O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 554

— O que você disse para Bianca? Ou ela disse algo que te irritou? — Anthony perguntou.

— Ela usou o incidente com meu pai para me irritar... Na verdade, não importa. Eu não me segurei e caí no chão, o que fez com que minhas feridas se abrissem novamente! Sua noiva não tinha nada de bom para dizer, e você não pode me culpar por não querer ouvir... Seja qual for o caso, Bianca é sua alma gêmea legítima, eu sou apenas uma terceira pessoa em seu relacionamento... — Anne se sentia impotente.

Depois de falar, ela riu de si mesma, mas Anthony se sentiu atacado.

— Isso é tudo que você tem a dizer? —

— Sim. —

— O que você quis dizer com "procurar as crianças"? —

As pupilas de Anne tremeram ligeiramente.

— Eu tenho um pesadelo recorrente... —

Anthony entendeu o que ela quis dizer: a moça estava falando sobre o filho que foi morto ainda no ventre, por conta dos chutes no estômago. A mulher virou o rosto e olhou para o magnata fracamente.

— Minha mãe veio visitar? Onde ela está? Estou com um pouco de fome. Ela trouxe algo para eu comer? Ela prefere que eu coma a comida dela... —

Ela não sentia fome de jeito nenhum, simplesmente não queria que Anthony estivesse lá e estava ansiosa para saber sobre seus filhos. O magnata deu uma olhada para a lata de lixo, onde atirou a comida que Sarah levara. Assim, ele pegou o celular em silêncio e pediu algo para comer. Depois de alguns minutos, a comida foi trazida por seus guarda-costas.

Com a piora, Anne só podia tomar sopa e beber um pouco de água, porque não podia sobrecarregar seu corpo com muita comida sólida. Anthony se apoiou em sua cama e a alimentou ele mesmo.

— Você está com uma expressão tão fria. Você não é realmente adequado para este trabalho... — Arriscou Anne.

A expressão de Anthony ficou pior, mas continuou a alimentá-la.

— Quem seria mais adequado? —

— Minha mãe ou meu pai. — Anne franziu os lábios.

— Falaremos sobre isso quando você se recuperar. —

Anne sentiu o perigo em suas palavras. Ela sabia que não seria facilmente perdoada por ligar para Lucas.

Depois que Anthony terminou de alimentá-la, ele se levantou e saiu. O celular da moça estava próximo, e ela queria ligar para Lucas imediatamente, mas sabia que aquele aparelho não era mais seguro. Assim, preferiu ligar para Sarah:

— Mãe, onde você está? —

— Anne? Você está acordada? — A mulher parecia em êxtase.

Nigel, que estava com ela, também ficou aliviado.

— Sim, mãe. Eu quero comer carne assada. — Anne se sentia deprimida.

— Carne assada? Está bem! Mamãe vai levar um pouco para você agora mesmo... Anthony não está aí, está? Eu não quero vê-lo! — disse Sarah.

— Acho que ele foi embora. —

— Certo, eu irei imediatamente! —

Sentado no carro, Anthony colocou o telefone no ouvido. Ele estava ouvindo a conversa entre Anne e Sarah, porque instalara um software para monitorar o celular de Anne. Aquela seria a maneira mais conveniente de encontrar a resposta que queria. Imediatamente depois, ligou para a doutora Brown.

— Não deixe Anne comer carne! —

A doutora Brown pensou consigo mesma: 'Claro que não. Os tipos de comida que Anne pode comer são muito limitados e carne não está na lista. Por que ele está dizendo isso?'. Pouco depois, Sarah e Nigel entraram juntos na enfermaria, e a médica acompanhava Anne em uns exercícios fisioterapêuticos.

— Anne, a carne assada chegou! Está cheirando muito bem! — Sarah abriu a caixa de comida, e o aroma do churrasco saiu imediatamente.

A doutora recordou as ordens de Anthony e disse rapidamente:

— Anne não pode comer comida gordurosa agora. Ela tem que esperar pelo menos mais dois dias! —

Sarah se assustou.

— Então... isso significa que ela pode comer algumas coisas, pelo menos? —

— Um pouco de carnes sem gordura e grelhadas, então... — A doutora Brown estava com medo de que Sarah alimentasse Anne com comida que ela não deveria ingerir, então deu alguns conselhos. Depois disso, a profissional deixou a enfermaria.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata