O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 548

Suas pernas eram muito curtas, então Charlie moveu um banquinho para ajudá-lo. Chris estudou a fechadura da porta e disse:

— Quando ele entrou, trancou a porta. Ele deve ter as chaves! —

— E as janelas? — Chloe perguntou: — Podemos pular pela janela? —

As três crianças olharam para a janela, que estava aberta, e puderam ver as copas das árvores lá fora. Não parecia possível.

— Podemos ver as pontas das árvores, estamos bem alto! Se pularmos daqui, talvez nunca mais vejamos a mamãe! — Chloe ficou desapontada.

— Não tenha medo! — Charlie se empolgou. — Eu vou roubar a chave! —

— Roubar a chave? — O rostinho de Chloe estava um pouco atordoado, mas ela também estava um pouco animada.

— Sim, se a gente roubar a chave para abrir a porta, podemos sair correndo e escapar! — Chris elaborou o plano.

As três crianças foram até a porta da sala e a abriram silenciosamente. Charlie deu uma espiada e notou que a pessoa na cama estava dormindo de costas para eles, e que estava roncando, então imaginaram que não acordaria tão cedo. Chris e Chloe deram uma espiada por si mesmos e viram o chaveiro pendurado na cintura de Luke. Charlie se ofereceu para rastejar, o que era mais seguro do que caminhar, e, quando chegou ao pé da cama, levantou-se, ficou na ponta dos pés e alcançou a chave.

No entanto, ainda precisava tirá-la do chaveiro, porque não conseguiria tirá-la do cinto do homem. Como era pequeno e não tinha muita força, fez o possível para tentar pegar a chave, enquanto Chloe e Chris não ousavam respirar e olhavam nervosamente, enquanto torciam por seu irmão.

Enquanto o garotinho trabalhava duro em sua missão, Luke rolou. Charlie rapidamente se agachou assustado enquanto Chloe e Chris retraíam suas cabeças. Por sorte, os três não ouviram nenhum outro movimento além de seu ronco. O rapaz não acordou? Chris silenciosamente deu uma espiada novamente e confirmou que Luke continuava adormecido. O novo problema era que a nova posição do sequestrador dificultava ainda mais que conseguissem a chave.

Chris teve uma ideia e se arrastou para dentro da sala. Chloe queria chamar o irmão, mas não ousou fazer barulho. Ela só podia se esconder perto da porta e olhar para dentro para ver o que ele estava fazendo. Um fio de cabelo apareceu na mão de Chris, que o usou para cutucar a narina de Luke. O nariz do raptor encolheu duas vezes, mas não se mexeu.

Chris continuou a fazer cócegas no nariz do homem, até que Luke levantou a mão e esfregou o nariz. A criança imediatamente parou a ação, e os trigêmeos tiveram sorte, porque, depois de esfregar o nariz, o adulto virou-se novamente e adormeceu de costas. Quando as três crianças viram as chaves na frente delas novamente, ainda dormindo. Desta vez, Chris estendeu a mão para desamarrar o chaveiro. Com os esforços dele e de Charlie, soltaram a peça e rastejaram para fora da porta, um após o outro, então, finalmente, fecharam a porta com cuidado.

As três crianças correram para a porta da casa, pisaram no banquinho e giraram a chave. Com um clique, a fechadura se abriu, mas os trigêmeos não saíram correndo, porque ainda tiveram o cuidado de afastar o banquinho e fecharam a porta atrás de si com sutileza.

Depois de conseguir escapar do apartamento, correram o mais rápido que puderam com as pernas curtas, entraram no elevador, desceram e saíram do prédio. Lá fora, olharam para a esquerda e para a direita antes de cruzar a avenida. Estavam atentos às estradas e já haviam planejado a rota de fuga. Os três correram até que estivessem fora daquela vizinhança, eram tão pequenos que ninguém os via passando pelos arbustos.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata