Bela Flor - Romance gay Capítulo cinco

sprite

É quase dez da noite quando decido enfim erguer meu corpo do chão para desligar a TV e caminhar de volta ao meu quarto.

Eu penso em deitar e fingir que dormi, mas é o som alto de batidas em minha porta que me fazem bufar mais uma vez aquela noite quando eu sequer consegui realmente chegar até a cama. Giro sobre meus calcanhares, rumando de volta para a sala, indo até a porta para abri-la e dar de cara com Kim Taeshin.

ㅡ Eu te odeio... ㅡ falo quando abro e o vejo sorrir.

ㅡ Odeia nada. ㅡ ele estala a língua entra.

Eu o observo caminhar até meu sofá, e lá, abrir a bolsa que trouxe consigo.

ㅡ Aqui, veste. ㅡ e ergue as roupas para mim.

Busco sem dizer nada e observo as peças.

É uma camisa social branca transparente.

TRANSPARENTE!

ㅡ Nem fodendo. ㅡ digo, negando.

ㅡ Usa isso aqui também. ㅡ tira um cinto preto, totalmente exagerado, e uma pequena gargantilha.

Nego, olhando tudo, mas busco a calça também.

ㅡ Não vai caber em mim. ㅡ falo olhando-a. ㅡ vai ficar folgada, sua bunda é maior que a minha.

Taeshin analisa, mordendo o lábio inferior.

ㅡ Então usa a guerreira, sua bundinha vai ficar empinada.

ㅡ Taeshin ... ㅡ eu choramingo. ㅡ O Park vai mesmo estar lá?

ㅡ Jaejun, que coisa. Ele não vai te pegar a força ou algo assim. É uma social.

ㅡ Eu sei que ele não vai, se ele tentar algo assim, eu chuto as bolas dele. Mas é que eu não quero ir...

ㅡ Não quer mesmo? ㅡ ele me olha. ㅡ Ok, não vá.

Quando vejo Taeshin ficar de pé, buscar o celular, e começar a caminhar em direção a porta, eu sinto um desespero tão grande, que apenas me pôr à frente dele e o segurar pelos ombros foi o que pensei.

ㅡ Tá bom, eu vou...

ㅡ Vai porque quer? Porque se não quiser ir, pode ficar em casa mesmo. A gente só quer mesmo se divertir.

ㅡ Eu vou... ㅡ falo, suspirando. ㅡ Eu só... estou com medo ainda...

Vejo Taeshin desmanchar a marra e amolecer, tocando em meu pulso com delicadeza.

ㅡ Medo do quê? ㅡ ele pergunta e caminha de volta ao sofá comigo. Sento ao seu lado, encolhendo meus ombros.

ㅡ Eu não sei, mas estou confuso...

ㅡ Por causa do beijo?

ㅡ Mais ou menos...

ㅡ Desabafa comigo. ㅡ ele pede e me puxa para que eu deite minha cabeça em seu colo. Eu rio, mas deito sem cogitar.

ㅡ Eu passei o dia pensando nele. ㅡ falo, encarando o teto.

ㅡ No Park? ㅡ assinto e até encolho um pouco as pernas. Taeshin é um bom amigo, dos que gosta de ouvir. ㅡ e você acha que isso é ruim?

ㅡ Eu não sei, e é por isso que tenho medo... Eu não sei se sou gay, mas Jack disse que não devo me rotular e tudo bem... mas eu gostei tanto de beijar ele... Gostei ainda mais do toque forte...

Taeshin assente, pensativo.

ㅡ Está tudo bem, Jae. Você gostou de como ele te tratou. Isso é bom, de certo modo, é quem você realmente é, está se descobrindo.

ㅡ Eu pensei nele o dia todo e nem o conheço. Estou com medo de ir nessa social e vê-lo novamente. Não sei como reagir a isso.

ㅡ Você não quer beijá-lo mais? Porque se não quiser, é só dizer isso a ele, ele vai entender. Estaremos todos lá, ele não vai te forçar a nada. Prometo que te protejo. ㅡ ele pisca.

Eu nego novamente e até sorrio.

ㅡ Não é isso, o meu medo é justamente o contrário disso. Eu acho que eu... quero beijá-lo mais.

Ouvi o riso soprado de Taeshin.

ㅡ Você realmente está se descobrindo, Jae.

ㅡ Você acha?

ㅡ Claro que está e não se prive. O autoconhecimento é algo muito bom, assim você poderá respeitar seus limites e extrapolar quando se sentir à vontade para tal coisa.

Me sentei e o encarei.

ㅡ Tudo bem. ㅡ dei-lhe um sorriso, me sentindo um pouco mais tranquilo.

Talvez eu realmente devesse tentar me conhecer mais.

Após alguns minutos, Taeshin me expulsou do meu próprio sofá, para que eu fosse tomar outro banho, mesmo eu resmungando que ainda estava limpinho e cheiroso.

Vesti as roupas que ele havia sugerido, e no fim até gostei. A calça que ele disse para vestir ㅡ e que realmente era a única que eu tinha ㅡ realmente caiu bem no corpo e com a camisa transparente que ele fez questão de me instruir a deixar dois botões abertos para não ficar muito careta.

O cinto não foi opcional, eu fui obrigado a vesti-lo, mas a gargantilha foi a que mais gostei de usar no fim.

Era a minha primeira vez usando algo como aquilo. Sempre vi a peça como algo apenas para garotas, mas o Jack sempre usava e eu achava muito bonita.

E seguindo o conselho de Taeshin eu resolvi me conhecer, e talvez eu também gostasse de usar aquilo, pois eu realmente me senti mais bonito e até atraente quando a coloquei em meu pescoço.

Enquanto penteava meus cabelos, ouvi batidas à minha porta e como se fosse uma grande onda no mar, o barulho de todos os meus amigos chegando de uma só vez adentrou meu quarto.

Ouvi Jackson perguntar onde eu estava e não demorou para que ele subisse as escadas e já estivesse no meio do meu quarto sem nem pedir licença.

ㅡ trouxe para você. ㅡ ele diz.

Olho para ele através do espelho e vejo que está erguendo uma pequena caixinha. Quando me viro, vejo ser de um perfume importado.

ㅡ Para mim? ㅡ arregalo os olhos, me aproximando.

ㅡ É. ㅡ e ele responde simples, sorrindo em expectativa.

Busco o frasco vendo que é o mesmo perfume que ele e Minah usam.

ㅡ Comprei para te dar ontem, mas esqueci.

ㅡ Tudo bem. ㅡ falo olhando-o, ainda sorrindo. ㅡ muito obrigado.

ㅡ Iti, eu vou me derreter todo assim.

Eu sorrio para ele, e coloco um pouco do perfume. Jackson me observa, e apenas com um erguer de mão, me pede para se afastar e analisar minha roupa.

ㅡ Você está uma delícia. ㅡ é o que ele diz. ㅡ Park que me perdoe, mas que florzinha gostosa.

ㅡ Ah, vai se lascar vai. ㅡ sorrio, deixando o perfume junto aos meus poucos produtos. ㅡ Já estão todos prontos?

Ele assente, caminhando comigo até minha pequena sala já lotada.

Taeshin e ele é quem chama os carros que irão nos levar até onde é a tal cobertura do Jung. No carro, eu sinto minhas mãos suarem, e nem consigo esconder que estou ficando mais nervoso a cada segundo que passa.

Não demora para estarmos todos na entrada de um grande prédio, e para que Taeshin sorria para o porteiro dali, assim que nossa entrada é liberada.

Esse é aquele momento em que eu apenas

Vejo meus amigos todos bem vestidos e animados, sorrindo e observando o lugar completamente luxuoso, e tudo o que consigo fazer é ficar quieto.

Não sou de me sentir à vontade em ambientes novos e é sentindo uma enorme estranheza que caminho até o elevador que nos leva até o último andar e já nos deixa dentro do enorme apartamento

Minha nossa. ㅡ sussurro, totalmente chocado com tudo no lugar.

ㅡ Faz a fina. ㅡ Jackson sussurra de volta para mim.

Assinto, vendo meus amigos sendo recebidos

Taeshin e Hajun se cumprimentam com um selar, mas logo o mais velho vem falar conosco, e é sorrindo grande que ele me cumprimenta.

Ele nos pede para ficarmos à vontade, mas eu não conseguiria sequer se quisesse.

Há muitas bebidas num canto, também há petiscos estranhos e música, que toca num tom tão brando que até relaxa um pouco.

Vejo a porta que, provavelmente, dá para a área externa ser aberta, e é nesse momento que o meu coração dá uma pausa tão grande que até me assusto com a possibilidade de morrer no meio da sala de Jung Hajun.

Eu vejo Kim Hanguk e Park Hyun-Suk adentrarem.

Jackson se conter ao ver o crush bem ali, a sua frente, mais bem vestido que qualquer um daqui.

Porém, nem demora essa minha percepção, pois meus olhos só conseguem focar nele e em como ele está ainda mais bonito que na noite anterior.

cumprimentam também, e sentam no sofá enorme que há na sala.

engulo em seco, e pisco nervoso. É claro que meu coração está tão acelerado que tenho medo que consigam ouvir as batidas que mais parecem cavalos trotando.

Park me olhou por breves minutos e desviou.

Ele não sorriu ou se aproximou de mim para dar um beijinho como foi com Hajun e Taeshin.

Ok, isso não é um problema.

Na verdade, eu acho que nem ligo, porque assim fica mais

A quem estou tentando enganar? Céus...

Com o decorrer das horas, a noite até segue animada entre meus amigos e todos os outros ali. Eu permaneço no sofá, quieto, mas especificamente no canto esquerdo, e Park está sentado na outra ponta.

Ele até sorri e conversa com todos os outros, e num momento em que se ergueu para buscar bebida, eu até mesmo o vi dançar um pouquinho, animando-se com seus amigos.

Mas outra vez ele sentou e agora está com uma perna jogada sobre a outra, enquanto as apoia no móvel de centro cumprido que há em frente ao estofado.

E você deve estar se perguntando: você vai ficar aí só o observando ou vai falar com ele?

Então, eu vou ficar só

Ele sequer me olhou mais, talvez ele também não queira falar comigo.

Mas me chateia um pouco, porque talvez ㅡ TALVEZ, OK? ㅡ se ele me olhasse e até me desse um sorriso, eu pudesse enfrentar minha timidez e lhe dar algo mais do que um simples "oi".

beija, me dá um cartão insinuando que tem coisas a me ensinar, e agora não me dá sequer uma outra olhadinha enquanto eu o observo em todos os seus momentos? Mais que merda.

Eu bufo baixinho e trago a atenção de Yejun para mim. Ele está sentado ao meu lado também, e infelizmente observa Jackson conversar com Hanguk no outro lado da sala.

ㅡ O que foi? ㅡ pergunta.

ㅡ Nada... ㅡ lhe respondo baixo.

ㅡ É o loiro, não é?

Não... Foi só que lembrei que amanhã

ㅡ ele ri, mas volta a olhar para

de olhar para ele. ㅡ peço

dá. ㅡ e agora é ele quem bufa. ㅡ esse tal Kim é um conquistador... Olha só como ele está olhando para o Jack... Um

Eu rio e nego.

é do tal Kim que ele gosta, eu já te

olha e revira

sorrindo, levo minha visão para o Park que agora está de pé perto da porta que dá para a área

se vira e somente ali é que ele

Filho da mãe...

o olhar mais rápido que o próprio flash, mas não consigo permanecer por muito tempo, e torno a olhá-lo

sorrir e piscar, inclinando a cabeça para a esquerda. Franzo o cenho, não entendendo, mas ele apenas sai, fechando a porta em

que ele quer que eu vá até

é isso, porque esse corno simplesmente

Idiota...

mesmo assim, sinto um negocinho se acender dentro de mim, e talvez seja um pouquinho de vontade de ir até lá e descobrir o que ele realmente quer, junto a ansiedade que também me

Respiro fundo.

alguns minutos e a música até está um pouco mais alta, junto aos risos intercalados de quase todos. E o Park continua

Eu hein.

cenho, sem entender o que porra ele realmente faz lá e sinto até mesmo curiosidade

é madrugada, e está fazendo frio. Ele quer

ponho de pé e sem que me percebam, vou até onde estão

tentando disfarçar, eu me esguio para tentar enxergar o que tem do lado de fora, mas apenas vejo uma área grande e completamente aberta, com piscina e uma vasta visão do céu estrelado e da cidade, mas não vejo Park em

meu campo de visão

pego uma bebida qualquer e devagar e sem demonstrar minha curiosidade, eu caminho para o lado de

lugar é realmente enorme. Não deveria me causar espanto, comparado ao lado de dentro, mas é inevitável não

devagar e paro no guarda corpo de vidro transparente que proporciona a visão ainda mais vasta de toda a área abaixo, e a cidade

está muito bonita e a cidade parece calma, mesmo que Seul praticamente não

frio bate contra meu corpo e até bagunça meus fios, mas antes mesmo que eu possa organizá-los, sinto a mão delicada tocar em meu pulso e subir vagarosamente por meu

engolindo em seco quando a voz que pouco foi ouvida por mim, mas que, sem comandos, arrepia todo meu corpo, ecoa no meu pé de ouvido junto ao ar quente da

ㅡ Você demorou.

Suspiro.