O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 611

Anthony parecia tenso. Então, ele tirou as mãos da cintura e se virou para olhar para Anne. A moça tinha lágrimas nos olhos e parecia muito nervosa.

— Você não tem medo de mim? Como você também gosta de mim? —

— Eu gosto mais de você do que tenho medo de você, e não sinto o mesmo pelos outros... — Anne encontrou aqueles olhos penetrantes de obsidiana que eram afiados o suficiente para penetrar sua alma. — Mestre, meu amor por você sempre esteve escondido em meu coração, então o que você vê é só meu medo de você…—

Depois que Anne terminou de falar, ela deu um passo à frente, colocou as duas mãos nos ombros largos de Anthony, na ponta dos pés, e beijou levemente os lábios finos do homem. Foi gentil e comovente, fazendo o coração de gelo do magnata apertar. De repente, ele agarrou com força a cintura esbelta de Anne e aprofundou o beijo. Anthony estava ficando muito excitado com a cena, então ergueu a moça pela cintura e a levou até a cama grande do quarto. A figura corpulenta saltou diretamente sobre a mulher, agarrando seu queixo e a encarando com olhos de predador.

— Gostar de mim é mais perigoso do que não gostar de mim. —

Anne mordeu o lábio levemente.

— Isso está fora do meu controle, Mestre. Não me deixe esperando. —

Anthony respirou fundo e beijou sua boquinha novamente como se fosse devorar todo o seu corpo.

— Mmf... — Anne não aguentou mais, e suas mãos subiram em seus ombros largos, beijando seu sexy pomo de adão.

— Mestre, eu quero muito você, mas ainda não tomei banho... —

— Que provocação! — Anthony rosnou.

Aquela estava destinada a ser uma noite sem dormir, e os dois se entregaram ao ato indefinidamente. Se o isolamento acústico fosse ruim, todo o corredor poderia ouvi-los.

Na manhã seguinte, Bianca acordou e se vestiu de maneira elegante, como de costume. Ela morava com os pais e, naquele período, raramente ia à Mansão Real, pois não queria ver os trigêmeos, já que tinha medo de não poder evitar espancá-los. Antes de se tornar a legítima senhora Marwood, pretendia continuar contida.

Nigel e Dorothy sabiam que Bianca e Anthony pegariam a certidão de casamento naquela sexta, e a mulher ficou emocionada. Nigel, contudo, não compartilhava do mesmo sentimento. No café da manhã, ele perguntou:

— Você tem certeza disso? Depois de obter a certidão de casamento, você será a esposa dele. —

Dorothy interrompeu:

— Não é melhor assim? Nossa Bianca cresceu. Ela será a esposa de alguém e terá seus próprios filhos. Não só isso, mas seu marido também é o homem mais poderoso de Luton, com uma identidade nobre. Ela causará inveja a todo mundo, isso é uma grande bênção! —

— Pai, eu sei o que você está tentando dizer, mas eu amo Anthony e não vou me casar com ninguém além dele, e ninguém pode me impedir. —

— Eu só não quero que você se arrependa. —

— Por que ela iria se arrepender? — Dorothy discordou veementemente dele. — Você não quer que Bianca seja feliz? —

Bianca olhou para Nigel com tristeza, então o homem disse:

— Claro que sim. Espero que você seja feliz. —

— Pai, apenas nos dê sua bênção. Você não precisa se preocupar com outras coisas. — Disse Bianca.

— Isso mesmo! O que os pais mais querem é que seus filhos vivam felizes! — Dorothy riu. Com medo de que a atmosfera ficasse mais estranha, ela mudou de assunto: — Quando Anthony vai buscar você? —

— Oito horas. Concordamos em receber o certificado às nove, pois estaremos "nas nuvens" assim que terminarmos o processo. — Bianca não conseguia esconder a felicidade em seu rosto.

— Isso é bom. Você deveria comer mais. — Dorothy sugeriu.

Ao vê-las tão felizes, Nigel não pôde demonstrar qualquer desaprovação. Anthony e Anne ainda estavam envolvidos, então, se Bianca conseguisse a certidão tão rapidamente, sua outra filha teria paz depois do casamento dos dois? O homem só podia esperar que as coisas melhorassem, para as duas, mas logo o problema veio, porque, depois do café da manhã, eram quase oito horas e Anthony ainda não tinha aparecido.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata