O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 388

A expressão de Nigel ficou severa, pegando as duas mulheres de surpresa:

― Eu sou o pai de Anne. Você está tentando me insultar? ―

Dorothy riu.

― Nigel, você se tornou extremamente sensível, desde que chegou a Luton. Você só recentemente soube que Anne é sua filha, por que está levando isso para o lado pessoal? ―

― Não faça acusações quando não tem nenhuma prova para apresentar. Vou voltar para o escritório. ― Nigel voltou correndo para casa para almoçar depois de saber sobre a birra de Bianca, mas só serviu para que tivesse que ir trabalhar enfurecido.

Depois que saiu, Bianca e Dorothy permaneceram sentadas no sofá. A mãe notou a fúria no rosto da filha e a consolou:

― Seu pai se preocupa com você. Ele não teria voltado correndo para casa depois de saber que você estava chateada, se não se importasse. ―

― Eu sei que ele se importa, mas não quero que ele seja justo. Eu quero que ele esteja do meu lado, não importa o que aconteça ― Bianca estava dominada pela raiva e ciúmes.

― Claro! Também penso assim. Afinal, seu pai criou você, enquanto Anne é apenas uma filha ilegítima. E daí se ele a aceitou? Ela não pode se comparar a você. ― Dorothy estava confiante. ― Mas você tem certeza sobre o que aconteceu? ―

― Claro que estou! Alguém viu, com os próprios olhos, que Anthony levou Anne embora com ele. ― Bianca ficou com uma expressão cruel. Ela não conseguia entender por que Anne seria uma ameaça quando ela era muito superior em termos de aparência e talento.

Vendo como estava frustrada, Dorothy sugeriu:

― Só estou preocupada que seu pai possa começar a se reconectar com Sarah, por meio de Anne. ―

― O quê? ― Alarmada, Bianca disse ― Você acha que Sarah tentará seduzi-lo? ―

― Ela não terá o que é preciso, mesmo que tente. ― Dorothy estava confiante de que passaria o resto de sua vida com Nigel, pois conseguiu que ele se casasse com ela, por duas vezes. Filhos são importantes para os homens e mães, em todos os tempos, conquistaram seus direitos ao dar à luz um herdeiro. ― Você acabou de ficar noiva de Anthony e Deus sabe quando você realmente vai se casar, portanto, para fisgar seu homem de vez, engravide. Assim você não vai ser somente a noiva mas se tornará a senhora Marwood! ―

Bianca calmamente abaixou a cabeça, hesitante.

― Aliás, porque você ainda não engravidou? Algum problema de fertilidade? ― Dorothy olhou preocupada para a barriga de Bianca.

― Do que você está falando? ― Ofendida, Bianca disse: ― Estou perfeitamente bem! ―

― Eu sei que você está bem. Então, trabalhe duro e fique com Anthony, quando você estiver fértil. Uma vez que você engravide, Anne não terá como ficar entre vocês dois. ―

― Eu preciso voltar para o estúdio agora. ― Bianca saiu de casa e voltou pensativa para o trabalho.

Ela não sabia como dizer à mãe que Anthony não havia tocado nela. Ele estava ocupado, e ela também. Quando eles finalmente tinham tempo para se sentar e tomar uma bebida, ele adormecia ouvindo-a tocar o piano, ou até mesmo quando eles estavam conversando.

Bianca sabia que ele estava ocupado com o trabalho e tentava ser compreensiva, apesar de se sentir triste com isso. Também não conseguia seduzi-lo, porque achava que não teria que fazê-lo com sua beleza e relutava em se degradar e agir como Anne.

Sentindo-se cada vez mais frustrada, quase bateu no carro da frente, pensando: 'Então preciso encontrar uma maneira de fazer Anthony dormir comigo para que eu possa ter um filho dele?'

Anne pegou as chaves para abrir a porta e parou, assim que entrou no apartamento.

Tommy virou-se com um sorriso:

― Bem-vinda de volta. ―

Anne se sentiu culpada por ter fugido, enquanto Tommy a salvava, no cassino, e se aproximou.

― Onde você conseguiu a chave? ―

― Oh, eu fiz uma cópia da chave reserva que você esconde debaixo da planta. Algum problema? ―

― Você... você acha que está tudo bem se eu fizer a mesma coisa com suas chaves? ―

― Sim. ―

― Você só pensa isso porque sabe que eu não vou fazer uma coisa dessas ― ela jogou a bolsa no sofá. ― Obrigada por ontem. ―

― Você foi embora com Anthony, não foi? ― Tommy perguntou, com frieza.

Sentindo que algo estava errado, ela pensou que ele estava chateado por que ela tinha agido como uma mal-agradecida e explicou:

― Eu não estava me sentindo nada bem, então não estava pensando no que fazia. ―

'Não é tão ruim assim, é?' ela pensou.

― Você não estava pensando, ou você queria desesperadamente que Anthony aparecesse? ―

― Mas, que diab... ― Antes que pudesse terminar, o homem disparou em sua direção e a empurrou para o sofá. ― Ah! ―

Ela ficou boquiaberta quando o homem colocou a mão em sua barriga e levantou suas roupas. Seu rosto se contorceu ao ver todas as marcas em seu corpo e disse:

― Vocês dois se acabaram, hein? ―

― Você é louco? ― Anne imediatamente puxou as roupas para baixo e empurrou seus braços e ombros.

Tommy a segurou no lugar

― Sou sim. Ouvi dizer que pessoas malucas podem se safar de fazer qualquer coisa. ―

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata