O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 652

Anne foi lavar o rosto no banheiro. Quando terminou, foi até a sala e viu que o café da manhã já estava na mesa. Sarah teve o cuidado de fazer muito do que a filha adorava comer e de acompanhar a jovem no café da manhã, mesmo que ela própria não tivesse o costume de fazer o dejejum tão cedo.

— Você não parece muito bem... Não dormiu? — Sarah perguntou.

— Perdi a hora vendo besteira na internet. — Ela deu de ombros.

— Você é jovem, mas ainda precisa cuidar da sua saúde! — A mulher aconselhou, com olhos arregalados de preocupação.

— Eu sei, não faço isso com muita frequência. — Anne revirou os olhos.

Quando Sarah estava prestes a criticar a reação da filha, seu telefone tocou. A mulher se levantou e foi pegar o celular e, apesar de sentir que conhecia aquele número, não tinha o contato adicionado à lista:

— Quem é? — Ela perguntou, desconfiada.

— Bastante tempo livre, não é? Já que Anne, uma mãe irresponsável, não vem ver os filhos nem quando eles estão no hospital, por que você, a avó, não vem? — Bianca provocou ao telefone.

Sarah se assustou e se virou para encarar a filha. O rosto de Anne não estava bom, já que a moça não dormiu naquela noite. Seria mesmo porque ter fuçado na internet a noite toda? A mulher começou a duvidar disso.

— Já que não vai falar nada, eu explico! A pirralha comeu frutos do mar que eu fiz. E antes que me acuse, saiba que eu não esperava que ela fosse alérgica. Confesso até que sentiria alguma culpa, mas Anthony já me perdoou. —

Sarah sentia raiva demais para continuar escutando, então desligou o aparelho, apertando a tela com mais força do que o necessário. Vendo a cena, Anne perguntou:

— O que há de errado? —

— O que você acha?! Por que você não me contou que minha neta teve uma crise alérgica e foi parar no hospital?! — Sarah vociferou, batendo na mesa.

— Quem te contou? — Os cílios de Anne tremeram quando ela baixou o olhar.

— A putinha da Bianca! —

Anne suspirou, mas não disse nada. Seus olhos brilharam com uma frieza repentina. 'Não acabou, não é?', pensou.

— Fale comigo! — Sarah se desesperou.

— Bianca não te contou tudo? O que mais quer saber? —

— Ela disse que fez frutos do mar para Chloe comer, que ela era alérgica e que foi hospitalizada. Também disse que você não foi lá! Mas que história é essa de Chloe ser alérgica? Você não disse a eles que as três crianças tinham esse problema? — Sarah perguntou ansiosamente.

— Eu mandei que fizessem exames para verificar, anos atrás, se havia alguma alergia. Foi logo quando nasceram, pensando justamente na minha. Um tempo depois eles chegaram a comer frutos do mar por engano, mas no final não tiveram grandes problemas. Deixei subentendido para Anthony que evitava, apenas. —

— Bianca deve ter feito isso de propósito, mesmo assim! Aquela criminosa! Ela não se importaria nem de matar três crianças, tudo por ciúme! — Sarah andava de um lado para outro. — Mas por que você não foi ver as crianças? Anthony não deixou você ir, certo? Deixe! Eu vou lá! —

— Mãe, não vá! — Anne levantou-se de repente.

— Quero ver você me impedir! — Sarah abriu a porta e saiu.

— Mãe! — Anne a seguiu. — Mesmo se você for, Anthony não vai deixar você ver as crianças! Pense! —

— Eu não me importo! Como ela pode nos provocar assim? Aqui está você, preocupada com seus filhos e perdendo o sono. Como sua mãe, preciso fazer algo! Anne, não me impeça. Eu tenho que ir! —

Anne sabia que não conseguiria impedi-la, então foi com Sarah de carro até o hospital. Assim que elas desceram no estacionamento, encontraram Bianca e Anthony, que saíam. A mãe das crianças encarou aqueles frios olhos negros, e suas pupilas encolheram inconscientemente, com raiva do homem.

— Você está aqui para ver sua filha? Como você é pontual, Anne, chegando logo após a menina ter alta. Pensei até que você estivesse ocupada, já que não veio antes. Como você conseguiu reservar um tempo para visitar a pequena? — Bianca disse, chamando atenção para si mesma.

Anne franziu os lábios, sabendo que Bianca a provocaria o quanto pudesse.

— Anne não veio visitar os filhos porque não tinha permissão para vê-los! Por que vir aqui se ela não poderia entrar no quarto? — Sarah retrucou.

Bianca deu uma risada e provocou um tanto mais.

— Por favor, Sarah. Todos nós já sabemos da verdade: Anne não veio visitar a filha doente porque estava ocupada acompanhando Tommy, abraçando-o nas ruas. Como ela poderia pensar nas crianças quando não tinha nada além de um homem em sua mente? Eu tenho até pena de Chloe, sabe? Ela estava chorando tanto! —

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata