Bela Flor - Romance gay Capítulo trinta e sete

sprite

Hyun-suk estava encostado em seu carro, e me perco no vislumbre que é meu amor vestido com roupas sociais, mas completamente escuras.

Me aproximo, vendo-o também caminhar em minha direção e sorrio quando sinto-o enlaçar minha cintura, me dando um beijo tão caloroso e cheio de saudade que suspiro em deleite.

ㅡ Olá. ㅡ ele diz, baixinho.

Sinto sua boca tocar a minha em um selar e seus dentes puxarem devagar uma pontinha do meu lábio inferior.

ㅡ Oi, amor.

Hyun-suk sorri e aspira meu pescoço, deixando um beijo bem ali. Olho de relance para seu carro e enfim noto, é novo.

ㅡ Trocou de carro? ㅡ pergunto, ainda o sentindo me beijar devagar.

ㅡ Não.

Gemo baixo, mas afasto-o devagar, lembrando que ainda estamos na entrada da casa de Jackson.

ㅡ Então de quem é o carro?

ㅡ Meu. Comprei hoje.

ㅡ Mas porquê? Você tem tantos carros, Hyun.

ㅡ Só gostei do modelo. ㅡ ele dá de ombros. Vejo Hyun-suk se afastar e buscar minha mão, me fazendo dar uma voltinha devagar e tímida. ㅡ a peça ficou linda no seu corpo.

ㅡ Ela valorizou bastante meu bumbum...

Hyun-suk ri, mas nega.

ㅡ Ele quem valorizou ela. É uma peça qualquer em um corpo único.

Não consigo controlar meu sorriso bobo que nasce, mas vejo Hyun-suk buscar algo no carro e me animo.

Ele segura uma nova caixa na mão, e a traz até mim.

ㅡ Outro presente, Hyun? ㅡ ele assente, entregando-me. ㅡ assim eu vou ficar muito mal-acostumado.

ㅡ Esse é o meu desejo. ㅡ ele diz.

Nego, voltando minha atenção a caixa e a abro devagar. Me surpreendo por só então perceber que não é uma caixa comum de papel, é uma caixa de joias, e nela há uma nova coleira, mas uma completamente diferente da primeira. Meus olhos vão até Hyun-suk e ele parece ansioso.

ㅡ Hyun, ela é...

ㅡ Linda? ㅡ ele pergunta, baixo. ㅡ Pedi para fazerem para você. Quero que aceite ser meu submisso. Essa coleira representa o elo que você terá comigo.

ㅡ Essa não é social como a outra?

ㅡ Não. Se aceitar essa coleira, será oficialmente o meu submisso. Não acho que precisemos de contrato, mas se preferir, podemos fazer isso também. Essa coleira significa que, enquanto estiver no seu pescoço, você não atenderá a outro dominador senão a mim, que você pertencerá completamente a mim, mas que eu também serei inteiramente seu.

Sorrio, mordendo meu lábio inferior quando toco a peça. Ela é de couro preto e é pesada, mas há pedras adornando-a e todas são vermelhas como a cor dos meus cabelos, o que contrasta. No centro há um pingente em formato de coração. Toco-o também, sorrindo como bobo quando leio na parte de trás a frase "Bela flor" e na frente simplesmente há "Jeon".

ㅡ Você aceita?

Me sinto nervoso, meu coração está acelerado. Não lhe respondo de imediato, mas busco a peça e a retiro da caixa que deixo sobre o capô do carro novo.

Ergo-a para Hyun-suk, entregando-lhe, e quando me viro para que ele a encaixe em meu pescoço, ouço seu suspirar pesado, notando como ele estava nervoso naquele segundo também.

Sinto as pontas dos dedos de Hyun-suk tocarem minha nuca. Meu corpo arrepia e meus olhos se fecham. Sou capaz de ouvir o tilintar baixo da fivela que há atrás, mas quando sinto a peça fechar em torno do meu pescoço, pesando bem ali, sorrio ainda com os olhos fechados, mergulhado no prazer que apenas aquilo me traz.

ㅡ Como se sente? ㅡ ele pergunta baixo, ainda atrás de mim.

Sinto as mãos de Hyun-suk tocarem minha cintura e suspiro, sentindo-o se encaixar bem atrás de mim.

ㅡ Me sinto bem, meu senhor. ㅡ respondo igualmente baixo, mordendo meu lábio quando sinto sua língua deslizar da minha nuca até minha orelha. Com um beijo molhado deixado no lóbulo, Hyun-suk se afasta devagar e sorri ao me virar.

ㅡ Vamos.

Hyun-suk faz questão de abrir a porta do quarto para que eu entre. Lhe agradeço, tocando a coleira quando sento no banco de passageiro e aproveito para me olhar no espelho retrovisor. A peça brilha, demonstrando como foi realmente feita para mim no segundo em que meus cabelos também brilham.

Ele adentra o carro, pondo o cinto de segurança e dá partida para Scandal.

Durante o caminho, não falei muito. Ouvia a música baixa que Hyun-suk permitiu ecoar no carro e sentia sua mão apertar uma de minhas coxas, brincando com o harness por ali.

Mas ainda falamos sobre o dia em que tivemos. Hyun-suk parecia interessado em como eu e principalmente Jackson havíamos saído para gastar no shopping mais caro de Seul.

Quando enfim chegamos a Scandal, a fachada de fora parecia tão amena como a de qualquer outra mansão comum. Entretanto, eu vi quando a porta se abriu para duas mulheres que estavam chegando ali naquele segundo e pude notar as luzes vermelhas do lado de dentro.

ㅡ Tudo está vermelho, Hyun? ㅡ olho-o surpreso e ouço-o rir. Percebo meu deslize e cubro minha boca enquanto arregalo meus olhos.

ㅡ Está tudo bem. ㅡ Hyun-suk diz. ㅡ mas nada de "Hyun" lá dentro, tudo bem?

Assinto, vendo-o estacionar o carro para em seguida sair. Hyun-suk dá a volta e abre a porta para que eu desça. Sinto sua mão segurando a minha e lhe agradeço.

ㅡ E hoje é a noite escarlate.

ㅡ O que significa? ㅡ Pergunto.

ㅡ Significa que vermelho é a cor favorita do dono da boate. Que ele, por algum motivo, está vidrado nesta cor.

Olho para Hyun-suk e nego, me sentindo infinitamente apaixonado.

Ele sorri, abraçando minha cintura quando para a minha frente.

ㅡ Dizem que ele está amando um homem de cabelos carmins, por isso a cor, ela simboliza o amor.

Não resisto quando toco seus lábios com os meus e sorrio quando ele me aperta ainda mais pela cintura.

Nos afastamos devagar e me permito mergulhar em seu olhar apaixonado.

ㅡ Podemos ir?

Toco meu bolso e abaixo meu olhar, me sentindo nervoso.

ㅡ Tem algo que eu quero te dar antes.

ㅡ Me dar? ㅡ Hyun-suk se atenta.

ㅡ Uhum. Não é nada muito grandioso, mas... é um presente. O meu primeiro presente a você como namorado.

Hyun-suk sorri com tranquilidade ao ouvir a palavra "namorado", mas se atenta a minha mão.

Tento não tremer, mas realmente estou nervoso. Ergo a caixinha para ele, vendo seus olhos virem para os meus para em seguida voltar a olhar a caixinha.

ㅡ Vamos nos casar? ㅡ ele brinca.

Estalo a língua e nego, rindo, mas abro a caixinha e vejo seus olhos observadores repousarem sobre o par de brincos.

ㅡ Essa peça se chama "Nós", Hyun. É como um abraço de namorados.

Hyun-suk se aproxima um pouco mais, tocando a caixinha e sorri.

ㅡ É lindo, amor. Obrigado.

ㅡ Gostou?

ㅡ Sim, é perfeito.

ㅡ Posso colocar em você, então? ㅡ pergunto, mordendo meu lábio inferior.

Hyun-suk assente, retirando o primeiro brinco e me entrega. Tento ser atrevido como Hyun-suk, e antes de encaixar a peça em sua orelha, deixo um pequeno beijinho abaixo de seu lóbulo.

Ele sorri, mas quando encaixo a peça, olhando como ficou nele, ofego, pois é como se Hyun-suk tivesse nascido para usar a peça.

Ou melhor, como se a peça tivesse sido feita para ele.

Encaixo o segundo brinco e vejo Hyun-suk tocar as orelhas, averiguando no reflexo do carro como ficaram em si.

ㅡ Lindo, meu bem.

Me sinto tímido por ver como ele realmente gostou, mas o vejo me encarar e sorrir ladino antes de me beijar na boca, quando se afasta, Hyun-suk diz:

ㅡ Eu pensei em esperar até quando estivéssemos em casa, ou, não sei, no meu escritório. Estava nervoso só de pensar como te entregaria isso, mas já que estamos no clima...

Hyun-suk também retira algo do bolso da calça social que veste. Atento-me ao perceber que é uma caixinha de veludo preta e sorrio, sentindo minha barriga revirar em nervosismo.

ㅡ Vamos nos casar? ㅡ ouso brincar também, mas Hyun-suk abre a caixinha e faz meus olhos saltarem ao ver um anel bem ali. ㅡ H-Hyun, n-nós...

ㅡ Não vamos nos casar. ㅡ ele diz, brincando. ㅡ mas esse também é o meu presente de namorado para você.

Suspiro um pouco mais aliviado e percebo como não estou nem um pouco pronto para receber um pedido de casamento, mas olho o anel, ele é simplesmente lindo e brilha muito.

Hyun-suk o retira, deixando a caixinha sobre o capô do carro, assim como fiz com a caixinha dos brincos e o ergue para mim.

ㅡ Posso?

Assinto, erguendo minha mão direita a ele. Vejo-o encaixar o anel no meu dedo anelar e deixa um beijo sobre a pedrinha verde que brilha ao lado das outras duas que parecem diamantes.

Parecem, porque Hyun-suk não seria nem doido de gastar com um diamante verdadeiro, eu o mataria!

ㅡ É tão perfeito, Hyun. Muito lindo, obrigado. ㅡ o abraço forte.

Hyun-suk ri, mas circula minha cintura e suspira quando deixo um novo beijo em seu pescoço.

Nossos olhos se encontram quando nos afastamos devagar e sorrimos juntos.

ㅡ Obrigado. ㅡ digo num sussurro. ㅡ amo muito você.

Hyun-suk me beija, ele sequer precisa dizer que também me ama porque seu beijo entrega isso.

Quando outra vez nos afastamos, vejo-o buscar as caixinhas das joias para guardar no carro antes de segurar minha mão com o anel e parecer encantado.

ㅡ Podemos ir? ㅡ ele pergunta, erguendo os olhos para mim.

Assinto, segurando sua mão com um pouco mais de força, também encantado como o anel fica ainda mais bonito quando estamos assim.

Hyun-suk não coloca uma guia em mim como da primeira vez que estivemos na Scandal, ele parece não querer mais me mostrar como algo que só ele tem. Agora uso uma coleira e sou oficialmente seu submisso. Todos entenderão no segundo em que nos ver juntos que eu lhe pertenço assim como ele também me pertence, e todos respeitarão isso.

A porta é aberta e quem o faz é um homem vestindo terno. Ele recolhe também a chave do carro de Hyun-suk enquanto meus olhos se encantam com a decoração intensa da boate.

Tudo literalmente está vermelho. Há uma música sensual tocando pelo ar e algumas pessoas ainda adentram o lugar assim como nós.

Penso se Hyun-suk irá largar minha mão no segundo em que damos um passo para dentro, entretanto, ele continua com o toque e me leva cada vez para mais dentro da Scandal.

Olhares intensos nos cerca. Sinto-me tímido, mas ele continua a caminhar ao meu lado com todo seu poder.

Ele cumprimenta algumas pessoas e quando chegamos ao local onde há uma pista de dança e algumas mesas, sinto-o repousar a mão em minha cintura, caminhando com meu corpo ainda mais colado ao seu.

ㅡ Deseja beber algo? ㅡ Hyun-suk pergunta. ㅡ será apenas uma vez, mas pode escolher o que quiser.

Olho o cardápio, mas nego.

ㅡ Senhor? ㅡ o chamo após vê-lo fazer o pedido de um uísque com gelo.

ㅡ Diga, meu bem.

ㅡ Quando iremos até o quarto de vidro?

Hyun-suk sorri.

ㅡ Está ansioso?

ㅡ Um pouco...

iremos, mas se não quiser ficar esperando, pode dar uma volta pelo salão. Quer fazer isso?

Neguei, queria apenas ficar com ele.

Então vamos nos sentar um pouco. ㅡ Hyun-suk diz, apontando para um dos sofás da área vip. Ele busca o uísque, pedindo para que sirvam água na mesa e caminha ao meu lado.

Quando nos sentamos ali juntos, agradeci quando a água foi servida a mim e me surpreendi quando vi um rosto familiar vindo bem à

não tô nem acreditando! ㅡ disse, fazendo Hyun-suk olhar e rir. Encarei a cara deslavada de Taeshin sentar ao meu lado no sofá e

Hajun e JiHo vieram logo atrás. Encarei a cara do meu melhor amigo, me sentindo um bobo por não pensar que, quando Hyun-suk me contou que Hajun estaria ali com duas pessoas, uma delas provavelmente seria esse safado.

coleira de Taeshin e rio ao ler "Brat". Não me surpreende nem um pouco aquilo.

ㅡ Você não vai falar nada? ㅡ Ele perguntou, ainda rindo de modo completamente sem vergonha.

Eu não tô nem acreditando, Taeshin!

Shh, não me chama assim aqui. ㅡ ele diz, encostando-se no estofado. Hyun-suk repousa a mão sobre minha coxa quando bebe outro gole do seu uísque. Hajun encara a postura de Taeshin e umedece os lábios. JiHo parece completamente submisso a ele, mas Tae parece gostar de atiçar seu dominador com sua forma de

ㅡ E como eu te chamo?

Gatinho. Roubei o apelido do meu baby.

Nosso. ㅡ Hajun diz, baixo e grave. ㅡ e somente eu te chamo de gatinho. Pode chamá-lo de Kim, Jeon.

Assinto, mas vejo Taeshin revirar os olhos.

Ri baixo, desviando os olhos para o meu dominador que parecia à vontade com todos ao nosso redor.

ㅡ Gostei da coleira. ㅡ ouço Taeshin dizer.

ㅡ Meu senhor me deu hoje. ㅡ falei, olhando-o.

ㅡ Não é linda? Agora Jeon é inteiramente meu. ㅡ Hyun-suk diz, buscando o copo com seu uísque, bebericando enquanto encara Taeshin e desvia os olhos para Hajun.

É muito linda. ㅡ Tae diz, encantado.

O quarto já está disponível. ㅡ Ouço Hyun-suk falar para Hajun.

assente, apertando a coxa de JiHo enquanto puxa a cintura de Taeshin para colá-lo a si.

ㅡ Você não está, hm... com vergonha? ㅡ sussurrei a pergunta para Taeshin, mas o vi negar.

ㅡ Nem um pouco. Estou ansioso. Meu dominador disse que se eu me comportar, vou ganhar muitos agrados.

Hajun sorri, inclinando-se quando busca a boca de Taeshin para deixar um beijo quente. Desvio os olhos, vendo como JiHo ainda se mantém quieto, mas atento aquele beijo. E pelo sorriso pequeno que ele deixa escapar, talvez ele goste muito de vê-los juntos.

Tudo bem, irei deixar com que as pessoas vejam um pouco mais da beleza de meus dois submissos e em seguida irei. ㅡ Hajun fala se erguendo junto aos outros dois e nos olha. ㅡ espero ver ambos lá.

Hyun-suk assente, despedindo-se. Vejo meu amigo ir animado ao lado de seu dominador enquanto JiHo ainda caminha quieto.

Aproveito um pouco do tempo com Hyun-suk ali e me desmancho a cada vez que ele me beija e me aperta, fazendo todos ao redor sentirem inveja de si por me ter ali, quase sobre seu colo.

Não sei o que de fato me faz agir assim quando estou com Hyun-suk e principalmente na boate, mas gosto da forma em como ele me exibe. Gosto de como me olham e como ele parece se divertir com a forma em como deixa explícito que servirei apenas a ele.

Ouço-o me chamar para sentar sobre sua coxa e assim o faço. Hyun-suk ainda bebe o restante de seu uísque de forma vagarosa, analisando o lugar enquanto sua mão acaricia minha coxa.

Sinto alguns novos olhares sobre nós.

Vamos, meu bem? ㅡ desperto quando o ouço me chamar.

Assinto e ergo-me, sentindo-o voltar a segurar em minha mão, entrelaçando seus dedos aos meus, caminhando assim por entre as pessoas. Sorrio fraco, subindo as escadas com tapetes vermelhos.

Não sei se toda atenção que ganhamos é devido à festa ser em comemoração ao amor que Hyun-suk descobriu sentir ou apenas porque nos acham bonitos juntos, mas quando chegamos ao andar de cima atraímos ainda mais. Hyun-suk cumprimenta outras pessoas enquanto me mantenho quieto. Não recebo mais nenhum outro convite para pertencer a outro dominador ou dominatrix como da primeira vez.

Seguimos pelo corredor que nos dá acesso ao quarto de vidro e assim que entramos, Hyun-suk vai até à fileira da frente, ainda levando-me consigo para sentar na cadeira que julgo ter a melhor vista de toda a arquibancada.

Olho ao redor, vendo que uma enorme cortina cobre a fronte do quarto. Algumas pessoas se ajeitam ao redor e até mesmo pessoas sozinhas sentam ali, curiosas e ansiosas.

Os observo, guiando meus olhos para a parte traseira e vejo que no canto há um garoto sozinho. Franzo o cenho, seu rosto é familiar para mim, mas ele rapidamente coloca uma máscara, o que cobre seus olhos e me deixa

Hanguk adentra a sala também e sorri quando me vê, seus passos são direcionados a direção em que eu e Hyun-suk estamos, mas assim que ele também vê o garoto sozinho, sorri, caminhando até ele, sentando-se ao seu lado.

Ele rapidamente cumprimenta o garoto, e eu o vejo sorrir, negando em seguida. Hanguk ergue a mão e cumprimentando o garoto. Ele aperta a palma do outro, mas não o encara, apenas assente com a cabeça baixa.

Algum problema, amor? ㅡ ouço Hyun-suk perguntar.

Volto minha atenção a ele e nego, juntando minha mão a sua enquanto presto atenção na cortina que se

vejo as luzes do quarto se acender. Hajun adentra, sendo seguido por Taeshin que sorri animado para a "plateia". Nego, sorrindo pequeno e vejo JiHo adentrar por último, já totalmente despido, parando rapidamente em sua posição como submisso. Ele senta sobre os joelhos de frente a Hajun, depositando as mãos sobre os joelhos, abaixando a cabeça enquanto as encara.

Hajun parece gostar de toda aquela devoção do submisso. A sala é silenciosa, todos assistem ao início da prática, e eu me surpreendo ao ver que Taeshin se manterá de pé ao lado de Hajun.

O safado passeia a língua pela bochecha, assistindo a JiHo

ㅡ Busque a corda, gatinho ㅡ Hajun pede a ele.

Ele busca num dos cantos, em um dos tantos apoios que há espalhados no lugar com alguns brinquedos. Entrega a Hajun que lhe agradece com um sorriso, e pede gentilmente para que JiHo se erga e ponha seu braço para trás.

E ele o faz, virando-se de costas para o dominador, mantendo o olhar baixo enquanto seu corpo nu está de frente para todos nós. Seus pulsos são amarrados com suavidade. Hajun também passa a corda por seu tronco e a leva de volta para trás, prendendo-a antes de voltá-la para a frente outra vez.

um nó firme que deixa nítido a marca avermelhada da corda pelo tronco pálido de JiHo. Quando noto a forma em como o Jung puxa firmemente a corda para certificar de que JiHo não se soltará, ouço-o gemer baixo, apertando as pernas quando seu pau pulsa apenas com o aperto do material em torno de seu

Baby gosta da forma em como a corda o limita. Ele também sente prazer na dor. ㅡ Hyun-suk explica,

Hajun sorrir ao virar JiHo e ergueu o rosto já tão entregue a si ao tocá-lo sobre o queixo. Seu corpo se aproxima do menor e quando Hajun sorri ladino outra vez, apertando a ereção do menor contra sua coxa, JiHo geme baixo, atentando-se

de bruços na mesa, baby. ㅡ Ele

caminha até a mesa que há no centro do quarto e fica de bruços como lhe foi ordenado, empinando sua bunda enquanto Taeshin e Hajun apenas

Jung então desvia a atenção de JiHo para Taeshin, e para a sua frente, sorrindo outra vez quando o encara e toca o zíper que fecha sua jaqueta de couro. Assim ele desce o zíper, abrindo-a, a arranca e a joga num canto, encarando Taeshin sem desviar

tronco nu de Taeshin então nos permite ver algumas marcas arroxeadas como chupões que há lá. Hajun desvia a mão para o cinto que prende a calça dele e o retira, enrolando em sua mão antes de

Vá até lá e fique como

JiHo, Taeshin sorri e não o obedece de prontidão. Hajun então ergue sua mão livre e adentra dois dedos na argola que há na coleira de Taeshin, puxando-a com força, fazendo-o aproximar-se enquanto sorri

ao seu dominador, gatinho. Vá até lá e fique ao lado de baby, exatamente como ele

ele atende, mas Hajun solta parte do cinto e estala na coxa ainda coberta de Taeshin, fazendo-o suspirar pesado tomado pelo susto que aquilo lhe traz, e sorri quando encara os olhos do

ouvi sua resposta. ㅡ Ele diz,

ㅡ Sim, senhor.

assim Taeshin vai, caminha até JiHo que espera quieto, mas antes que chegue lá, Hajun

ㅡ Tire sua roupa, gatinho.

os dedos de Hyun-suk acariciarem os meus, como num gesto sequer pensado, então não desvio os meus olhos quando meu melhor amigo se despe sem vergonha alguma, olhando para Hajun quando recolhe sua roupa e joga no canto também, debruçando-se sobre a mesa, ficando cara-a-cara com

baby. ㅡ Taeshin cumprimenta JiHo,

respira pesadamente, me causando um arrepio

eles estão namorando? ㅡ pergunto baixo

é um dos meus melhores amigos, mas nossas vidas andam tão cheias de coisas diferentes que raramente nos encontramos como antes junto a todos no grupo. E quando o assunto é JiHo e agora Hajun, nós não falamos sequer uma

sei, meu bem. Eles parecem se gostar, mas são

minha atenção para eles e vejo Hajun caminhar até onde estão os chicotes, dedilhando alguns enquanto brinca, já que está de frente a

fica quieto a todo o momento, mas ainda vejo Taeshin mostrar-se curioso e erguer os olhos para Hajun, remexendo um pouco o quadril quando Hajun busca um chicote com franjas, balançando-as sobre o ar ao se

até onde eles estão, arrastando o chicote pelo corpo de JiHo e o fazendo se remexer, assim como Taeshin. Hajun então estala uma chicotada sobre a bunda do Min, me fazendo sobressaltar com o som daquilo e suspirar ao sentir Hyun-suk apertar vagarosamente minha coxa. Rapidamente a pele branca de JiHo se torna vermelha, ele geme alto quando Hajun o chicoteia outra vez, deixando assim os dois lados de sua

afasta, analisando sua arte deixada ali e então desvia os olhos para o corpo de Taeshin. Ele passeia o chicote por Taeshin assim como fez com JiHo, mas estala-o sobre as coxas de Taeshin, fazendo meu amigo fechar rapidamente as pernas e gemer arrastado, esfregando o pau ereto preso por ambas as

se afasta outra vez e busca um vibrador. Ele o envolve com lubrificante, fazendo o líquido pingar e causar ainda mais sensações aos seus submissos e também a

leva consigo, ligando-o quando se aproxima

pernas, me sinto sensível e ter Hyun-suk subindo e descendo os dedos em minha pele, me

o vibrados da entrada de JiHo e a lambuza antes de enfiá-la com força, fazendo-o gemer, enquanto deixa o objeto lá,

A velocidade está moderada. ㅡ ele avisa. ㅡ mas posso aumentá-la caso não seja um bom garoto, baby. Lembra-se

Sim senhor. ㅡ JiHo responde, fraco, remexendo-se enquanto se mantém

dominador sorrir, passeando a mão por sua bunda, acariciando o local vermelho antes de se

as pernas para mim, gatinho. ㅡ Hajun pede a Taeshin, tocando sua bunda

se concentrar apenas no toque de Hajun, já que quando o tem, geme manhoso, juntando ainda mais as coxas atrás

então debruça-se sobre ele, encaixando seu pau ereto, mas ainda coberto pela calça social que veste, infiltrando os dedos nos cabelos escuros de Taeshin. Ele os puxa devagar, O que traz Taeshin para trás, erguendo o tronco minimamente enquanto rebola devagar sobre a

Abra as pernas, gatinho. ㅡ pede outra vez. Taeshin nega, tentando virar-se para beijar Hajun na boca, mas o Jung mantém firme o aperto nos cabelos, segurando-os pelos fios quando o vê sorrir satisfeito, repetindo o pedido: ㅡ abra as pernas, ou irei te

Irá me foder com

não abri-las, foderei baby e te farei apenas olhar. Não seja um garoto mau, sei que quer sentir meu caralho te foder forte

outra vez, mas não protesta, ele abre ambas as pernas enquanto suspira devagar quando Hajun o solta. Seus olhos vão para JiHo, que geme baixo e arrastado, mantendo as pernas firmes naquela posição, mesmo que às vezes as trema devagar ao observá-las juntos e ao sentir a vibração dentro

outra vez o lubrificante, levando Taeshin a lhe olhar com atenção. Mas diferente com Baby, ele o despeja sobre

para o nosso baby. ㅡ Hajun pede a Taeshin. Tae faz como pedido, e até se esgueira para roubar um selar de JiHo. ㅡ Ouça-o,

busca o controle do vidrador, aumentando a velocidade, fazendo JiHo tremer

como ele se tem as bochechas rosadas, os olhos fechados e a boca

subir os dedos por minhas coxas e apertar bem perto da ereção que já carrego. Suspiro, fechando meus olhos brevemente, mas atento-me a Hajun metendo de forma lenta os dedos em

som abafado do meu melhor amigo segurando seu gemido enquanto o de JiHo preenche a sala. Hajun desliza a mão livre pelo corpo de JiHo, enquanto estoca a outra

a cada vez que seu quadril remexe e faz o vibrador dentro de si se mover. Taeshin também remexe devagar, mas é sobre os dedos de Hajun e controla seus sons a cada vez que é

se delicia com o momento, ele suspira e parece hipnotizado em como ambos se entregam a si, e quando percebe que seus submissos já estão à beira de se entregar ao prazer, ele retira os dedos e puxa de volta o vibrador, fazendo-os suspirar pesadamente em

puxa JiHo pela corda, trazendo seu corpo para se erguer com pressa, o que me causa outro ofegar, e o beija na boca enquanto aperta a ereção que ele

toque se finda, Hajun sorri, ordenando para que JiHo fique ao lado da mesa, parado enquanto Hajun volta a dar atenção para