunto antes que a moça explique a história de "rios". Não quero que ela

um milhão e duzentos

esse não. ㅡ digo, fazendo-a arregalar os olhos outra vez e Jack me olhar. ㅡ preciso de uma peça até quinhentos

mulher olha as peças uma a uma. Eu espero, não tenho pressa. Só não quero fazer dívidas, sei quanto é meu orçamento limite e é isso que

aqui. ㅡ ela parece animada e busca outro par de brincos. ㅡ esse se chama "nós", pela forma que a prata foi esculpida. Se perceber, parece que são duas pessoas se encontrando e se

Jackson outra vez franze o nariz.

consigo ver isso, são só dois

que não. ㅡ falo, erguendo a peça para ele. ㅡ olha, na parte de baixo parece que estão se abraçando pela forma que os palitinhos de prata se encontram.

ele realmente não gostou. Mas olho para a vendedora e faço a pergunta

ㅡ Quanto custa.

A peça é de prata, mas é banhada a ouro branco, então custa trezentos e noventa mil

valor, mesmo estando dentro do meu teto de gasto, ainda é como um tiro à

brincos, imaginando como ficará lindo nas orelhas

E se eu... hm, pagar a vista? Não

ri baixo outra vez, e

a peça fica por trezentos e cinquenta mil won, mas apenas porque consigo ver como o senhor quer mesmo levá-la para o seu

então eu vou levá-la. Pode colocar numa caixinha bem fofa? Hyun-suk vai

ㅡ Claro que posso.

eufórico quando ela leva as peças e me encaminha até o caixa. Assino o termo de autenticidade da peça e a namoro quando é colocada dentro da caixinha de

joalheria quase saltitante. Hyun-suk vai ficar tão bobo com o meu

enfim retornamos para a casa de Jackson, pude respirar aliviado por encontrar a caixinha que Hyun-suk enviou sobre a cama dele ainda

O que o loirão te mandou? ㅡ Jack pergunta, entregando suas sacolas a Lia, que as recolhe e caminha de volta ao

minhas sacolas no canto perto da cama e busco a caixa. Guardo o presente de Hyun-suk ali e recolhendo o bilhete que está junto ao laço vermelho que fecha a tampa da