O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 404

A possibilidade de Bianca, que se sentia injustiçada, chorar e agir de forma frágil na frente de Anthony era preocupante. Se Anthony demonstrasse piedade por ela, o problema se tornaria ainda mais complicado e todos acabariam sofrendo. No entanto, Anne estava determinada a descobrir os planos sinistros que Bianca estava tramando, a fim de se proteger. Não se tratava de um ato para ofender Bianca e Anthony, mas sim de uma medida de precaução para garantir sua própria segurança.

Naquela noite, Anthony não compareceu ao jantar, provavelmente tentando apaziguar sua noiva, Bianca. Anne secretamente esperava que Anthony nunca mais aparecesse. Nos dias seguintes, a mulher continuou cuidando das crianças e seguindo sua rotina de trabalho, enquanto Anthony não dava nenhum sinal de que voltaria. Parecia que o incidente daquele dia tinha surtido um efeito positivo, afastando-o temporariamente.

Anne sempre estava atenta ao paradeiro de Anthony. Ela observava cuidadosamente os lugares frequentados por ele, como a Mansão Real e o Grupo Arquiduque, além de outros locais de entretenimento. No entanto, não havia nenhum sinal de que ele estivesse se aproximando dela. Enquanto o apartamento novo passava por reformas, a moça ocasionalmente entrava em contato com o designer e decorador, mas evitava ir ao condomínio, a menos que fosse absolutamente necessário.

No entanto, houve momentos em que era realmente necessário visitar o condomínio. Nessa situação, o rastreador de localização se mostrava uma ferramenta valiosa para Anne. Após confirmar que a localização de Anthony não estava no condomínio, ela decidia fazer uma visita. A moça, afinal, também tinha o cuidado de não permitir que seu apartamento fosse transformado em algo que não fosse de seu agrado. Ela queria ter controle sobre o ambiente e a estética do lugar onde moraria.

Anne já havia revisado os papéis do projeto de reforma. No entanto, ainda havia uma discrepância entre o que estava planejado nos papéis e como as coisas haviam sido de fato executadas. Por esse motivo, o designer solicitou que ela visitasse pessoalmente para verificar se poderia aceitar algumas mudanças que não afetariam o design principal. Era importante para Anne garantir que o resultado estivesse de acordo com suas expectativas, mesmo que algumas alterações fossem necessárias.

Anne permaneceu no condomínio por mais de uma hora antes de sair. Era fim de semana, o que significava que ela não precisava ir para a empresa e seus três filhos estavam na escola. No entanto, eles não tiveram um dia de descanso no domingo, pois provavelmente tinham compromissos e atividades programadas. A creche em si era uma conveniência para os pais que tinham uma agenda ocupada e pouco tempo para passar com os filhos.

Anne caminhou em direção ao elevador enquanto navegava pelo site do parque de diversões. Ela estava ponderando se deveria levar as crianças para se divertirem lá. No entanto, o medo de ser descoberta por Anthony a impedia de fazer isso com frequência. Era uma situação realmente lamentável para a mulher, pois ela desejava proporcionar momentos de diversão e alegria aos seus filhos, mas as circunstâncias a restringiam.

Ao entrar no elevador, Anne levantou o telefone e pressionou o botão correspondente ao seu destino. As portas começaram a se fechar lentamente, no entanto, antes que concluíssem a ação programada, um estrondo ressoou e uma mão se estendeu do lado de fora, bloqueando a entrada. Anne, que estava distraída olhando para o telefone, ficou atordoada e ergueu a cabeça para ver quem estava interrompendo sua trajetória.

As portas do elevador se abriram automaticamente ao detectarem a presença de algo bloqueando o caminho. A abertura revelou gradualmente a figura alta e musculosa de um homem do lado de fora, acompanhada por seu rosto bonito, porém frio. Sua aura irradiava poder e intimidaria qualquer um.

Anne fitou-o com surpresa estampada em seu rosto. Inconscientemente, deu um passo para trás, e seu corpo foi pressionado contra a parede do elevador. Sua mente parecia entorpecida, enquanto tentava compreender a presença inesperada de Anthony. Afinal, sua localização não deveria estar no Grupo Arquiduque há pouco tempo? O que poderia ter dado errado?

Anthony dirigiu seu olhar para Anne e adentrou o elevador com suas longas pernas. As portas se fecharam completamente e o elevador começou a se mover. A mulher sentiu-se tensa, com as palmas das mãos suadas. Seu corpo estava rígido e seus olhos se moviam nervosamente, incapazes de encarar o homem.

O espaço dentro do elevador parecia reduzido com a presença daquele intruso. Anne sentia uma sensação opressiva e sufocante que a envolvia. Ela segurou a respiração, enquanto o ar gelado ainda buscava o caminho para seus pulmões. Ficando um pouco para trás, ela pôde ver claramente a si mesma refletida nas portas de aço inoxidável do elevador. A grande caixa de metal se movia, andar por andar, mas o tempo parecia se arrastar lentamente, como se um século fosse se passando.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata