O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 714

Quando Lionel percebeu quem era, correu para cumprimentá-lo:

— Olá, senhor Marwood! Meu nome é Lionel Kennedy! Não esperava encontrar você aqui e há muito tempo estou ansioso para conhecê-lo. Acabamos de terminar aqui e espero que você se divirta. —

Anthony olhou para Anne e disse:

— Já que estamos aqui, vamos jogar juntos! Eu, você e sua amiga. —

Lionel ficou surpreso. Embora seu negócio não fosse pequeno, não valia a atenção de um magnata poderoso como o jovem poderoso diante dele. Jamais imaginaria que Anthony o chamaria para jogar golfe. No entanto, o homem mais velho acabou se preocupando de se envolver naquela situação tendo Anne ao seu lado, porque imaginou que a moça poderia não estar ciente da importância daquele rapaz.

— Minha amiga aqui é uma novata, então não teríamos muito como competir com você, senhor Marwood. —

— Uma novata... — Os olhos cor de obsidiana de Anthony se fixaram em Anne, então ele levantou a mão e a chamou para mais perto.

A moça se aproximou com relutância, murmurando, baixinho:

— Que porra Anthony está fazendo aqui? Ele não veio jogar golfe... —

De todas os dias da semana em que poderia fazer aquilo, por que o homem tinha que aparecer quando ela também estava lá? Será mesmo que foi apenas uma coincidência? Além disso, o magnata deveria ignorar a presença dela. O próprio Lionel não sabia que eles se conheciam, então o que poderia sair disso? De qualquer modo, o Lionel não ousou dizer mais nada. Afinal, não recusaria um pedido direto do poderoso senhor Marwood. Assim, Anne deu um passo à frente e abaixou a cabeça.

— Sim, senhor Marwood? —

— O que você disse? — Anthony agiu como se fosse surdo.

Anne percebeu a expressão confusa no rosto de Lionel, mas não tinha escolha.

— Sim, Anthony... —

Com isso, Anne teve certeza de que o homem apareceu lá de propósito! Enquanto isso, Lionel ficou surpreso e perguntou para Anne:

— Você conhece o senhor Marwood?! —

— Você pode dizer que somos bem próximos. — Respondeu Anthony.

A resposta foi confusa, mas Lionel entendeu o que Anthony queria dizer: não era para mexer com aquela garota, ou teria de lidar com a fúria do magnata.

— Sinto muito. Foi um erro meu não ter percebido isso antes. Senhorita Vallois, me perdoe! — Lionel disse, com elegância.

— Não é culpa sua. Ela não era uma mulher de negócios antes e ninguém a conhecia. Como estava o jogo de vocês? — Anthony respondeu:

Lionel não sabia bem o que responder, porque parecia uma armadilha, então começou a suar. Afinal, todos sabiam que Anthony era o rei não-oficial de Luton, que poderia mudar, em instantes, o sucesso de alguém no mundo dos negócios. Para piorar, o rapaz gostava de colocar os outros contra a parede. Anne, por outro lado, achava que Lionel era um empresário sério e que seu caráter era razoável, então interveio.

— Era só uma partida casual de golfe. — A moça resumiu.

— Por que ouvi dizer que havia uma aposta? — Anthony sugeriu.

Lionel ficou assustado pelo fato de o homem já saber daquilo, mas imaginou que algum funcionário do lugar escutou e passou a informação. Assim, o homem mais velho só conseguiu responder com sinceridade:

— Sim. Eu estava jogando golfe com a senhorita Vallois e disse que só poderíamos continuar com nossa cooperação se ela vencesse. —

— Você está intimidando os novatos no ramo? — Anthony perguntou.

Lionel suava como um porco fugindo do abate.

— Na verdade, eu já havia decidido que, mesmo que a senhorita Vallois perdesse, continuaria cooperando. O jogo era apenas uma brincadeira. Ela é uma moça muito inteligente, me deixou sem palavras algumas vezes. O senhor Faye tem muita sorte de ter uma filha assim, não é?! — O homem se via desesperado.

— Já que estão competindo, então vocês têm que fazer isso direito. Porém, faltam habilidades nela, então é melhor eu dar algumas dicas à novata, para que ela não precise se envergonhar. — Sugeriu Anthony, com sua presença ameaçadora.

— Claro! — Lionel concordou de imediato.

O jogo em si ficou desnecessário depois que Anthony apareceu. Porém, Lionel percebeu que o magnata parecia bastante interessado no assunto e deu continuidade.

— Venha aqui. — Anthony caminhou em direção ao centro do campo e chamou a moça. Ela não precisava de qualquer dica da parte dele, mas se aproximou. Anthony, com um taco na mão, parecia bem relaxado e habituado. Então, perverso, perguntou a Anne: — Era isso que você queria dizer quando me falou de se encontrar com um cliente? —

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata