Bela Flor - Romance gay Capítulo quatorze

sprite

Quando enfim saio da empresa, eu penso em caminhar até o ponto de ônibus mais próximo para assim ir direto para minha casa, mas eu me amaldiçoou quando meu pensamento vai diretamente para outro lugar.

Eu me afastei, deveria ser eu a querer distância, mas meu peito só pede para que eu vá até aquele apartamento e então passe um tempo lá para matar um pouco da saudade enorme que sinto, mas então crio um grande impasse em minha mente, quando ainda parado em frente à empresa, eu penso no que realmente devo fazer.

"Para de ser tão gado, Jeon Jaejun, você deu um basta, se esqueceu?"

É o que a voz na minha cabeça grita e ela tem mesmo razão.

Porém, quando enfim pisco e suspiro, pensando em ir diretamente para casa, ouço chamarem meu nome, mas então quando me viro para olhar, franzo o cenho já que a pessoa que me chama, é um completo estranho.

ㅡ Você que é Jeon Jaejun, não é? ㅡ O homem de cabelos loiros e longos, pergunta ao se aproximar de mim.

Eu o olho tentando recordar se já nos conhecemos, mas falho miseravelmente. Ele é muito bonito, e se aproxima me encarando dos pés a cabeça até parar em minha frente.

Ajeito o terno que uso, tentando ficar um pouco mais sério, mas logo percebo que ele tem um jeito de superioridade e, infelizmente, começo a me sentir intimidado.

ㅡ Eu te conheço? ㅡ pergunto.

Ele continua a me olhar, e agora até sorrir.

ㅡ Hwang Hesun, acredito que já ouviu falar de mim.

E então toda a lembrança de Hyun-Suk contando sobre seu ex vem à mente. Eu engulo em seco, agora observando o garoto também de cima a baixo, e me sentindo ainda mais intimidado.

Porque eu sou assim?

ㅡ Pela sua cara, tenho a certeza que sim. ㅡ ele volta a dizer. ㅡ se já ouviu falar de mim, sabe o porquê de minha presença aqui, certo?

ㅡ Park Hyun-Suk. ㅡ falo baixo, me culpando por ser tão fraco ao ponto de não conseguir encarar ao mesmo nível outra pessoa que se envolveu com Hyun-Suk, apenas por uma insegurança repentina que nasce de imediato no meu corpo.

Ele é realmente bonito.

ㅡ Exato. Então serei direto com você. Eu pertenço a Park Hyun-Suk. Ele é o único homem capaz de ser dono do meu corpo e coração, então, respeitosamente, estou dizendo para você se mantenha longe dele, porque não há espaços para dois.

Ele diz aquilo e continua a me olhar com toda a sua superioridade.

Merda, que grande merda.

ㅡ Eu e ele já não temos mais nada. ㅡ falo sentindo meus olhos já queimarem. Sou fraco, admito, e parece que ver o homem no qual Park um dia desejou, ou ainda deseja, bem a minha frente piora tudo.

ㅡ Não? - ele pergunta surpreso e sorri vitorioso no final. ㅡ melhor assim então. Eu não sou uma pessoa ruim, estou até te livrando de algo ruim. ㅡ continua falando. Eu não consigo desviar meus olhos, mesmo que esses com certeza agora estejam vermelhos. Ver como ele fica feliz com algo que me deixa triste, é... dilacerador. ㅡ Park Hyun-Suk não ama ninguém, apenas usa os corpos da maneira em como ele quer, como se fossem brinquedos. O único que ele amava, era eu. Ele apenas está tentando me substituir com você, mas ele nunca conseguirá, eu sou insubstituível.

Quando ele finda suas palavras, eu não consigo segurar meu choro e apenas limpo uma única lágrima que desce por meu rosto. Respirando fundo, eu o reverencio me despedindo sem falar nada, e me viro, pronto para fugir o mais rápido dali, somente para não ouvir mais nada daquilo.

ㅡ Ei, não pode virar as costas quando uma pessoa que está falando com você ㅡ ele volta a falar e ouço seus passos logo atrás. Eu não paro, apenas continuo, mas seu braço logo captura o meu, me obrigando a parar, e assim o olhar. ㅡ espera aí.

ㅡ Por favor, me solte. ㅡ digo, tentando soar firme.

Ele olha para sua mão que está presa com muita força em meu braço, e logo olha para mim, sorrindo.

Possivelmente está vendo o quanto sou realmente fraco, e agora irá querer brincar comigo também.

Quando me preparo para pedir educadamente e novamente para que me solte, eu sequer chego a abrir a boca. Um par de mãos o segura firme sobre o toque que ainda se mantém em mim, e então o faz me solte no mesmo instante.

Eu me assusto com aquilo, mas logo vejo o corpo que para na minha frente e os fios loiros que balançam com o vento.

ㅡ Eu te disse para ficar longe dele ou você iria se arrepender, não disse?

Hyun-Suk está bem à minha frente. Suas roupas são comuns agora, saindo do padrão em que estou acostumado a lhe ver, sempre bem impecável. Apenas veste um conjunto de moletom cinza e tênis.

Mas não são suas roupas que realmente me chamam a atenção, e sim a sua presença.

De onde ele veio? Como apareceu assim, do nada?

O rapaz a frente ainda permanece quieto, e eu estou do mesmo jeito. Hyun-Suk apareceu do nada, e como se estivesse ali apenas para me proteger, nos interrompeu.

Hyun-Suk me protegeu?

ㅡ Vocês nem estão mais juntos, ele mesmo me disse. ㅡ o rapaz fala completamente raivoso. ㅡ qual é, Hyun-Suk... ㅡ ele se aproxima do loiro, mesmo que Hyun-Suk com certeza não queira essa aproximação. ㅡ Amor, vai mesmo continuar nessa?

ㅡ Hesun, vá embora agora. ㅡ Hyun-Suk fala e se aproxima ainda mais. ㅡ se você ousar tocar, falar, ou sequer olhar para Jaejun, eu juro que vou atrás de você. Eu já te disse que o que tinha entre nós dois acabou e acabou há muito tempo. Tenha ao menos um pouco de amor próprio.

Com os olhos arregalados, eu escuto tudo o que ele fala para o rapaz.

Eles se encaram, a tensão é muito grande. Quando vejo os olhos marejados do outro, imagino o que ele esteja sentindo, e imagino também que doa muito.

ㅡ Vá. ㅡ Hyun-Suk torna a falar, duro, com sua voz mais grossa que habitual. ㅡ agora. ㅡ ele ordena.

ㅡ Amor... Não faz isso.

ㅡ Vá agora ou eu...

ㅡ Não fale assim com ele. ㅡ eu peço, baixo. ㅡ ele não tem culpa se está te amando...

Quando falo, ambos me encaram de imediato e então ficam em silêncio. Eu suspiro, virando-me de costas no mesmo instante e então volto a caminhar tentando fugir.

Estou envergonhado.

ㅡ Você também já está amando ele, não é? ㅡ o tal Hesun fala alto, me fazendo parar os passos e girar nos calcanhares, olhando bem para seu rosto.

Hyun-Suk também me encara, diferente de como olhava para o garoto, seu olhar para mim, é manso, completamente calmo.

ㅡ E se eu amar? ㅡ pergunto baixo, novamente controlando meu choro. ㅡ quem controla o coração?

Hesun continua me olhando. Igualmente a mim seus olhos estão marejados agora, e como se me odiasse, ele trinca o maxilar.

ㅡ Ninguém controla. ㅡ é Hyun-Suk quem responde.

Eu o olho surpreso e ofego quando vejo-o caminhar até onde estou, parando a minha frente enquanto encara meus olhos, ele diz:

ㅡ Ninguém controla, Jaejun, eu descobri isso.

Nossos corpos estão quase colados, e de onde estou percebo sua respiração forte. Assusto-me quando Hyun-Suk busca minha mão e põe sobre seu peito, me fazendo encarar o ato para só então retornar aos seus olhos.

ㅡ Sequer eu, que tenho tudo sobre controle, tudo nas palmas das mãos, consegui controlar o meu...

Eu tento desviar meus olhos, mas parece que Hyun-Suk comanda até isso em mim.

Minha respiração também está desregulada, e com ele tão próximo assim, e é difícil conseguir que se normalize.

Eu molho meus lábios, me sentindo nervoso, mas então Hyun-Suk busca minha outra mão e também repousa sobre seu peito, deixando com que nossas mãos fiquem ali, juntas, enquanto nossos olhares ainda se cruzam.

Eu vim aqui para te ver. ㅡ ele diz em um sussurro. ㅡ Estava com saudade. Muita saudade...

Eu me sinto um caos.

Tento me soltar e até olho para o rapaz atrás de si e que ainda nos olha com o semblante tão triste que dói em mim.

ㅡ Pare com isso, irá machucá-lo ainda mais. ㅡ peço, perdido.

se importe com ele, ele não se importa com você assim.

Eu não ligo. Não é porque alguém é mau, que eu também preciso ser. Pare com isso, está machucando a nós dois.

E então ele suspira. Devagar, Hyun-Suk solta minhas mãos e demora a virar.

Hesun... ㅡ ele tenta falar, mas sequer consegue terminar.

Eu já entendi. Espero que seja muito feliz com seu novo brinquedo. Enquanto a você, Jaejun... ㅡ diz olhando para mim. No momento uma lágrima desce por seu rosto, mas assim como eu, ele a enxuga rápido demais. ㅡ Não se doe demais a ele, ele irá maltratar seu coração mais cedo ou mais tarde.

Quando o vejo ir, suas palavras permanecem em mim.

Eu entro em algum tipo de transe que não saberia explicar, mas fui atingido em cheio por tudo isso, e agora não sei como reagir.

Quando eu e Hyun-Suk permanecemos a olhar o rapaz ir, eu o observo de costas, e então novamente me viro, desta vez louco para fugir dele.

Isso não é verdade, Jaejun. ㅡ ele fala. Não é preciso que fale alto devido nossa pouca distância, mas sua voz me faz parar no mesmo instante, e meu corpo já o implora, pois, apenas espero que chegue perto, para assim novamente me virar. ㅡ Não é...

Fecho os meus olhos. Se eu não tivesse aceitado aquele

ㅡ Isso cansa tanto. ㅡ falo baixo quando novamente nossos corpos estão perto demais. Eu o sinto.

como se existisse um ímã entre nós, sempre juntos demais. Sempre

Jaejun-ah, me ouve, por favor. ㅡ Hyun-Suk pede baixo. ㅡ Eu quero aprender a cuidar de você e do

Eu olho ao redor e então lembro que ainda estou em frente ao prédio do meu novo emprego.

Droga!

Do outro lado, logo em frente, há uma pequena praça, então sem que nada seja dito por mim, apenas aponto para lá, caminhando à frente e ouvindo mais uma vez os passos dele, logo atrás.

Quando sento em um dos bancos de madeira que há, ele senta logo em seguida ao meu lado, então sem que nos encaremos novamente, ele prossegue.

ㅡ Me desculpa por isso.

Dou de ombros, incapaz realmente de o olhar. Sinto vergonha acima

Eu chorei como o fraco que sou, é deplorável.

ㅡ Como foi seu primeiro dia? ㅡ pergunta.

Olha para algumas flores que há ao redor, dando de ombros mais uma vez.

bom. Hajun é um bom chefe, teve paciência

é sim... ㅡ O silêncio novamente vem, e desta vez incômoda como se agulhas adentrassem vagarosamente o meu peito. Eu não consigo o olhar, não sei se conseguirei, mas sei que ele está me olhando. E são longos minutos assim, eu já não sei mais como agir. ㅡ Jaejun-ah. ㅡ ele chama mais uma

Hyun-Suk, não. ㅡ falo rápido. ㅡ não faz isso, por

ㅡ Isso o quê?

ㅡ então eu finalmente o olho. Sinto como se um caminhão tivesse me acertado bem no peito. ㅡ você não gosta de mim assim, nós dois sabemos disso... e sabemos também que não poderá cuidar do meu coração, ele já está dolorido o

Não sabemos não. Me desculpe por te fazer sentir isso, mas é exatamente por isso que estou aqui. ㅡ Eu nego, mas Hyun-Suk torna a segurar minhas mãos, ficando de lado no banco. ㅡ Quero que me ajude com isso. Eu nunca amei, é verdade, mas isso não significa que nunca poderei amar, não

Você está fazendo isso por pena? Por favor, não tenha pena

Jaejun-ah, eu nunca senti pena de você! Quero fazer isso por mim, por nós. Eu quero que exista o "nós", quero de

ㅡ Você não tem certeza disso...

senti sua falta, e não foi do seu corpo apenas, foi da sua companhia, do seu sorriso, da sua risada... Eu poderia ter quem eu quiser, então também não foi por causa do sexo que você mesmo disse que nós dois fizemos... Você é diferente, você me fez sorrir e sentir prazer sem sequer termos feito sexo de

Nós fizemos sexo de verdade... ㅡ falo fazendo um bico, ainda balançando meus pés, e novamente desviando

ㅡ ele ri soprado e suspira em seguida. ㅡ nos fizemos sexo, mas você me fez sentir prazer sem sequer termos ido além do que fomos, você entende? Em trinta anos, ninguém nunca me fez sentir algo

Você mesmo me pediu para não envolver sentimentos, Hyun-Suk. Porque só... não arruma

ㅡ Porque nenhum deles seria você.

voltam para os dele. Eu sou incapaz de negar que senti meu coração acelerar e se derreter completamente ao ouvir

Eu te disse aquilo porque era a verdade naquele momento, mas ela não condiz com o

consigo esconder como suas palavras me deixam pensativo

quieto, pensando. Hyun-Suk está a me olhar, e não parece afoito. Ele apenas o faz de maneira calma e paciente, permitindo que eu tenha meu próprio

nunca mais vou voltar naquele apartamento. ㅡ digo enfim o olhando após minutos. ㅡ Eu sei que provavelmente aquele rapaz já deva ter dormido e feitos coisas com você lá. Eu sinto... muita coisa negativa só de pensar

e abaixa a cabeça, depois assente, demorando um pouco para tornar

Eu errei nisso, acho que foi o pior de tudo. Pensei que você fosse gostar, assim como um dia Hesun gostou de lá, me desculpe por

Tudo bem. Irei receber bem agora, posso pagar pelo meu próprio

Eu fico tão feliz por

mais me chame por isso. ㅡ digo, erguendo o dedo. ㅡ eu não quero que você me chame por

ㅡ Mas...

Se quiser tentar algo comigo,

por alguns segundos. Seus olhos analisam cada parte do meu rosto, e, sério demais, eu faço o mesmo. Quando vejo seu sorriso brotar, e vagarosamente aumentar, o fazendo erguer as bochechas e fechar os olhos quando os transforma em apenas duas linhas, eu até tento segurar, mas não consigo e também