O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 482

— Um pouco ocupado, Dorothy. — Nigel disse.

— Como está o tempo em Louxville? Cuidado para não pegar um resfriado, hein. —

— Eu não vou pegar. Mas, tenho que ir agora querida. Estou realmente ocupado. — Nigel desligou.

— Okay... tudo bem. Qualquer coisa me ligue. —

— Certo, boa noite! —

— Boa noite.... —

Assim que Nigel desligou, Dorothy, furiosa, gritou:

— Ouviu isso? Ele não mencionou que não estava em Louxville! Por que ele mentiria? Por quê? —

Bianca estava tão zangada quanto Dorothy. O fato de Nigel ter ido ver Sarah não era apenas uma traição a Dorothy, mas também uma traição a ela. Como seu pai era capaz de fazer aquilo com as duas?

— Eu sabia que algo estava errado com seu pai desde que viemos para Luton. Bem? É por isso! — Dorothy cerrou os dentes. — E isso é exatamente o que sabemos até agora. Só Deus sabe o que mais está acontecendo! —

Bianca avaliou a situação, sabendo que não poderia permitir que Nigel ficasse com Sarah, caso contrário, ele poderia abandonar Dorothy e ela. Não podia aceitar ver sua família destruída e desmontada.

— Mãe, tem uma coisa que eu não te contei por medo de que você se machucasse, mas não quero mais guardar esse segredo! — Bianca deixou escapar. —Quando Sarah ainda estava em Luton, ela passou uma tarde em um quarto de hotel, sozinha com papai. —

— O-o que você acabou de dizer? — Dorothy vacilou e caiu.

— Mãe, você está bem? — Suportou seu peso e disse: — Calma! —

— É por isso que você não deve dizer nada ao papai. Apenas resolva isso lidando com a origem do problema — disse Bianca.

— Você quer dizer Sarah? — Dorothy se acalmou, ajustou sua postura e refletiu por um momento, até chegar a uma conclusão. —Isso mesmo. Ela está em Santa Nila e é fácil lidar com ela quando não pode chamar ninguém para pedir ajuda. Assim que ela estiver fora de cena, o coração de Nigel será todo meu! —

-

Nigel voltava ao restaurante após a ligação. A expressão em seu rosto denotava preocupação e desconforto. Ele se aproximou de Sarah, que estava sentada à mesa, e ela percebeu imediatamente que algo estava errado.

“Como aquela mulher ousa amaldiçoar minha filha? Ela até liga de vez em quando para me provocar”, pensou Sarah. “Eu não sou alguém que ela possa intimidar! Dorothy já havia usado sua filha com Nigel para roubá-lo de mim antes, e agora é hora dela descobrir como é tê-lo levado embora.”

— O que você pediu? — Nigel olhou para o formulário de pedido e percebeu que ela havia pedido toda a comida que ele adorava.

— Ainda me lembro do que você gosta — disse ela, sorrindo.

Sem saber o que dizer, Nigel simplesmente sorriu em resposta.

— Você se lembra do que eu gosto? —

Sem dizer mais nada, Nigel pediu mais dois pratos. Ela sorriu para si mesma novamente quando percebeu que o satisfez e pediu os pratos de que gostava. Eles costumavam ser o casal perfeito que nunca brigariam. No final, seu amado foi tirado dela, mas isso não significava que havia se esquecido dele.

-

— Eu... eu nem sabia. Eles... eles estavam se vendo pelas minhas costas todo esse tempo... — Dorothy sentiu como se sua cabeça fosse explodir a qualquer momento. — Eu vou matá-la! Eu v... —

Bianca ajudou a mãe a entrar no carro e Dorothy imediatamente procurou o celular para ligar para Nigel, para que pudesse confrontá-lo. Bianca agarrou-a pela mão e a deteve.

— Mãe, você não pode deixá-lo saber que você está ciente disso. —

— Por que não? Ele é quem está trepando com outra, não eu. Por que eu deveria sofrer? —

— Eu perguntei ao papai sobre isso antes... e ele me disse que vocês poderiam se divorciar se você não conseguisse aceitar o que ele fez. Deixe-me perguntar uma coisa, você quer o divórcio? —

Aterrorizada com a palavra 'divórcio', Dorothy disse:

— Não! Eu nunca vou me divorciar dele! —

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata