O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 544

— Você não precisa se preocupar com isso. — disse Anne com uma expressão fria.

— Você não tem medo de que eu diga a Anthony? Se Anthony soubesse disso, nunca deixaria você criar os filhos, com medo de se tornarem tão ignorantes quanto você. Anthony definitivamente preferiria que fossem criados por mim. As crianças ainda são pequenas, então, se viverem comigo o suficiente, duvido que se lembrem de você no futuro. —

Anne não tinha medo de ameaças.

— Se você realmente achasse isso, teria feito, em vez de vir aqui me dizer. —

— Não fiz porque as crianças estão desaparecidas. — Bianca se aproximou dela com um olhar venenoso em seus olhos, tentando absorver cada grama da expressão de Anne.

— O que você disse? — Anne franziu o cenho.

— Você é surda? Eu disse que os trigêmeos estão desaparecidos. Ontem à noite, a babá saiu com eles e os perdeu. Eu ainda não os encontrei! Olha como eu sou legal com você, até vim aqui para lhe contar sobre isso! —

— Isso é impossível! —Anne balançou a cabeça horrorizada.

— Ligue para a babá então! Mas tenho certeza de que ela vai te dizer que as crianças estão na escola. —

Anne não acreditou na irmã, então ligou para a babá às pressas. A profissional, que estava em casa, viu a ligação de Anne e se lembrou das palavras de Lucas.

— Olá, dona Vallois. —

— Onde estão as crianças?! Onde estão meus filhos?! — Anne perguntou, contendo as lágrimas.

— Na... na escola! —

— Eles estão na escola ou sumiram?! — Anne perguntou, seu coração quase pulando pela garganta.

— Eu... oi? —

Anne ouviu a babá vacilar e seu corpo gelou.

— Senhorita Vallois, não se preocupe. As crianças vão ficar bem, o senhor Lucas arranjou investigadores, e com certeza elas serão encontradas! —

— Você realmente perdeu as crianças... — O rosto de Anne estava suando frio e seu corpo tremia, mas ela não percebia nada disso.

— Sinto muito, senhorita Vallois. Com certeza vamos ter as crianças de volta logo. Vamos rezar para isso. — Desculpou-se Moona.

O pedido de desculpa era inútil! Não serviria para deixar Anne menos ansiosa. Bianca observou a irmã, que estava com dor e medo, de lado. Ela adorava a sensação de ter algum poder sobre a rival. Moona, enquanto isso, sentiu muita vergonha, então desligou o telefone sem dizer mais nada. Anne rapidamente ligou para Lucas:

— A babá confessou que as crianças sumiram! O que aconteceu?! Você está procurando por meus filhos?! Algum sinal deles, Lucas?! —

— Não se preocupe, Anne. As buscas ainda estão em andamento. —

— Como posso não me preocupar?! Eles são muito pequenos! Como podem cuidar de si mesmos?! O que devo fazer se algo der errado?! — Anne estava perdida.

— Eu sei, Anne. Vou arranjar mais pessoas para ficarem procurando por eles. Isso foi um erro da babá. Ela levou as crianças a uma loja de brinquedos, mas eles desapareceram assim que ela se virou para pagar. — Lucas suspirou profundamente.

— Por favor, Lucas! Por favor, encontre-os... — As lágrimas de Anne caíram. — Como posso viver se eles desaparecem da minha vida?! —

— Eu sei. Vou tentar o meu melhor para encontrá-los. Serei o primeiro a notificá-la quando houver novidades. —

— Obrigada... — Anne baixou as mãos fracamente e ficou ali em desespero.

Bianca deu um passo à frente e disse venenosamente:

— Você sobreviveu a um acidente de helicóptero, mas suponho que isso seja ainda mais assustador, não é? —

— As crianças ficaram juntas e saberão evitar o perigo! Elas são muito espertas! — Anne olhou para ela com lágrimas nos olhos.

As três crianças não conheciam nada de Luton, mesmo assim, Anne tinha esperança, afinal, chegaram da França até ali, sozinhas, quando eram ainda mais novas.

— Por mais inteligentes que sejam, são apenas três pequenas crianças que não sabem dizer nem em que bairro moram, imagino, já que nunca saem de casa. Em um lugar tão caótico como uma loja de brinquedos, talvez tenham sido pegos por algum pedófilo, já imaginou?! E você já viu o destino daquelas crianças que os traficantes de pessoas pegam? Crianças levadas para fora do país, prostituídas e tudo! Vamos torcer para que nada assim aconteça com elas, não é? —

O tom de Bianca era muito alarmista e doía em Anne ainda mais.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata