O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 663

Sarah não sabia o que dizer, tamanho era seu nervosismo. Se Anne fosse condenada por homicídio, jamais poderia viver uma vida normal. Sua filha já se via prestes a descer do carro quando chegaram ao hospital, mas a mulher a impediu.

— Você realmente vai entrar? —

— Mãe, só espere aqui. Vou entrar e dar uma olhada. —

— Como posso deixar você ir sozinha? Eu vou com você. — Sarah não deu espaço para que a filha a impedisse, então as duas seguiram para a entrada do hospital e seguiram para a recepção. Foram informadas da entrada de Bianca e se dirigiram para o local indicado. No caminho, encontraram Anthony, que aguardava do lado de fora da sala de operações. O magnata se virou, seus olhos fixos em Anne.

Anne disse a si mesma que não poderia desistir. A moça queria acreditar que não precisava ficar com medo porque não tinha culpa. Assim, foi em frente e disse:

— Não fui e-... — Antes que ela pudesse terminar a frase, o homem lhe deu as costas. — Anthony, me ouça! — Anne insistiu, mas não obteve resultado. Sarah se aproximou e segurou a mão da filha.

— Eu não quero saber, Anne! — Anthony emitia hostilidade.

Sarah ergueu os olhos em fúria.

— Anthony, seu idiota, pense um pouco! É óbvio que não é culpa de Anne! Bianca estava agarrando a mão dela e se jogou contra a faca! A intenção dela era deixar você com raiva e se vingar de minha filha! —

— Você acha que pode fazer o que quiser só porque eu tolerei sua atitude na Mansão Real? — A voz de Anthony era fria, e sua aura hostil preenchia o ar.

Anne olhou para ele com frieza.

— Você tem recursos para investigar. Procure câmeras de vigilância ao redor do lugar. Veja se eu a esfaqueei ou se ela se jogou na faca! Verá que foi como ela fez na maldita cena da escada! Quantas vezes mais você vai só olhar para a cena criada por ela sem procurar saber o contexto? — A moça berrava o protesto, enquanto os lábios de Anthony franziam, e seus olhos a fuzilavam. — Eu dei um tapa nela porque ela ultrapassou os limites! Ela deu a Chloe frutos do mar, pisou na mão da minha mãe e até lhe deu um tapa! Ela não merecia receber algo de volta? Eu já tinha saído de lá com minha mãe, mas Bianca nos perseguiu para arrumar mais confusão e conseguir o que queria! Se você não estiver disposto a investigar, eu mesma poderia apresentar um boletim de ocorrência e confessar para que a polícia possa investigar a fundo e limpar meu nome! Eu sou inocente! — A moça concluiu.

— Receio decepcioná-la, mas aquela avenida não tem câmera de vigilância. — Os olhos de Anthony pareciam ainda mais arredios.

— Como assim?! Por que não?! Várias ruas têm câmeras de lojas locais, não é? Por que não haveria lá? — Anne ficou atordoada, porque não esperava por aquilo. Se não houvesse nenhuma câmera para provar sua inocência, como poderia apresentar um boletim de ocorrência? Mesmo que a moça tivesse dez testemunhas, ainda não conseguiria provar sua inocência.

— Aquela rua é só o fundo de vários complexos empresariais, inclusive alguns meus. Não há câmeras ali, porque não há necessidade. Não percebeu que o lugar parecia vazio? Está satisfeita com a resposta? —

Anne sentiu seu chão cair, mas não também sabia que não deveria desistir. Afinal, não era mentira: ela não a esfaqueou a irmã.

— Anthony, eu não a esfaqueei! Eu não conseguiria fazer algo assim! —

— Não sei! Você tem me parecido muito mais corajosa que o usual. Eu não quero ouvir mais nada, então suma da minha frente! —

Anne se sentia perdida, por isso não disse mais nada. A jovem se virou e saiu com Sarah, desapontada. Depois de uma hora, Bianca não corria mais perigo e foi transferida para um quarto. Anthony então pediu para informar a família Faye sobre o ocorrido. Os pais da moça chegaram assim que puderam, e Dorothy quase desmaiou quando viu a filha inconsciente na cama.

— Meu Deus, o que aconteceu?! Por que alguém machucaria minha filha?! —

Nigel, com o coração quebrado, fitou o rosto pálido de Bianca, então perguntou ao noivo da filha:

— Afinal, o que aconteceu? —

— Eu vou investigar isso. — Anthony apenas disse isso e saiu do quarto.

Dorothy tocou o rosto de Bianca e a repreendeu enquanto chorava:

— Quem foi o desgraçado que fez isso? Bianca, não tenha medo. Anthony fará justiça por você. Mamãe e papai também não vão deixar que a pessoa que te machucou saia impune, filha. Você pode me ouvir? —

Nigel olhava para a porta, pensativo. O homem tinha um palpite de que Anthony escondia algo daquela história, só não conseguia imaginar o que seria.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata