O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 684

— Isso está bem estranho... — Sarah sussurrou.

Anne não se incomodou em perguntar sobre Lucas porque Anthony poderia escutar, mas com ela e Sarah fora da cidade, era natural presumir que o rapaz havia retornado ao que quer que estivesse fazendo antes da aparição das duas.

De repente, o avião decolou e disparou para o céu. Por um momento, Anne se assustou, mas não porque a decolagem tenha sido difícil, já que o jato particular era bem estável, mas porque o acidente de helicóptero em que ela sofrera havia lhe deixado resquícios de um trauma. A jovem ficou tensa e agarrou os braços com força.

— Não tenha medo, filha! Vai ficar tudo bem! Isto não é como um helicóptero. — Sarah agarrou a mão dela, que assentiu, mas ainda lutou para relaxar.

Anthony se virou para olhar para Anne enquanto a moça tentava respirar fundo e se acalmar do nervosismo. Revirando os olhos, o magnata aconselhou:

— Não se sente perto da janela. —

Anne congelou, sentindo que passava vergonha na frente de Anthony.

— Pode se sentar em meu lugar. — Sarah se levantou para trocar de posição com a filha.

Depois de mudar para o assento mais afastado da janela, a jovem lentamente começou a recuperar a compostura, mas ainda parecia muito inquieta. Sarah pensou que era porque a filha passara a ter um medo permanente medo de voar, mas, na verdade, Anne se sentia preocupada com a segurança de Nigel.

— Você quer dormir um pouco? O tempo vai passar mais rápido! Mas eu não vou dormir! É a primeira vez que viajo em um jato particular, então quero aproveitar a vista. —

— Tudo bem, mas não perambule por aí. — Anne abaixou a cadeira e se deitou. Preocupada com a possibilidade de que Sarah visse as lágrimas em seus olhos, a moça virou as costas para a mãe.

Sarah tirou um cobertor da mala, que arrumara quando os guarda-costas de Anthony falaram sobre o avião, e colocou sobre a filha.

— Relaxe, eu vou continuar sentada aqui. —

Assim que Anne fechou os olhos, Anthony disse:

— Se quiser, há um quarto nos fundos. —

— Está bem. — A moça manteve os olhos fechados e mergulhou na tristeza, imaginando quem estaria com seu pai no hospital.

'Dorothy e Bianca, eu acho!', ela pensou. 'Papai vai ficar bem. Ele deveria estar usando o cinto de segurança, já que não saiu voando! Ele vai ficar bem. Demorei tanto para finalmente encontrar meu pai, como o destino poderia tirar ele de mim? A vida não pode ser tão cruel...'. Enquanto isso, os olhos de Sarah percorreram o cenário, observando o extravagante interior do jato particular, até que sentiu os olhos de Anthony a acompanharem. De soslaio, tentou captar algo, mas só viu o perfil de Anthony, que parecia olhar pela janela.

'Estou enganada?', ela pensou, então olhou para Anne e confirmou que a filha continuava dormindo. De repente, o telefone de Anthony vibrou e ele deu uma olhada antes de atender.

— Anthony, onde você está? — Bianca disse enquanto soluçava: — Meu pai está na sala de operação há tanto tempo. Estou com tanto medo... —

— Kathryn está lá. Vai ficar tudo bem. —

— Você pode vir aqui para me fazer companhia? —

— Estou em um avião agora. —

Sarah ouviu a menção de Kathryn e se perguntou se alguém estaria doente. A julgar pelo tom incomumente gentil de Anthony, imaginou que o magnata falava com Bianca.

'Dorothy está morrendo?', ela pensou. 'Isso seria bom demais para ser verdade! Espero que ela possa morrer e renascer como uma barata de esgoto, que é o que ela é! Pobre Nigel, nunca consegue se livrar da megera!'.

Depois de expressar seus medos e seu sofrimento ao telefone, Bianca desligou a chamada e foi até Oliver.

— Para onde Anthony foi, afinal? Esqueci de perguntar a ele. —

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata