O CEO sem coração O depoimento de Ana Cláudia

sprite

LINDA

Quarta-feira

Aparentemente o Rômulo foi embora e me deixou em paz. Ele não me procurou ontem e hoje eu também não tive o desprazer de o ver.

Ele me desperta gatilhos. As mãos dele. Eu lembro quando ele tentou me sufocar naquele parede. Foi horrível. Nunca vou esquecer daquele momento. Foi até pior do que quando ele me jogou na calçada.

Mas deixando esse embuste de lado, eu estava fazendo compras.

Estava fazendo a feira que disse que faria. Com grandes compras de alimentos não perecíveis pra ver se eu fico mais tranquila com relação a isso. Comprar enquanto tem esse dinheiro, porque a vida de pobre é assim, a gente tem dinheiro e inventa de guardar, aí aparece alguma coisa pra gente gastar o dinheiro e ficar lascado de novo.

Eu estava reunindo tudo e me peguei pensando de novo no desgraçado, mas dessa vez porque abri a minha bolsa e encontrei um cartão dele ali. Ele deixou "acidentalmente" na minha casa.

Eu guardei na bolsa acidentalmente também, porque deixei junto com os talões de energia encima do armário e acabei jogando tudo na minha bolsa.

É uma perseguição inconsciente.

Porque ele deixou esse cartão? Será que achou que eu iria ligar pra ele mudando de ideia?

Iludido.

Continuei escolhendo as coisas e colocando no carrinho. Isso demorou. Demorou mais ou menos uns 30 minutos. Era de tarde e eu tinha enfrentado uma fila no caixa do banco pra tirar a grana, estava exausta.

— Ei. Você não é a menina de quem estão falando? — uma mulher apareceu me analisando.

— Não. Claro que não. — fiz careta.

— Mas você se parece com ela... — ela me olhou de cima a baixo. — Só não se veste como mulher de cara rico.

— Eu não sou essa mulher. Dá licença? — empurrei meu carrinho já ficando estressada.

Será que as pessoas vão ficar me reconhecendo por essa história?

Meu celular começou a tocar e eu tive que atender.

Era a filha da minha vizinha.

— O que é?

— Linda, eu tava vendo aqui o Instagram. Aquela menina que você não gosta. A Ana Cláudia. Ela fez uma live falando de você e do seu namorado rico. Eu mandei o link. Acho que você vai querer ver.

Fiquei com o coração acelerado. — Eu vou olhar agora. Obrigada.

Fiquei com medo, pois sei que Ana Cláudia deve ter falado alguma merda. Ela adora desdenhar de mim.

Fiquei parada ali no corredor e entrei no link que ela mandou.

Ela é toda blogueira e mostra o seu estilo de vida de rico. Tem gente que gosta

que eu acho dessa história do Rômulo com a garota lá? Gente, olha, sinceramente, eu acho que isso tudo não passa de um engano. Eu conheço o Rômulo e conheço essa pobre garota também, então eu posso opinar. Primeiro que o Rômulo tem padrões muito altos. Ele não se envolve com qualquer mulher. A gente nunca nem viu ele aparecendo com mulher nenhuma, imagina o padrão de mulher que ele procura! Vocês acham que ele vai namorar mesmo uma pobretona como a Linda Fonseca? Gente, ela mora na periferia. Não tem mãe, foi criada pelo pai, não tem referência de moda, só terminou o ensino médio. Eu acho que ela nem tem um trabalho formal. Deve viver de bico. Toda lerda, nada atraente. O que faria o Rômulo se interessar por ela? Acho que as redes deveriam parar de falar sobre isso porque eu sinto que logo o Rômulo vai se posicionar furioso com essas mentiras e também vamos ter dó dessa garota e parar de iludir a coitada. Seria um sonho namorar o Rômulo Guimarães, mas é uma maldade enganar a garota assim. Pobrezinha. É isso que eu acho].

Que desgraça.

Ela falou mesmo isso sobre mim?

pôde falar essas coisas em

não mentiu sobre as minhas condições, mas fiquei furiosa por ter me exposto dessa

que eu sou uma coitadinha, pobretona, lerda!

Eu lerda?

Que não tenho senso de moda?

fiquei indignada. Comecei até a suar