O CEO sem coração Só se for com a Linda

sprite

LINDA

Cobri a minha boca, tentando esconder a gargalhada. — Eu sou uma pessoa má por estar rindo disso? — perguntei ao Rodrigo, que estava do meu lado.

— Não. E eu, que estou filmando tudo? — ele riu, segurando o celular.

— Apague isso e não poste em canto nenhum. Ele vai ficar furioso com você.

— Não. Eu não vou sair daqui. — Rômulo insistia em ficar no restaurante. Sendo que só tinha a gente ali e o dono do restaurante.

— Você já bebeu tudo o que tinha pra beber.

— Eu vou se a Linda for comigo.

— Eu vou dormir na minha casinha, Rômulo.

— Então eu não vou.

— Ô, Linda, pelo amor de Deus, aceita ir com ele. Senão eu vou perder a garota. — Caleb me pressionou, quase chorando.

— Vai, Linda. Agora é com você. — Gustavo largou de mão.

Eu olhei pro Rômulo e ele estava virando de novo a cerveja na garrafa por goela a baixo.

E eu achei que teria o meu fim de semana tranquilo…

Suspirei, fui até ele e tomei a garrafa de sua mão. — Chega, Rômulo! Vamos embora!

— Iiiiiii…hoje macho apanha. — Rodrigo zombou.

— Eu vou terminar essa aqui primeiro. — ele tentou pegar a garrafa de volta, mas eu não permiti.

— Não!

Ele estava bêbado demais. Demais. Eu nunca tinha o visto assim.

E ele se calou.

Me obedeceu.

— Gustavo, vai ver se o motorista já chegou. — olhei para ele.

No escritório ele é meu chefe, mas aqui não é nada além de mais outro sem noção. Todos machucados e ainda bêbados!

A minha paciência foi de controlada para perdida em segundos.

— Caleb, vá pagar a conta. — ordenei para este também e tinha uma menina ao lado dele. Uma daquelas que estavam dançando perto dali.

Ele puxou a carteira e pediu a conta ao dono do restaurante.

— Ele já chegou. — Gustavo voltou.

— Ótimo. Agora vamos. Levanta, Rômulo. — puxei o seu braço.

— Você vai dormir lá em casa? Vai dormir comigo, hein?

— Se você facilitar a minha vida, levantando logo para ir pro carro eu fico lá na sua casa sim. — fiz o possível para adiantar isso.

Ele levantou rapidinho.

Isso é que eu chamo vontade de me ter por perto!

— Vamos pra casa, gente. — ele segurou a minha mão e até que andava aprumado.

O motorista dele veio com o carro mais espaçoso que Rômulo tinha.

Coube todos eles e eu mandei mensagem para a minha vizinha, dizendo que iria para a casa do meu namorado porque ele estava bêbado. Aproveitei o wi-fi do restaurante antes de entrar no carro e quem demorou foi o Caleb, que estava se agarrando com aquela menina.

O carro tinha 8 lugares. Rodrigo foi no banco da frente, eu, Rômulo e Gustavo nos bancos de trás e o Caleb deveria sentar logo no banco do porta-malas para irmos embora.

— Nossa, eu vou estrangular o Caleb se ele demorar mais um minuto. — comentei sentada entre Rômulo e Gustavo. Rômulo estava com a cabeça encostada na janela e Gustavo se lamentava junto com o Rodrigo.

— As meninas daqui são muito difíceis. Você não achou, Rodrigo?

— Sim. Elas atiçam e depois só querem beijinhos e abraços. Eu não tô procurando isso!

— Pois é! Ficaram dando em cima da gente, depois quando a gente foi para cima elas ficaram fazendo cu doce, sem querer logo deixar a pegação começar! Aí quando a gente consegue convencer, um trabalho da poxa, elas não querem ir até o final!

Rômulo começou a roncar.

Esfreguei meu rosto, me perguntando, por que eu não fiquei em casa

o Rômulo para poder abrir a janela e então eu coloquei o rosto pra fora e gritei. — Bora, Caleb! Adianta, meu filho!

Rômulo abraçou a minha cintura e quando eu sentei, ele deitou a cabeça no

Eu vou sentar no banco de trás. — Gustavo comentou e levantou do seu lugar.

O Caleb finalmente chegou, sentou lá atrás também e então fomos embora.

No caminho tivemos que parar, pois o Rômulo estava passando mal, então ele vomitou tudo na beira da estrada e depois seguimos de volta para casa sem pausa.

se livrar do que tinha no estômago, ele ainda estava bêbado. Estava mais tonto que antes.

Aparentemente, todos eles iriam dormir na casa do Rômulo. Foi decisão deles.

deu paz ao motorista.

Entramos na mansão e o Sérgio arranjou um arranhou um quarto e roupas para cada um. Eu fui para o quarto com o Rômulo.

Ele fingia que estava sóbrio, mas quando entrou no quarto e chegou perto da cama, caiu de cara nela.

bom você tomar um banho, Rômulo.

estou eu, de novo

Precisa de alguma coisa, Srta? — Sérgio apareceu do outro lado da porta.

Entra, Sérgio. — eu pedi e depois fui olhar o horário. Ainda era 21h. Como as coisas aconteceram durante a tarde, já parecia que era de noite.

— Sim. Srta. — ele entrou.

alguma coisa pra gente comer? Todo mundo.

Quando a Srta ligou eu mandei a cozinheira preparar um caldo

Ótimo. Depois que tomarmos banho vamos aparecer lá para jantar. — eu fui até o Rômulo e puxei o seu braço. — Vamos, Rômulo.

saiu e deixou a

eu tirar um cochilo

Primeiro você toma um banho, depois come e depois você

vai tomar banho junto comigo? — ele sentou na cama com um péssimo equilíbrio.

— Eu tomo depois.

me encarou, levantando um sorrisinho. — Vem cá, quero te dar um

Beijo com gosto de vômito? — não deixei que ele me

— Vem cá.

Venha você. — eu fui para o banheiro e ele veio atrás. Liguei o chuveiro no quente. — Tira a

pedido é uma ordem. — ele começou pela

Mas deixa eu sair primeiro. — desviei dele e quase que ele não me deixava sair, mas eu consegui.

Nem fuja, viu. Hoje só tem uma

vai acreditar em nada do que disse quando acordar

ele tomar banho e não tive escolha senão procurar uma roupa dele para usar esta noite.

uma camiseta preta e um dos seus shorts. Também peguei roupas para ele.

saí do closet, ele ainda estava no banheiro, então eu fui colocar o meu celular para carregar no escritório dele. Dei uma olhada nas mensagens e a minha vizinha perguntou se eu já tinha chegado. Eu respondi que sim e que estava tudo bem. Depois voltei para o quarto do Rômulo e o encontrei só cueca, vestindo a camiseta. Voltei para trás antes que ele me

Deus, eu não sei como vou prosseguir com isso.

sinto uma total inexperiência nesses assuntos e me deparando com ele assim, é que fico perdida mesmo.

tempo até deduzir que ele já estava vestido, então entrei.