O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 374

Ela tinha o hábito de segurar os trigêmeos quando dormia, então, durante o sono deve ter confundido Anthony com seus filhos e acabou abraçando o homem.

Percebendo que ela havia enrolado uma perna na de Anthony, imediatamente a afastou. Então, lançou um olhar para Anthony, que ainda estava dormindo e lentamente se afastou o braço que a envolvia.

Quando conseguiu sair da cama, Anne suava profusamente e, assim que seus pés tocaram o chão, ela disparou para fora do cômodo. Anthony abriu os olhos quando ouviu a porta se fechando.

Anne não parou de se mover até entrar em um táxi para chegar em seu próprio apartamento, como se estivesse fugindo de alguma coisa. Depois de pegar o telefone, saiu do apartamento e não olhou para o aparelho até entrar no carro. Mas, quando finalmente conferiu, fez uma careta, percebendo que havia três chamadas não atendidas de Bianca.

Por que Bianca estaria procurando por ela?

Ela então percebeu que como Anthony tinha desaparecido a noite toda, Bianca certamente estava procurando por ele, em todos os lugares.

'Mas, por que ela não ligou para Anthony? Acho que ele deixou o aparelho na mesa da varanda' pensou Anne e, de fato, Anthony simplesmente tinha deixado o telefone lá quando se levantou e não o levou para dentro do apartamento.

Anne suspirou aliviada. Por sorte, Bianca não foi ao apartamento de Julie, ou teria encontrado Anne e Anthony juntos na cama.

Ela verificou a hora e, embora os trigêmeos não tivessem ido à escola naquele horário, era tarde demais para tomar café da manhã com eles.

Ela se encostou na janela do carro, impotente, sem palavras ao ver como teve azar de acabar como vizinha de Anthony na primeira vez que comprou uma casa.

Ela se perguntou se ainda poderia morar naquele apartamento sabendo que seria vizinha de Anthony, mas sabia que não poderia simplesmente cancelar o negócio. Anne sempre soube seu lugar e, mesmo que se tratasse de seu próprio pai, ela preferia ser uma filha obediente. Além disso, já que não se mudaria imediatamente, sempre poderia encontrar uma maneira de evitar Anthony.

O táxi parou em frente ao prédio em que morava e Anne caminhava em direção à portaria quando avistou um carro estranho estacionado diante dele.

Antes que se perguntasse se o carro tinha algo a ver com ela, Bianca saiu. Aparentemente estava esperando por um tempo.

Anne se sentiu culpada e enlouquecida por se sentir como uma pistoleira que estava destruindo o relacionamento de outra pessoa.

Bianca se aproximou dela e perguntou, com arrogância:

― Onde você estava? ―

― Saí para dar uma caminhada. ―

― Durante a noite inteira? ―

Anne ficou chocada ao saber que Bianca esteve ali por tanto tempo.

― Você não previu isso, não é? Eu estive esperando por você aqui, a noite toda! ― A maquiagem no rosto de Bianca estava começando a derreter e começou a ficar claro para Anne que Bianca havia passado a noite acordada. ― Você estava com Anthony, ontem à noite? ―

― Não. ― Não querendo mais falar com a ‘irmã’, Anne se virou para sair, pois não poderia contar a verdade.

― Você não vai embora até me contar tudo! ― Bianca agarrou-se a ela.

― O que você está fazendo? ― Anne a empurrou para longe. ― Você é uma deusa pianista, uma figura pública. Não se envergonhe. ―

― Por que não? Vou deixar isso vazar na internet, para todo mundo saber como você é uma vadia! Nunca vi ninguém tão sem vergonha quanto você! ― O tom de Bianca começou a ficar fora de controle, enquanto ela era dominada pela raiva.

Anthony não atendeu o telefone e não foi encontrado em lugar nenhum; nem mesmo Oliver sabia onde ele estava e, por coincidência, Anne também não atendia o telefone. Bianca ficou esperando a noite toda, e ninguém conseguia entender como ela tinha sofrido.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata