O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 635

Anne tremia de medo. Seu rosto ficou pálido e lágrimas teimosamente brotaram de seus olhos. Pavor, resignação e decepção eram o que ela sentia.

— Eu dei espaço demais para seus planos, não foi? — Os olhos de Anthony estavam frios e seu tom era maquiavélico.

— Não fiz plano nenhum! Só quero estar com meus filhos. O que há de errado nisso? Ontem à noite Bianca me ligou com todos os tipos de ameaças e hoje ela veio e deliberadamente ficou na escada para me guiar até ela. Foi uma armadilha! — Anne disse friamente.

— Você achou que eu não notaria que você está com um telefone novo, hein? — Anthony se agachou e segurou o queixo delicado.

O corpo de Anne não parava de tremer. ‘Anthony sabe sobre meu outro celular?’

— Você sabe que o telefone está grampeado, certo? — Os olhos de Anthony eram implacáveis. — Ela realmente quis dizer essas palavras ou você a provocou e a fez dizer tudo aquilo? —

Anne parecia aterrorizada.

— Não, não foi isso! Você tem que acreditar em mim... —

— É disso que você gosta? Vou deixar você ouvir uma coisa! — Anthony pegou seu telefone e tocou uma gravação que tinha nele.

Logo, a voz de Sarah preencheu o ambiente.

— Nada é certo por enquanto... Ainda não se sabe se Bianca pode se tornar a senhora Marwood! É óbvio que Anthony está esperando por Anne! Sim, foi assim que eu a ensinei. Contanto que ela possa substituir Bianca para se tornar a senhora Marwood, vale a pena usar qualquer meio. —

Enquanto Anne ouvia, seu rosto ficou mais pálido. De certo, aquela deveria ter sido uma conversa entre Sarah e Dorothy. A megera da Dorothy deve ter gravado e dado para Bianca, que deixou Anthony ouvir. O homem guardou o telefone e perguntou:

— Que outros truques você ainda quer usar? Apenas me diga. —

A jovem permaneceu em silêncio, então o magnata agarrou sua nuca e avançou. Anne caiu de joelhos bem na frente dele. Sua cabeça quase tocou a posição do colarinho de Anthony, quase a sufocando.

— Bem... eu não fiz nada. —

— Você disse que gostava de mim, não foi? Isso também é mentira? — Anthony perguntou, sua voz tão fria que parecia vir do inferno.

— Não, não é... — A moça estava tão nervosa que os dentes dela batiam.

— Para evitar que Bianca e eu nos casássemos, você realmente pregou algumas peças. — A voz de Anthony estava gelada e a sala mais parecia um frigorífico. — Como eu pude ser enganado por você? Saia! — O magnata jogou Anne e ela caiu despreparada, rolou duas vezes no chão e chorou. Erguendo a cabeça, ela encontrou os olhos vermelhos e raivosos de Anthony.

— Você não pode mais ver as crianças sem minha permissão! — Anthony disse impiedosamente e se virou para sair.

Anne não foi atrás dele, apenas se arrastou e sentou-se no chão. Seu corpo tremia incontrolavelmente. Se não fosse pelos três filhos, ela teria sido jogada escada abaixo por Anthony e morrido. Embora as palavras tivessem sido ditas por meio de telefonemas e ele soubesse, o magnata não se importou com o que Bianca disse a ela e ficou furioso com cada palavra que Sarah disse. A disparidade de tratamento era evidente, e mesmo sabendo que o homem era injusto desde o início, a moça ainda sentia um aperto no coração. Era impossível para ela lutar contra Bianca, quando a megera já tinha o favoritismo de Anthony.

O magnata voltou para o escritório. Oliver ouviu alguns barulhos estrondosos quando estava prestes a segui-lo para dentro. Ele estava assustado e não se atreveu a se mover. 'Senhor Marwood sempre teve um temperamento tão forte...', pensou.

Enquanto isso, Dorothy estava cuidando de Bianca no hospital, alimentando-a. A cabeça da mulher estava enrolada em gaze e ela não conseguia movê-la livremente.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata