O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 692

— De maneira nenhuma, senhora. O pior resultado seria simplesmente nenhum resultado. — Disse o especialista.

— Está resolvido, então. Kathryn, relate-me o progresso diário. — Ordenou Anthony.

— Sim, senhor Marwood. —

Anne ficou aliviada e muito feliz por haver alguma esperança, por menor que fosse. Enquanto isso, Anthony se levantou para sair e Dorothy e Bianca o seguiram. Anne caminhou atrás deles e pegou o telefone para ligar para Sarah, que atendeu de imediato, já perguntando:

— Anne, como foi? Eles podem curá-lo? —

— Apenas três dos especialistas ficaram e disseram que podem tentar, mas não há garantia. — Disse Anne com sinceridade.

Sentindo-se como se uma pedra tivesse sido retirada de seu peito, Sarah disse:

— Os médicos nunca fariam promessas, mesmo para cirurgias simples. Isso significa que seu pai definitivamente vai acordar! —

Anne não se atreveu a concordar, considerando a gravidade da lesão cerebral de seu pai. No entanto, ela também não podia negar a esperança da mãe e disse:

— Vamos esperar ele acordar, por quanto tempo for preciso. —

— Sim. Ele me chateou antes e nem sequer nos compensou! Ele não pode simplesmente nos abandonar. Não vou deixá-lo escapar assim! — Lágrimas encheram os olhos de Sarah. — Quando ele acordar, ainda vou mandá-lo se divorciar de Dorothy. Aquela desgraçada! —

Anne também queria que o pai se divorciasse, mesmo que não fosse para o bem dela e da mãe. Ela sabia que Nigel não amava Dorothy e só mantinha o casamento por causa de Bianca. Os filhos sempre seriam a principal prioridade dos pais. Lembrando-se dos trigêmeos, seu peito se apertou enquanto continha as lágrimas. Após a ligação, foi até a enfermaria e estava decidida a ver o pai, mesmo que Dorothy e Bianca tentassem impedi-la. Se Anthony ainda estivesse lá, aquelas duas nunca mostrariam sua verdadeira natureza.

Quando se via prestes a chegar ao quarto de Nigel, percebeu que os três esperavam do lado de fora da porta. Um homem desconhecido, mais ou menos da idade de Nigel, falava com eles. O desconhecido vestia terno e parecia muito sério. Quando Anne se aproximou, o homem se virou e sorriu para ela.

— Olá, senhorita Vallois. —

— Você me conhece? — Ela perguntou surpresa.

— Sou o advogado contratado pelo senhor Faye. Meu nome é Robert Stahl. —

— Você está aqui para ver meu pai? —

— Sim. Estou aqui para ver como ele está. Demorei para saber que ele sofreu um acidente de carro. Sinto muito por isso. — Robert trabalhava ao lado de Nigel havia anos, então não eram apenas cliente e advogado, mas também amigos.

— Meu pai... — Lágrimas ameaçaram cair dos olhos de Anne, mas a moça controlou suas emoções. — Ele não está muito bem. A médica já disse que ele está em estado vegetativo, mas acredito que ele sobreviverá a isso. —

— Claro! O senhor Faye nunca foi de se deixar ser derrotado. — Robert disse enquanto estudava o rosto de Anne. — Sua mãe não está por perto? Precisava falar com vocês... Na verdade, estou aqui para falar sobre o testamento do senhor Faye. —

— Testamento? — Atordoada, ela repetiu.

Dorothy ficou profundamente abalada.

— Nigel escreveu um testamento? Por que... por que eu não sabia disso? —

— Isso é uma piada? Meu pai não escreveria um testamento sem contar à família. Quando foi isso? — Bianca questionou, inconformada.

— Três dias antes do acidente. — Disse Robert.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata