O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 416

No entanto, Sarah não pretendia dizer nada nem se aproximar. Nigel desviou o olhar sem jeito quando a viu. Afinal, com toda aquela situação acontecendo entre eles à tarde, não era apropriado que eles se encontrassem de novo, mesmo que não fossem expostos.

— Papai, até depois... — Antes que Anne pudesse terminar a frase, Bianca já havia saído do carro.

O reflexo de Anne foi sair do carro para interromper a ação da irmã, quando viu que Bianca quase corria em direção à entrada da casa de Sarah.

— Bianca, o que você está tentando fazer? — Anne correu. — Pare aí mesmo! —

Bianca apressou os passos, fingindo não escutar a irmã, avançando com a determinação de uma assassina. Anne franziu o cenho e, quando viu que a rival estava prestes a esbofetear Sarah, ela correu ainda mais e empurrou a agressora para o lado.

— Ai! —

Bianca tropeçou e, como estava de salto alto, chegou a torcer o tornozelo, quase tombando no chão. Sua raiva era tanta que isso não a impediu. Em vez disso a moça ficou ainda mais furiosa e se voltou para enfrentar Anne. Nigel correu e agarrou os braços de Bianca, tentando rendê-la;

— Bianca! —

— Me solta! Me solta! Eu quero matar essas duas vadias sem vergonha! Isso é o que elas merecem por seduzir todos os homens que veem! — Bianca se debatia para se soltar.

Anne ficou na frente de Sarah, pois nunca deixaria Bianca tocar em sua mãe.

— Bianca, pare com isso! — Nigel puxou Bianca. — Eu disse a você que isso não tem nada a ver com elas. —

— Claro que sim! Ela te seduziu! — A voz de Bianca era estridente.

Nigel olhou para Sarah, depois levou Bianca à força, empurrou-a para dentro do carro e saiu. A mãe de Anne só relaxou quando o carro desapareceu de sua vista.

— Ela é tão louca quanto a mãe, não é? A propósito, o assunto está resolvido? Anthony fez alguma coisa com você? —

Anne balançou a cabeça. O assunto não estava apenas sem solução, mas as partes mais assustadoras ainda estavam por vir.

— O que aconteceu? — Sarah ficou intrigada.

— Não é nada. Não se preocupe com isso. Papai também estava no Grupo Arquiduque e ele vai assumir toda a culpa. — Disse Anne.

Sarah não disse nada, mas pensou em como as ações de Nigel a faziam lembrar de quando eles eram mais jovens e apaixonados. Ele tinha a coragem de assumir responsabilidades, quando ninguém mais queria, e isso era valorizado por seus parceiros, isso lhe rendeu sucesso financeiro desde muito cedo, então, certa vez ele a levou para jantar, para comemorar o que tinha conseguido, e até mesmo lhe comprou um precioso colar.

— Mãe? —

— Oi?! — Sarah voltou a si. — Qual é o problema? —

— Não se preocupe. O assunto foi resolvido. — Vendo que ela estava distraída, Anne pensou que Sarah estava com medo.

— Ah, certo. Eu entendi. —

— Eu disse que passaria a noite aqui. — Acrescentou Anne.

— Sim, sim! Já está muito tarde, não vou ficar feliz se você quiser voltar. — Sarah pegou a mão de Anne e a puxou para dentro da mansão, como se temesse que Anne fosse fugir.

No carro de Nigel, Bianca parecia abatida e infeliz.

— Por que você me impediu? Você tem medo de que eu machuque alguém de quem você gosta? —

Nigel ignorou seu comportamento rebelde e disse:

— Você poderia se machucar, se realmente lutasse contra ela. —

— Eu não tenho medo! — A raiva de Bianca a fez perder a cabeça.

— Eu me importo. — Disse Nigel. — Apenas não quero que as coisas azedem. Não é bom para ninguém. Além disso, eu causei isso e vou me sentir culpado. —

Bianca ficou indiferente e não disse nada. Depois de um tempo, ela perguntou:

— Você realmente vai confessar para a mamãe? —

— Não é justo com sua mãe se eu não confessar o que fiz de errado. —

— Por que você tem que dizer a ela? Não seria melhor expulsar Sarah de Luton? Ela é a causa deste problema, e não é tão difícil de fazer isso! — Bianca não gostou do plano de Nigel. Logo depois, ela ficou desconfiada. — Você não quer, não é? Afinal, se ela deixar Luton, vocês não poderão se ver mais. —

O homem olhou para Bianca pelo espelho retrovisor. Seu tom questionador era exatamente o mesmo de Dorothy. No entanto, aquela não era a sua esposa, mas a sua filha, e ele precisava orientá-la.

— Bianca, estou assumindo a responsabilidade porque fiz algo errado. Não tem nada a ver com outras coisas, não tem outros motivos. Sarah também não me seduziu, como você insiste em dizer. Não estou tomando partido ou protegendo ninguém. Como homem honrado, devo ser aquele que assume a responsabilidade. — Disse Nigel, com muita paciência.

Quanto à história do restaurante, ele mesmo verificaria.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata