O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 613

Bianca sentiu que sua dignidade era pisoteada. Foi a primeira vez que a orgulhosa pianista se sentiu tão envergonhada, como se alguém tivesse jogado um balde de água de esgoto em seu rosto. Ela parecia perfeita aos olhos de quem passava pelo lugar. No entanto, só ela sabia quão humilhada se sentia, no fundo. De repente, seu telefone tocou. A moça verificou ansiosamente o identificador de chamadas, apenas para descobrir que não era Anthony, mas Dorothy. Bianca imediatamente se sentiu magoada e respondeu fracamente:

— Mãe... —

— Você ainda não tirou... a certidão de casamento? — Dorothy perguntou ao ouvir que algo estava errado no tom de Bianca.

— Anthony não está atendendo o telefone e ainda não chegou. Não sei onde ele está — disse Bianca. — Liguei para Anne, mas ela também não atendeu. Anne devia saber que eu iria ligar uma certidão de casamento com Anthony hoje, então ela elaborou alguns planos para impedir. Caso contrário, ele nunca me trataria assim! —

— Culpa de Anne, de novo! — Dorothy ficou furiosa. Então, ela confortou Bianca: — Não se preocupe, vou dar um jeito para você! Você ainda está no cartório? —

— Sim. —

— Espere aí. Vou até Anne e arranco a cara dela! — Dorothy desligou o telefone com raiva, sem conseguir acreditar que Anne intimidava a filha àquele ponto.

Sarah tinha acabado de acordar e ouviu um barulho alto quando desceu. Então ela foi olhar e descobriu que era Dorothy.

— Dorothy, o que diabos há de errado com você? Por que você está latindo aqui tão cedo?! —

Quando Dorothy viu Sarah, ela parou de discutir com a governanta e correu.

— Onde está Anne?! Onde ela está?! Você sabe onde ela está?! Diga-me! —

Sarah ficou perplexa.

— Por que você está procurando por ela?! Você é tão ridícula! Por que eu deveria te contar? —

— Não pense que não estou ciente de seus pensamentos cruéis! Vocês deliberadamente mantiveram Anthony ocupado para evitar que ele e Bianca conseguissem a certidão de casamento. Sarah, você não terá sucesso! Ainda estaremos lá amanhã e depois de amanhã, então pode botar sua filha para atrapalhar Anthony o tempo todo, ele ainda se casará com Bianca! — Dorothy rugiu com raiva.

Sarah rapidamente captou a mensagem.

— Anthony e Bianca vão atrás da certidão de casamento hoje? —

— Você está realmente fingindo ser inocente? Você acha que sou tão ingênua? Onde diabos está Anne?! Diga-me! — Dorothy correu até Sarah.

Sarah não tinha nenhum medo de Dorothy e zombou:

— Por quê? Você vai me bater? Você está aqui sozinha hoje, mas tenho duas pessoas do meu lado. Tem certeza de que quer lutar comigo? —

Sarah estava com sua governanta, então como ela poderia não vencer Dorothy?

— Sarah, não me provoque! — Dorothy fez uma careta.

— Que piada você é, Dorothy! Quem diabos está indo longe demais agora? Eu sei o que aconteceu: Anthony provavelmente se arrependeu da decisão no último minuto. Ele não queria se casar com Bianca, então não apareceu, certo? — Sarah a provocou deliberadamente.

Nessa hora, Dorothy perdeu o controle e agarrou o cabelo de Sarah.

— Eu não vou te perdoar! Sua velha puta, mãe de outra puta! Anthony vai se arrepender! Ele só ama minha Bianca! —

— Ah, desgraçada! — O couro cabeludo de Sarah estava prestes a ser arrancado. — Solte, sua corna! —

A governanta correu para ajudar a afastar as mãos de Dorothy. No entanto, quanto mais ela tentava, mais forte era o puxão da mulher.

— Depressa e me diga onde está aquela vadia da sua filha! — Dorothy simplesmente não tirava as mãos.

Vendo que não conseguia se libertar, Sarah bateu em Dorothy com a cabeça na direção oposta, num solavanco.

— Ai, desgraçada! — Dorothy se desequilibrou e caiu no chão, perdendo o controle do cabelo de Sarah.

Então, Sarah sentou-se em cima de Dorothy, dando vários tapas no rosto dela enquanto gritava:

— Agora você vai ver, vagabunda, quem bate direito! —

— Eu vou te matar! — Dorothy agitou os braços, defendendo-se.

Sarah agarrou o cabelo de Dorothy.

— Vou te mostrar como se puxa cabelo, sua corna! Foi você quem provocou, agora vai sair daqui toda quebrada! —

— Ah! Me solta! Me solta! Sarah, eu vou chamar a polícia! —

Dorothy também tentou puxar o cabelo de Sarah, e as duas se xingaram enquanto se agrediam com unhas e socos. A cena delas rolando e lutando no chão era simplesmente vergonhosa. No final, foi a governanta quem separou as mulheres, então Dorothy, berrando palavrões, dirigiu-se até a saída da mansão. Antes de sair, contudo, ela chutou propositalmente o vaso alto na porta.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata