O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 415

Anne viu tudo, e seu coração afundou. Anthony realmente faria de tudo por Bianca, sem pensar duas vezes.

Bianca não dirigia, enquanto Anne não tinha carro e foi até lá de táxi. Depois que saíram do prédio, iriam embora no carro de Nigel. Com suas duas filhas no banco de trás, o homem ligou o veículo para sair. Pelo espelho retrovisor, viu que as duas não estavam de bom humor.

— Anne, onde você quer que eu te deixe? —

— Vou voltar para a casa da mamãe. —

— Está bem, querida. —

Anne mandou uma mensagem para a babá e informou que não voltaria para passar a noite, pedindo-lhe que colocasse as crianças na cama para ela. Depois disso, a moça olhou pela janela do carro e viu a noite estava escura, contrastando com o amontoado de luzes brilhantes por toda a cidade. Ficaria com sua mãe, pois era óbvio que Sarah não conseguiria dormir sozinha, depois do que acabara de acontecer.

— Para quem você mandou mensagem? — Bianca estava desconfiada.

— Não é da sua conta. — Anne respondeu com indiferença.

— Você estava mandando uma mensagem para Anthony? —

— Você está surtando, irmãzinha. —

— Se você não estava mandando uma mensagem para ele, por que apagou a mensagem imediatamente? — Bianca percebeu isso, mas não viu o conteúdo.

Anne se virou e olhou para a moça, com evidente desprezo.

— O que te faz pensar que estou procurando por Anthony? —

— Porque suas ações são questionáveis. — Assim que Bianca começava a duvidar, suas suspeitas não cessavam. — De todas as coisas boas que você poderia ter aprendido na vida, você puxou a promiscuidade de sua mãe. —

— Bianca! — Nigel gritou, franzindo a testa.

— Pai, eu vi que ela apagou a mensagem depois de mandar! Se não fosse algo vergonhoso, por que ela faria isso? — Bianca buscou o apoio do pai.

Nigel hesitou e perguntou a Anne:

— Filha, isso tem algo a ver com Anthony? —

— Claro que não. — Anne negou.

— Papai, por que ela contaria a verdade? Assim como quando ela dormiu com Anthony, ela não iria admitir a menos que fosse pega na cama! —

Aos olhos de Bianca, Anne era alguém que tinha o hábito de roubar seu homem. Afinal, a mulher dormiu com Anthony mais de uma vez, e ela se perguntava quantas vezes eles fizeram isso pelas suas costas. A moça sentia o mais puro e visceral ciúme, então mataria a irmã se pudesse.

— Bianca, é a privacidade de Anne e ela tem o direito de não dizer. — Disse Nigel.

Bianca estava realmente farta das intervenções de seu pai. Com o homem ficando ao lado de Anne tantas vezes, de certo, sua irmã estaria, em segredo, aproveitando e se deleitando do apoio cego do pai delas. Privacidade? Quem não deve, não teme! Para ela, era óbvio que a irmã escondia alguma coisa muito comprometedora, então soltou um olhar odioso e lhe disse:

— Anne, só para você não esquecer, saiba que, de qualquer jeito, farei Sarah sair de Luton! —

Anne apertou as mãos, segurando-se para não socar a cara da irmã. Ela jamais permitiria que aquela ameaça se concretizasse.

O carro parou no acostamento e, ao longe, Anne viu Sarah andando de um lado para o outro sob o poste de luz, na frente da residência. Quando a mulher ouviu o som do motor, ela olhou e pareceu reconhecer o carro de Nigel.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata