O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 392

Anne pressionou o rosto contra o peito de Anthony, apreensiva com a possibilidade de que vissem sua blusa encharcada. Tanto Damian quanto Xander aguardavam tensos, do lado de fora da porta, mantendo-se em silêncio, assim que ela se abriu. No entanto, Anthony os ignorou e saiu com Anne nos braços.

— O que está acontecendo? — Damian perguntou: — Por que ele é tão dramático? —

— Eu realmente não sei. — Disse Xander.

Ele também ficou chocado, pois nunca tinha visto Anthony tão irritado. Assim, Anne foi mandada de volta para seu apartamento. O Rolls-Royce parou do lado de fora do prédio e, quando Anne estava prestes a tirar o paletó, Anthony disse:

— Continue com ele. Está querendo mostrar seu corpo para quem? —

Anne cerrou os dentes e se forçou a ficar quieta, o tempo todo pensando consigo mesma: 'Que loucura é essa? Eu me molhei por causa dele!'. Ela ajustou o paletó e saiu. Anthony olhou para ela como uma águia fitando sua presa, antes de agarrar seu pulso e puxá-la contra ele.

— Ah! — Ela exclamou.

— Deixa eu ver se você está limpa mesmo. — Ele devorou os lábios dela mais uma vez.

Quando ela voltou entrou em casa, seus lábios estavam machucados. A moça jogou o paletó de Anthony no chão da sala, antes de pisar nele e o chutar para o lado. Essa foi a única maneira que encontrou de descarregar sua raiva. A mulher só podia imaginar como todos no escritório ficaram chocados quando ela foi praticamente sequestrada por Anthony na frente deles, já que até a própria Anne ficou chocada. A moça nunca imaginaria que Anthony apareceria na Marwood daquele jeito. Ela não esperava que o que Tommy fez com ela irritasse tanto Anthony que ele agisse de forma tão hostil e impulsiva.

Àquela altura, as crianças estariam voltando da escola, então ela foi tomar banho e vestiu roupas limpas, antes de se preparar para recebê-las. Assim que abriu a porta, para ir até o apartamento do sexto andar, viu Tommy parado à sua espera. A visão dele a lembrou do que Anthony fizera, então, furiosa, Anne fechou a porta e deu meia-volta. Ela não queria receber o rapaz, mas ele não foi nem um pouco afetado pela rejeição escancarada que testemunhou, tratando apenas de pegar sua chave reserva para entrar no recinto. Ao ouvir o som da porta se abrindo, Anne olhou para a porta e para a pessoa que a atravessou.

— O que mais você quer? Já não fez o suficiente? — Ela gritou.

— Eu não sabia que Anthony reagiria daquela forma ou que iria até o Grupo Marwood para te coagir. Isso foi muito pior do que eu imaginava. —

Anne não suportava ouvir a justificativa do rapaz. Tudo o que ela sabia era que, de maneira egoísta, Tommy a colocara em uma posição perigosa e ela ainda estava apavorada. O rapaz se aproximou e se inclinou em direção ao rosto dela, observando a vermelhidão de seus lábios.

— Foi ele quem te machucou? —

Ela olhou de volta, com frieza.

— Você sabe exatamente o quão horrível Anthony pode ser, mas você ainda fez o que fez, sem pensar nas consequências. Era isso o que você queria, não era? Por que você está aparecendo aqui como se estivesse preocupado comigo? Não seja hipócrita. —

A expressão de Tommy mudou, quando ele disse:

— Mas é sua culpa, por dar abertura a Anthony para agir assim com você. —

— Isso é da sua conta? — Ela retrucou.

Tommy queria discutir, mas não conseguiu pronunciar uma palavra e seu coração afundou.

— Você precisa sair agora e parar de me meter em problemas. — Ela se virou para voltar para a sala de estar.

— Então você vai simplesmente me abandonar depois de me usar? — Ele usou de sarcasmo.

Anne abaixou o olhar, sentindo-se impotente diante da maneira como todas as opções lhe foram tiradas. Enquanto ouvia Tommy se afastando, ela virou-se apenas para perceber que ele já havia partido. Sentindo um alívio por não ter mais que se preocupar, ela se acalmou e se preparou para ir receber as crianças. Ao abrir a porta do apartamento do sexto andar, contudo, congelou ao ver que os filhos chegaram e que brincavam com Tommy. A babá lhe lançou um olhar preocupado, e Anne imediatamente percebeu que Tommy havia entrado no outro apartamento sem permissão.

— Mamãe! — Os trigêmeos sorriram e correram para ela.

— O que você está fazendo? — Ela conteve a raiva e perguntou.

— O tio estranho veio brincar com a gente! — Disse Chloe.

— Por que eu sou o tio estranho? — Tommy indagou.

— Porque não conhecemos você! — Charlie insistiu.

— Mamãe, você está aqui para mandá-lo embora? Não devemos brincar com pessoas que não conhecemos! — Disse Chris.

Anne se aproximou e agarrou Tommy pelo braço, então sorriu para os trigêmeos, enquanto passava por eles e dizia:

— Sim, vou tirar ele daqui. Mamãe vai voltar logo! —

Ela empurrou Tommy para fora do apartamento e questionou com raiva:

— O que exatamente você está tentando fazer? Se Anthony descobrir sobre este lugar, está tudo acabado! —

— Não fique tão nervosa. — Ele disse, sem se preocupar.

— Claro que você pode dizer isso quando não está passando pelo que eu passo! — Anne disse.

De repente, o telefone da moça começou a tocar. Ela olhou para o aparelho e num instante ficou pálida, porque viu o nome de Anthony no visor.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata