Loucos Por Ela Capítulo 45

sprite

Allana

Estes hormônios ainda me farão cometer uma loucura! Quase revelei a Felipe o que de fato sinto, mas por sorte ele permaneceu alguns segundos calado, tempo em que pude voltar à realidade e reconstruir a pose de mulher fria e desapegada.

Ele é muito atrevido! Falou descaradamente que eu estava mentindo e o pior, é que ele está certo.

Voltei para o edifício e já em meu apartamento liguei para o Bryan e expliquei que a situação com o Igor se complicou e pedi que ele me consiga 1 mês de licença e logo recebi a confirmação por mensagem.

Deitei no sofá e em minha cabeça só vinha Felipe e tudo que me disse. Ainda estou anestesiada com aquela revelação e de repente me peguei sorrindo, mas como tudo que é bom dura pouco, logo meu coração apertou, ao lembrar que é impossível ficarmos juntos.

Fui tirada de meus pensamentos com a campainha tocando e quando vi que era meu irmão, abri e ele entrou.

— Onde estava? — Perguntei curiosa.

— Na empresa!

— Entendi… vem aqui, vou cadastrar sua digital na fechadura para que consiga abrir a porta sozinho. — Ele assentiu, eu fiz o procedimento e voltamos para a sala e.

— Irmã, quero pedir desculpas por ter me alterado com você hoje. — Falou ao senta-se no sofá.

— Tudo bem Gus, você está certo! Já pedi um mês de licença e vou voltar com você amanhã mesmo. — Ao me ouvir ele abriu um sorriso aliviado.

— Tomou a melhor decisão!

— Sim. Preciso mesmo sair daqui por um tempo.

— Que bom que entendeu. Sabe que não suporto te ver mal.

— Eu sei. — Concordei pensativa e ele percebeu.

— O que mais está te incomodando? — Inquiriu desconfiado.

— Nada. Só estou um pouco cansada e com dor de cabeça. Deve ser o estresse destes dias.

— Você comeu alguma coisa hoje?

— Não. Estou sem fome.

— Nada disso. Você precisa comer. Vou fazer o macarrão que você gosta.

— Irmão, de verdade eu não quero! Faz só para você, ou pede algo pronto.

— Allana, você não me engana! Só perde a fome assim quando está triste e não acredito que os fatos com Igor sejam o motivo. Isso te deixou chateada, nervosa, mas não abalada como está. Me conta o que está acontecendo.

Enquanto ouvia meu irmão me questionar, as palavras de Felipe sopravam em meus ouvidos como o vento e em poucos segundos, meu rosto já estava completamente molhado. Deitei a cabeça em seu colo e pude senti-lo acariciando meus cabelos, enquanto falava:

— Não sei o que mais está havendo contigo, nem o motivo de não querer compartilhar, mas sabe que estou aqui para tudo o que precisar e quando estiver pronta para falar, eu estarei para ouvir.

— Obrigada, Gus! — Agradeci ainda chorando enquanto me sentava, o abracei e ele retribuiu.

— Vai lavar o rosto. Eu te espero aqui.

— Tá bom.

Fui até o banheiro, lavei e enxuguei o rosto e fiquei parada em frente ao espelho sentindo ódiø de mim mesma por ter me envolvido com o Igor. Por causa disso, agora tenho que renunciar ao Felipe, mesmo sabendo que sentimos o mesmo um pelo outro.

Ah se eu pudesse voltar no tempo… mas infelizmente não posso e arrependimento não muda nada.

Bloqueei meus pensamentos e ao voltar para a sala, vi meu irmão ao telefone na varanda. Caminhei até lá e ele logo encerrou a chamada.

— Está mais calma?

— Sim. Obrigada por me entender. — Ele sorriu e eu continuei. — Quem era?

— Nosso pai.

— Contou a ele?

— Sim. Nossa mãe que não sabe.

E por que não me disse que Felipe te ligou e contou tudo? — Interpelei e ele me olhou confuso.

— Como sabe? — Rebateu minha pergunta, mas eu não deixei passar.

— Você não me respondeu!

Não falei porque ele pediu. Disse que você havia proibido de me avisar e não queria problemas, mas como sabe disso?

Ouvi uma conversa entre ele e a irmã, hoje a

— Entendi… — Ele pensou por um momento e aparentou estar recordando algo e infelizmente eu não estava enganada. — Espera! Agora que estou me lembrando... Quando cheguei, você abriu a porta claramente alterada, falando algumas coisas e citou o nome de Felipe.

Engoli seco por conta de seu comentário e tentei disfarçar indo pegar uma bebida.

Acho que está ouvindo coisas! — Pronunciei agitada ao servir os copos.

Eu ouvi perfeitamente você pronunciar o nome dele quando abriu a porta. — Afirmou e tentei me fazer de desentendida.

Você deve ter se enganado. — Entreguei-lhe um dos copos e me afastei um

E por que está tão

que droga! Por que eu fui tocar nesse assunto?! Me questionei internamente enquanto tentava sair dessa situação

Eu não estou nervosa! — Retruquei sem conseguir encará-lo, bebi um pouco do líquido e desbloqueei

pra mim! — Intimou sério

O que foi, Gus? — Disfarcei olhando para a tela e ele voltou a exigir.

— Olha pra mim, Allana!

mais como me esquivar, ergo a cabeça e o

Está rolando alguma coisa entre Felipe

que ele seria tão direto em sua pergunta e fiquei tão nervosa, que derrubei o copo e quebrei, então ainda fugindo dessa conversa, fiquei em silêncio e me abaixei para pegar os vidros, mas ele não deu trégua e

Allana! Por que ficou tão nervosa a ponto de deixar cair o copo? O que há entre

completamente sem saída, perdi a paciência e não medi minhas palavras… Acabei me complicando ainda

que droga de insistência, Gustavo! Está parecendo… — Me calei ao perceber o que ia dizer, mas ele

O Felipe? É isso que ia dizer, não é?! Ele é o motivo do seu término com o otáriø do Igor? — Interrogou, deixando-me mais aflita a ponto de me cortar com os

Ai! — Resmunguei e ele veio até mim.