O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 587

Anne ofegou pesadamente enquanto lágrimas escorriam por seu rosto.

'Por que você tem que ser tão cruel? Eu sou a mãe dos filhos! Por que você está fazendo isto comigo?' Ela pensou, em desespero. A moça tentou de tudo para escapar daquilo, mas tudo ainda terminou da pior maneira possível. 'Ele é mesmo humano? Ele não pode me mostrar um pouco de misericórdia, considerando o quanto tentei agradá-lo?'

A ideia de que seus filhos pudessem ser criados por Bianca e acabassem por esquecê-la cortou o coração de Anne como uma lâmina afiada. 'Sem chance! De jeito nenhum! Eu não posso desistir! Eu nunca vou desistir. Não importa o preço, vou ter meus filhos de volta!', ela pensou. A moça suprimiu o desespero que sentia e se virou, antes de parar ao ver uma mulher caminhando em sua direção. Bianca andava em sua direção com a bolsa na mão e salto alto, da forma mais elegante e arrogante possível.

— Que patética. Você deve estar muito frustrada, não é? —

— Você não cansa, Bianca? — Anne se via prestes a chorar outra vez.

— Claro! Fico nas nuvens quando vejo você sofrendo! Fiquei preocupada que Anthony começasse a se preocupar com você, por causa das crianças. Pelo que parece, isso não vai acontecer. — Bianca zombou.

Anne cerrou os dentes e olhou fixamente para a irmã.

— Cuidado com essa sua atitude, Anne Vallois, ou eu posso descarregar minha raiva em seus trigêmeos se eu ficar ofendida. Ontem, por exemplo, Chloe desenhou no meu piano e eu bati nela. Alguém precisa educar aquelas crianças. —

O coração de Anne afundou porque ela nunca havia batido nos filhos, mas imediatamente a moça recuperou a compostura.

— Pare de mentir! Por mais cruel que Anthony seja, ele não deixaria você fazer isso com os próprios filhos! —

— Como você pode ter certeza? Não se esqueça do quanto ele se importa comigo. Mesmo se eu bater neles, Anthony pensaria que estou apenas educando-os! Ou talvez eu possa bater e ameaçá-los em segredo, quem sabe? Você já viu notícias sobre madrastas bem cruéis, não viu? Eu mesma já vi muitos casos em que pais e madrastas batiam nas crianças juntos! — Bianca ameaçou com um sorriso maligno. — Além disso, como você achou que os trigêmeos fugiram? A babá de Lucas levou as crianças embora porque eu disse a ela para fazer isso. Anthony foi atrás disso e sabia que era obra minha, então por que você acha que ainda estou aqui? Ele não liga! —

A resposta óbvia à pergunta fez Anne tremer.

— Isso mesmo! Anthony nem teve coragem de brigar comigo! Essa é uma realidade difícil de engolir, não é? Hahaha! — Ela caiu na gargalhada, antes de entrar no carro e partir.

Anne tropeçou e suas lágrimas finalmente caíram, recusando-se a parar, não importa o quanto ela tentasse enxugá-las.

— Pare de chorar... Pare de chorar... Pare de chorar! Acalme-se. Acalme-se! Deve haver um jeito. Eu os dei à luz, eles são meus filhos. Ninguém pode tirá-los de mim. Se alguém ousar machucar meus filhos, vou fazê-los sofrer! — Ela se consolou com os dentes cerrados.

Só então, Nigel finalmente a encontrou.

— Anne! —

Anne se virou e chorou ainda mais ao ver seu pai, que a abraçou.

— Não chore. Vou falar com Anthony, e encontraremos um jeito. —

Anne balançou a cabeça em lágrimas.

— Não vai funcionar. Não há ninguém mais cruel do que Anthony... —

— Acredite em mim. Farei qualquer coisa por você. —

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata